23 de Maio de 2020 Atualizado 23:13

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Cotidiano

Cidades do litoral paulista registram baixo movimento nas praias no feriado

Por Agência Estado

01 Maio 2020 às 17:18 • Última atualização 01 Maio 2020 às 18:32

Se fosse um feriado do Dia do Trabalhador comum, as praias do litoral de São Paulo estariam repletas de banhistas, mas em meio à pandemia do covid-19, as medidas de controle para evitar a propagação do novo coronavírus diminuíram bruscamente o trânsito de pessoas nas orlas das praias paulistas.

A partir do final da tarde de quinta-feira, 30, o fluxo de veículos nas estradas que dão acesso ao litoral aumentou, mesmo com algumas cidades realizando controles de acesso que proíbem a entrada de turistas ou recomendem que eles voltem para casa. Entretanto, quem conseguiu acesso ao litoral encontrou as praias fechadas ou com forte fiscalização do poder público.

Até mesmo os moradores das cidades litorâneas encontraram dificuldade para acessar as praias neste feriado de 1º de maio. Alguns municípios, como Santos e Guarujá, isolaram o calçadão e a faixa de areia, proibindo assim o acesso de banhistas. Nem mesmo a prática de esportes, como corrida e caminhada, foi permitida.

Esta ação gerou uma queda no movimento de pessoas, inclusive com os restaurantes próximos à orla operando apenas por delivery. Já em Praia Grande, a prática do surfe foi permitida das 5h às 8h, assim como nos demais dias da semana.

Em Caraguatatuba e São Sebastião, por exemplo, as praias não estão fechadas, mas os órgãos públicos municipais estão fiscalizando toda a orla para checar se há aglomerações.

Além disso, as prefeituras estão multando veículos que estiverem estacionados nas praias e utilizando drones para fiscalização. Já a Prefeitura de Ubatuba informou em nota que não criou barreiras de acesso aos visitantes nas praias, mas orientou sobre o uso de máscaras e mediu a temperatura dos turistas com termômetro infravermelho.

Já em Ilhabela, a balsa está fechada desde o dia 20 de março, fazendo com que a cidade seja a única do Litoral Norte paulista a não registrar crescimento nos casos de coronavírus.