'Os Impossíveis' retornam aos palcos após morte de integrante

Com seis anos de estrada, banda de rock americanense apresenta show nesta sexta-feira no novo Clube do Vinil de Americana


Há quatro meses, a comunidade de Odontologia de Americana perdia José Vitório Gasparini, após o profissional passar mal durante a realização de um atendimento. E a perda não foi apenas na categoria, entre familiares e amigos, como também para o cenário do rock local. Gasparini integrava a banda Os Impossíveis, que retorna aos palcos da cidade hoje, após um período de luto, em um tributo ao músico.

Com seis anos de estrada, o grupo teve como embrião um projeto iniciado em 2005. Bruno Piettro iniciou um trabalho minimalista com Jonas Fishman. Piettro fazia violão e voz e Fishman a percussão com cajón. A parceria rendeu frutos que refletem diretamente na personalidade dos Impossíveis até hoje.

Em janeiro de 2012, os dois conheceram José Vitório Gasparini e o convidaram para fazer alguns shows juntos. José Vitório foi quem sugeriu o nome ao grupo. No início, o título era só uma brincadeira. Ele apelidou Fishman de “Multi-homem”, uma alusão ao desenho “Os Impossíveis”, de Hanna-Barbera. Então, surgiu a banda. “Sentimos que nosso trabalho realmente teve relevância, quando subimos ao palco montado no portal de Americana, na final do Roteiro de Boteco de 2012, edição de inverno. Foi um pocket show de 30 minutos”, conta Piettro, vocalista e guitarrista da banda.

Foto: Divulgação
Os Impossíveis retornam aos palcos quatro meses após a morte de um de seus integrantes

Em 2013, com pouco mais de um ano de existência, tiveram a oportunidade de tocar no palco principal, na noite de sábado, na Virada Cultural Paulista de Americana. Na mesma noite subiram ao palco Tulipa Ruiz, Os Sertões, Ângela Dip (Stand Up), o DJ Chico Leibholtz (Brasil) e o DJ Wax Taylor (França). “O trabalho autoral é nossa meta, mas não deixaremos de lado nossas versões inusitadas de canções de artistas já conhecidos do grande público”, comenta o vocalista.

Atualmente, a banda é composta como um power trio, com Piettro, Fishman na bateria e Tony Caruso no baixo. A maior influência é o rock brasileiro dos anos 1980. No setlist estão incluídas músicas do Ira!, Capital Inicial, Plebe Rude, RPM, Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho, Cazuza e Lulu Santos, mas também há covers internacionais de grupos como Talking Heads, U2 , Nirvana, Beatles, Rolling Stones e Dire Straits.

De material autoral, Os Impossíveis têm um videoclipe lançado em 2016. “O tributo ao Zé Vitório será basicamente um show com as músicas que ele gostava de tocar conosco, e faremos umas duas ou três músicas especialmente a ele, que ele não chegou a tocar com a gente. O tema dessas músicas tem a ver com o amigo que partiu. O legado que o Zé deixou é que se não nos divertirmos no palco, o show não acontece. Continuaremos espontâneos e nos divertindo no palco”, finalizou Piettro.

A apresentação terá outro clima de retomada, já que vai ocorrer no Clube do Vinil, casa de shows que virou expoente da cena de rock local e foi reaberta há uma semana, em novo local.

ACONTECE: O show está programado para as 21h e o Clube do Vinil fica, agora, na Avenida Santino Faraone, 2163, próximo ao recinto da Festa do Peão de Americana. O ingresso custa R$ 8.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora