Saúde assegura 1º saldo positivo de empregos desde 2013

A prestação de serviços na área de atenção ambulatorial – que engloba médicos, dentistas e veterinários […]


A prestação de serviços na área de atenção ambulatorial – que engloba médicos, dentistas e veterinários – foi responsável por puxar o bom desempenho na geração de empregos em Americana no ano passado. Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados nesta quarta-feira, o setor criou 831 postos de trabalho na cidade. Americana conseguiu fechar o saldo geral com 231 vagas positivas. Foi o primeiro ano que o município conseguiu ter saldo positivo na geração de empregos desde 2013.

Na soma dos resultados das demais cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) o saldo entre admissões e demissões foi negativo, além de ter registrado uma piora em relação a 2017. Foram fechados 655 postos no ano passado, contra 279 no ano anterior. O desempenho da região está ligado às atividades industriais (saldo negativo de 1.151 postos). O comércio abriu 784 vagas na RPT e os serviços, 1.287.
O setor de serviços se destacou positivamente em Santa Bárbara d’Oeste, puxado pelas áreas de comércio e serviços imobiliários (480 vagas) e também por alimentação e hospedagem (247).

Assessora econômica do Sincomércio (Sindicato dos Lojistas e do Comércio Varejista de Americana, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste), Caroline Miranda Brandão avaliou as cidades com mais desenvolvimento econômico tendem a ser mais dependentes dos setores de serviços e comércios.

Contudo, ela alertou que na região a indústria ainda é crucial na formação de empregos, principalmente aqueles com maiores rendas. “A análise é que se essa crise ainda permanecer e prejudicar a indústria, isso, sem dúvida, vai respingar nos outros setores. Comércio e serviços são adjacentes, vêm ‘a reboque’. Se a economia não está performando bem, eles tendem a perder o fôlego que conseguiram apresentar durante o ano. Mas esperamos que haja perspectivas melhores para nossa região nesses setores”, destacou.

A assessora também fez uma análise do desempenho do comércio varejista. Ela destacou que os supermercados tiveram saldos positivos na geração de emprego em Americana (198) e Santa Bárbara d’Oeste (129).

Na RPT, foi o quinto ano consecutivo com mais demissões do que admissões. No âmbito nacional, 2018 fechou com saldo positivo após três anos de retração. O mercado de trabalho brasileiro criou 529.554 empregos com carteira assinada no ano passado.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora