22 de julho de 2024 Atualizado 22:14

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Eclética

Revitalização de praça, uma homenagem à memória do senhor José Faé

Patriarca de uma conhecida família da cidade, ele deixou um belo legado, marcado por trabalho árduo, dinamismo, honestidade, perseverança e fé

Por Jucimara Lima

08 de julho de 2024, às 15h52 • Última atualização em 08 de julho de 2024, às 15h53

Na última semana foi entregue a revitalização da Praça José Faé, localizada no Jardim Paulista, em Americana. Agora, o local conta com novos equipamentos de esporte, iluminação, além de outras melhorias que o tornaram ainda mais convidativo para crianças e adultos. No centro do espaço está um busto em homenagem a José Faé (in memoriam), o homem que dá nome à praça, que chama a atenção de quem passa por lá.

Patriarca de uma conhecida família da cidade, ele deixou um belo legado, marcado por trabalho árduo, dinamismo, honestidade, perseverança e fé. Nascido no dia 1º de julho de 1911, o senhor José se destacou no ramo têxtil, onde fez história. Ao lado da saudosa dona Luiza Suzigan Faé, com quem se casou em 28 de maio de 1938, no Cartório de Mogi Mirim, ele constituiu uma família inicialmente formada por nove filhos.

Seguindo o exemplo do pai, todos se destacaram em seus ramos profissionais, começando pela primogênita, Lila Faé, uma das comerciantes mais tradicionais da cidade, que inclusive atua até hoje. Além dela, outras filhas também construíram suas histórias no comércio, como Antonieta Faé Kuhl, Maria Lourdes Faé Rodrigues, Luiza Aparecida Faé Balan e as caçulas Maria Tereza Faé Lopes Azevedo e Silvia Faé. Pai de três homens, atualmente o único vivo é o reconhecido empresário Roberto Faé, estando in memoriam Victor Faé e José Carlos Faé.

Entre os grandes feitos do patriarca dessa querida família está o fato de ele ter sido membro atuante da comissão que organizou a construção da antiga Igreja Matriz de Santo Antônio, inclusive, tendo seu nome grafado no chamado livro de ouro. Em sua geração foi uma das pessoas mais visionárias da sociedade, tendo como maior projeto a indústria têxtil – Tecidos José Faé, contribuindo com a economia local, empregando muita gente e elevando o nome de Americana, o que ajudou a fazer jus à tradição de Princesa Tecelã.

Para a família, o eterno “Bepin”, apelido carinhoso, sempre será um exemplo de homem empreendedor e honesto, que nunca mediu esforços para alcançar seus sonhos. Nesse sentido, uma frase que ele costumava repetir, sobre a importância de sempre pensar grande e nunca se limitar, até hoje é lembrada pelos filhos como uma lição e passada de geração em geração para os demais descendentes:

“Acima de mim só Deus e avião”.

Atualmente, além dos filhos, são 17 netos, 24 bisnetos e alguns agregados. Por tudo isso, a revitalização da praça e a inauguração do busto foram momentos tão relevantes, não apenas para os “Faés”, como para a história de Americana. Afinal, é mais um capítulo escrito por americanenses que fazem a diferença na sociedade. Confira como foi! 

Publicidade