06 de dezembro de 2021 Atualizado 14:12

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Celebridades

Um carrossel de emoções diante das câmeras

No elenco de “Pega-Pega”, Thiago Martins relembra bastidores da novela das sete

Por Caroline Borges - Tv Press

16 out 2021 às 08:19

Thiago começou sua carreira no grupo de teatro Nós do Morro, um projeto social realizado com os moradores da comunidade do Vidigal, no Rio de Janeiro - Foto: Divulgação

Todos os trabalhos são inesquecíveis de alguma forma. Porém, para Thiago Martins, a trama de “Pega-Pega”, que voltou ao ar em edição especial, simbolizou um carrossel de emoções diante das câmeras e nos bastidores. Foi durante o período de gravações da novela de Claudia Souto que o ator de 33 anos passou por um delicado momento pessoal. Enquanto curtia as críticas positivas e os bons índices de audiência do folhetim, ele precisou lidar com a notícia da morte do pai.

“Foi uma novela em que passei por muitas emoções. No meio desse turbilhão todo de gravações, eu perdi meu pai. O Luiz (Henrique Rios, diretor) foi de uma generosidade enorme. No meio de uma novela que estava explodindo, ele foi ao enterro só para me dar um abraço. É, sem dúvidas, um gesto que nunca vou esquecer”, relembra o ator, que vive o tímido Júlio.

Na história das sete, Júlio é o primeiro ladrão do Carioca Palace a ser preso. Depois de tentativas frustradas para entregar o dinheiro a Pedrinho, papel de Marcos Caruso, o garçom do hotel resolve enterrar de vez essa história e usa um túmulo que sua tia, Elza, de Nicette Bruno, comprou para o cachorrinho Sherlock, para esconder a mala com os dólares. Júlio só não imaginava que Antônia, vivida por Vanessa Giácomo, iria encontrar mais uma pista para desvendar o crime. A revelação caiu como uma bomba na vida da policial, que estava completamente apaixonada pelo ladrão.

“Sempre fui fã do Júlio. Ele é um cara justo, acho que a dignidade falou mais alto. Tentei ao máximo trazer leveza para ele, já que passa por muitos momentos de tensão. Amei viver esse bom menino, foi um presentão do Luiz Henrique Rios. Esse personagem foi muito importante para mim”, valoriza.

Mesmo completamente envolvido com o enredo de Júlio, Thiago também valoriza as intensas trocas que teve com os colegas de elenco nos bastidores. Durante a novela, o ator contracenou com profissionais como Elizabeth Savalla, Cristina Pereira e a saudosa Nicette Bruno.

“Lembro muito de quando o Luiz me chamou para almoçar e me convidou para viver o Júlio. Ele me conhece desde pequeno e é um profissional incrível. Além disso, foi um grande encontro diante das câmeras. Foi o máximo ter essa troca com a Savalla, a Cristina e a Nicette. Me acrescentou muito como pessoa e como ator. Foi uma alegria gigante estar naquele ‘set’”, afirma Thiago, que tem acompanhado a edição especial. “É uma novela leve, foi incrível. Era sempre muito legal e divertido estar em cena, tinha generosidade e cumplicidade entre nós. Viramos mesmo uma família, somos amigos até hoje”, completa.

Quase cinco anos após a exibição original, Thiago ainda acredita na absolvição dos ladrões pelo público. Para o ator, o quarteto liderado por Malagueta, papel de Marcelo Serrado, tem bastante carisma para conquistar os telespectadores novamente. “Muita coisa mudou de lá para cá, mas esses quatro ainda têm suas peculiaridades e objetivos do roubo. Além disso, comparado a tudo que vemos ser roubado por aí há tanto tempo, esses ladrões são fichinha. Não tenho medo da repercussão dessa reprise. O público, mesmo sabendo o final da história, torce para cada personagem sair dessa enrascada de forma legal”, defende.

Trabalho afetivo

A reprise de “Pega-Pega” não é o primeiro trabalho que Thiago Martins aproveita durante essa pandemia. Quando a Covid-19 chegou ao Brasil, o ator estava gravando “Amor de Mãe”. Os trabalhos da novela das nove ficaram mais de cinco meses suspensos em virtude das medidas de isolamento social. “Acho que ‘Amor de Mãe’ foi a novela que eu mais me diverti fazendo. Mas a pandemia chegou e desconstruiu isso. Voltar foi como uma luz no fim do túnel. Todos nós – elenco, produção, equipe técnica – fomos muito bem cuidados em todas as etapas”, afirma.

Na trama de Manuela Dias, Thiago viveu Ryan, um dos filhos da protagonista Lurdes, interpretada por Regina Casé. Mesmo com o longo tempo longe dos estúdios, o ator não teve dificuldades para se reconectar com o personagem na retomada das gravações. “Quando eu colocava o figurino e a tatuagem do rosto da Lurdes, era automático. Vinha o Ryan. As nossas cenas eram muito reais, a família toda reunida para almoço e jantar, era muito alegre de fazer, era orgânico”, lembra.

Publicidade