10 de maio de 2021 Atualizado 22:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Celebridades

Tudo ao mesmo tempo

Rafael Cardoso celebra quatro trabalhos diferentes no ar atualmente

Por Márcio Maio / TV Press

28 abr 2021 às 07:19

Muito se fala sobre o desgaste de imagem de alguns atores que aparecem seguidamente na televisão. A pandemia que o mundo enfrenta, no entanto, forçou a Globo a apostar em reprises em todos os seus horários atualmente. E, assim, ficou mais difícil assegurar a diversidade no elenco em todas as faixas de horário.

Rafael começou a carreira em 2007, no seriado “Pé na Porta”, da RBS TV – Foto: Divulgação

Com 10 novelas realizadas de 2010 para cá, o ator conseguiu um feito incrível: das tramas que estão na grade da emissora hoje, só não fez “Malhação”. “Acredito que ninguém espere por isso. Estar em toda a grade de novelas de uma emissora não é algo comum. Na verdade, nunca estive em uma reprise de novela, então, foi realmente uma surpresa. Ainda mais em quatro sendo reexibidas ao mesmo tempo”, conta ele.

Em “Ti Ti Ti”, exibida no “Vale a Pena Ver de Novo”, Rafael é o playboy Jorgito. Na faixa das 18h, em “A Vida da Gente”, é dele o mocinho Rodrigo. Às 19h, em “Salve-se Quem Puder”, dá vida ao ambíguo Renzo, que tenta se livrar da influência maligna da tia Dominique, uma bandida que quer levar o sobrinho para a vida do crime, papel de Guilhermina Guinle.

E, por último, em “Império”, ele interpreta o chef Vicente, que se envolverá com Cristina e Maria Clara, vividas por Leandra Leal e Andréia Horta. Papéis bem distintos, mas todos com bastante destaque. “Tento não me fixar em nenhuma fórmula. Experimento formas diferentes a cada personagem, mas uma constante para mim é escrever aquela história até o momento em que ela vai começar”, explica, sobre como fazer para tentar se reinventar, mesmo emendando trabalhos constantemente.

Aparentando autoconfiança, Rafael assume que gosta da ideia de se rever em atuações anteriores. E faz o possível para acompanhar as novelas, apesar de não estar com tanto tempo assim para fazer isso. É que, enquanto não está gravando nenhuma novela – “Salve-se Quem Puder” ainda tem a segunda fase inédita para ser exibida, mas todos os capítulos já estão finalizados –, vem se dedicando à Fazenda Casulo Orgânico, em Cachoeiras de Macacu, no interior do Rio de Janeiro.

“Tento ver sempre que posso, mas estou evoluindo com os processos da Fazenda Casulo e não tenho muito tempo livre. Trabalho mais do que se estivesse gravando novela”, explica ele, que tenta, pelo menos, não perder os melhores momentos de seus personagens. “Quando há alguma cena que é ponto de mudança, tento ver. Nem que seja no Globoplay”, garante, referindo-se ao serviço de streaming da Globo.

TRABALHOS NO CAMPO

Foi justamente depois que viveu o chef Vicente que Rafael fechou a compra da fazenda e, assim, iniciou sua jornada de trabalhos no campo. Mas, ele diz, isso era algo que já estava em seus planos. “A Fazenda Casulo surgiu da vontade de fazer algo que realmente pudesse ter efeito positivo na realidade das pessoas. Desde levar alimentos com valor biológico e nutritivo para a mesa até o bem maior do plantio agroflorestal, que é a recuperação de solos degradados, biomas arrasados pela ação do homem”, defende.

Sem saber o que vai acontecer no futuro, Rafael já sabe qual novela gostaria de rever, caso a Globo precise recorrer, em breve, a mais uma trama recente para reexibir. E a favorita dele é justamente a que gravou depois que encerrou “Império”. “Eu escolheria ‘Além do Tempo’. Uma história linda da Elizabeth Jhin, onde tive a oportunidade de criar dois personagens com a mesma essência, mas de épocas diferentes. Foi um grande sucesso, iria agradar novamente o público”, acredita.

Primeiro protagonista

Das novelas que estão no ar hoje, Rafael Cardoso sabe que “A Vida da Gente” foi decisiva em sua trajetória. Mesmo porque foi ali que ele ganhou, pela primeira vez, um papel central. “Foi o meu primeiro protagonista e, realmente, a novela foi um sucesso. Fico muito feliz de ver como todo mundo gosta da novela”, fala ele, que assume que teve medo no começo. “Eu estava ansioso e inseguro. Mas sempre acreditei que, se algo acontece, é porque tem de ser. Foi uma grande responsabilidade e um momento de muito aprendizado também”, lembra.

Daquela época, o ator guarda diversas lembranças. Como da cena que gravou debaixo d’água com Fernanda Vasconcellos, que foi exibida logo no começo da história. “Estávamos com muito frio, mal conseguíamos dar o texto. Foi trabalhoso e precisamos repetir duas vezes”, recorda. Porém, outra sequência também se revelou bem difícil. “A cena em que o Rodrigo explica para a Ana tudo o que se passou no período em que ela esteve em coma. Foi muito forte”, conta.

Por conta de “A Vida da Gente”, Rafael gravou em Bonito e na Serra Gaúcha. Nascido em Porto Alegre, esse foi um momento especial na vida do ator, hoje com 35 anos. “Poder estar em casa novamente e conviver com vários atores do Rio Grande do Sul, amigos com quem estudei e que estavam fazendo elenco de apoio para a novela, foi muito bom”, diz. O entrosamento com os colegas de estúdio também foi um ponto que mexeu com Rafael. “Ganhei duas irmãs (Marjorie Estiano e Fernanda Vasconcellos), que por mais que o tempo e o trabalho tenham afastado, guardamos um carinho gigante. O Paulo (Betti) é hoje meu vizinho querido, de muro. E a Nicette (Bruno) foi sempre uma grande vó”, valoriza.

Publicidade