23 de janeiro de 2022 Atualizado 14:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Celebridades

O avesso do espelho

Em “Quanto Mais Vida, Melhor!”, que estreia dia 22, Nicolas Ahnert divide papel com Mateus Solano em fases distintas

Por Geraldo Bessa / TV Press

20 nov 2021 às 11:50

Nicolas Ahnert até já tinha ouvido pessoas dizerem que ele se parecia com Mateus Solano. No entanto, jamais imaginou que chegaria o dia em que dividiria um personagem com o ator brasiliense. Em “Quanto Mais Vida, Melhor!”, próxima novela das 19h da Globo, que estreia no dia 22 de novembro, ele interpretará o abastado Guilherme em sua fase jovem, passando o bastão para Mateus em seguida. “Já tinham me falado que éramos parecidos, mas ficou ainda mais claro quando nos conhecemos. Somos dois gigantes”, exclama Nicolas, que mede 1,90 m de altura.

Nicolas interpretará o abastado Guilherme em sua fase jovem, passando o bastão para Mateus em seguida – Foto: Divulgação

“Quanto Mais Vida, Melhor!” é uma comédia que interliga um médico cirurgião bem-sucedido, um jogador de futebol desacreditado, uma empresária fashionista e uma dançarina de pole dance encrenqueira. Guilherme, Neném, Paula e Flávia, personagens de Mateus, Vladimir Brichta, Giovanna Antonelli e Valentina Herszage, respectivamente, sofrem um acidente aéreo e, assim, se encontram com a Morte, vivida por A Maia.

No encontro, ficam sabendo que um deles vai fazer sua passagem de forma definitiva em um ano. Mas isso acontece já quando Guilherme é representado por Solano. “Mateus sempre foi uma inspiração. E conforme ia conhecendo Guilherme, me apaixonava ainda mais pelo personagem, extremamente sensível e humano”, derrete-se Nicolas.

A chance de atuar no folhetim de Mauro Wilson veio a partir de um teste que Nicolas já tinha feito, mas para outra novela da Globo. “O produtor de elenco Guilherme Gobbi, tinha assistido e me ligou, me convidando para fazer o teste para ‘Quanto Mais Vida, Melhor!’. Nos encontramos remotamente com o Allan (Fiterman), diretor artístico, e em alguns dias recebi uma ligação e soube que tinha sido aprovado”, lembra. Na trama, Guilherme é casado com a ex-modelo internacional Rose, interpretada inicialmente por Carol Macedo e, depois, por Bárbara Colen.

Para compor o papel, Nicolas decidiu partir principalmente do texto. E não só o da fase jovem, na qual atua, mas também nas cenas contemporâneas. “Descobri muito na relação com a Rose jovem, interpretada pela Carol. Fomos entendendo, juntos, o início da relação desse casal apaixonado, que se casaria anos depois. A troca foi essencial para compor a primeira fase do Guilherme”, conta. Porém, o capixaba decidiu ir além: resolveu se inspirar nos trabalhos anteriores do próprio Solano. “O desafio estava não só na interpretação de um personagem novo, mas em como ele era absorvido pelo Mateus, como reverberava no corpo e nos trejeitos dele. Foi uma dupla pesquisa”, explica.

As gravações de Guilherme aconteceram já durante a pandemia do novo coronavírus. Ou seja, alinhadas com a nova rotina de medidas de segurança nos Estúdios Globo. “Eram menos horas no set e menos cenas por dia”, fala. Para cumprir a agenda, fazia testes diários e cumpria isolamento. “No fim, nos adaptamos à nova realidade e o trabalho acabou ficando ainda mais consistente, com um tempo maior de construção e maturação dos personagens”, analisa ele, que estudou em Nova Iorque e também participou da série inédita “O Anjo de Hamburgo”, do Globoplay, na qual interpreta o líder nazista Hans Becker.

Publicidade