13 de agosto de 2022 Atualizado 17:51

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Celebridades

Essência local

A paraibana Isadora Cruz estreia no posto de protagonista como a batalhadora e engajada Candoca, de “Mar do Sertão”, na Globo

Por MÁRCIO MAIO - TV PRESS

30 de julho de 2022, às 09h47 • Última atualização em 30 de julho de 2022, às 09h48

A força do Sertão vai ter papel de destaque na próxima novela das 18h da Globo, “Mar do Sertão”. A trama marca a estreia de Isadora Cruz no posto de protagonista, apenas em seu segundo trabalho na emissora. Em 2016, ela deu expediente como a doce Cris de “Haja Coração”. Na trama, ela era irmã do romântico Felipe, vivido por Marcos Pitombo, que acabou se destacando pelo romance com a humilde e batalhadora Shirlei, interpretada por Sabrina Petraglia. Agora, Isadora será a sofrida Candoca, jovem que pensa ter perdido o noivo em uma tragédia bem no dia do casamento e, quando ele reaparece, vivo, ela já está casada com outro homem. “Ela é caridosa e justa, movida pelo amor, pela humildade e pela solidariedade. Sua narrativa não depende dos homens, ela trilha sua própria história”, adianta a atriz.

“Mar do Sertão” começa mostrando os noivos Candoca e Zé Paulino, papel de Sergio Guizé. Coronel Tertúlio, vivido por José de Abreu, manda Zé Paulino levar um cavalo até outra cidade bem na data em que está marcada a cerimônia de união do casal. Tertulinho, filho do fazendeiro interpretado por Renato Góes, está de volta à fictícia cidade Canta Pedra e, a pedido do pai, também participa desta viagem. Uma forte chuva, porém, provoca um acidente no qual Tertulinho consegue se salvar, mas Zé Paulino é dado como morto. Dez anos depois, então, o suposto defunto volta – e mais vivo do que nunca. “Apesar de viver uma história de amor linda, o que move Candoca é a caridade, é contribuir para uma realidade melhor e ajudar as pessoas a terem uma vida mais digna, apesar das condições tão precárias do Sertão”, avisa Isadora.

A principal intenção de Isadora é passar uma mensagem de amor com a novela. “Candoca salva a vida de uma cabra e de um cavalo que vão ser mortos. Ela exige um estudo de impacto ambiental quando vão construir uma represa na cidade. Defende causas que são muito importantes para mim e que, ao meu ver, são cruciais para que a gente possa viver em harmonia e evoluir juntos”, opina a intérprete, que é paraibana.

Isadora nasceu em João Pessoa, mas morou nos Estados Unidos quando criança e, antes de fechar com a Globo para protagonizar “Mar do Sertão”, investia na carreira internacional. Ela se destacou em “O Chapeleiro Louco”, filme estadunidense lançado em 2021, e participou também da comédia romântica “Men at Work – Miami”, lançada em 2020. Agora, no entanto, as atenções estão voltadas para o Brasil e, principalmente, para “Mar do Sertão”. “Fico cheia de esperança ao ver essa celebração da diversidade do povo brasileiro, que é a nossa maior riqueza! Para mim, é uma honra poder representar o Nordeste, a Paraíba, João Pessoa, através de uma personagem tão forte”, exalta.

A construção de Candoca, segundo Isadora, é um trabalho constante, diário e de grandes transformações. “Assisto a muitos filmes como referência, leio alguns livros que me inspiram e tento encontrá-la no meu íntimo e nas minhas próprias vivências”, explica. Na visão dela, Candoca há diversas semelhanças entre Candoca e sua própria intérprete. As gravações iniciais aconteceram no Sertão, o que também ajudou nesse processo. “Foi muito especial começar pela viagem no Nordeste. Nos imbuímos da energia mágica do Vale do Catimbau e de Piranhas, que nos inspirou muito e me ajudou na chegada da personagem. Tomei banho no Rio São Francisco e me senti ‘batizada’ de Candoca pelas águas”, derrete-se.

Publicidade