19 de setembro de 2021 Atualizado 08:37

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Na hora certa

Em meio à pandemia, Dudu de Oliveira celebra sua primeira novela

Em “Gênesis”, novela bíblica da Record, ele interpreta o arqueiro Abumani, que aos poucos se torna o melhor amigo de José, papel de Juliano Laham

Por Márcio Maio - Tv Press

12 set 2021 às 08:25 • Última atualização 12 set 2021 às 08:26

Para seu papel como arqueiro, Dudu também recebeu treinamento de arco e flecha, luta e equitação - Foto: Divulgação

O cenário da pandemia do novo coronavírus poderia até parecer pouco propício para uma conquista profissional tão grande. Aos 36 anos, com 15 deles dedicados à carreira artística, é justamente agora que Dudu de Oliveira comemora a primeira novela de seu currículo.

Em “Gênesis”, novela bíblica da Record, ele interpreta o arqueiro Abumani, que aos poucos se torna o melhor amigo de José, papel de Juliano Laham. “Fui chamado para fazer um teste – um processo que todos nós, atores, passamos para galgar uma oportunidade. Já havia tido outros antes. Mas, dessa vez, aconteceu”, comemora o ator, que nasceu em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Na trama, Abumani é o melhor arqueiro de uma família de guerreiros que acaba morta em uma batalha. Ele, então, é privado de sua liberdade e vendido, e acaba conhecendo José, que também é escravo. Por estarem em condição semelhante – o personagem-título da última fase do folhetim foi vendido pelos irmãos –, cria-se uma identificação entre os dois. “Busquei inspirações em produções que têm esse lugar épico, como ‘300’, ‘Gladiador’, ‘Spartacus’, ‘José do Egito’ e ‘Êxodo: Deuses e Reis’. E na energia dos atores do filme ‘Pantera Negra’. Gosto de personagens densos, desses que nos deixam desconfortáveis ao assistir”, conta.

Além disso, por se tratar de um guerreiro, Dudu também teve uma atenção especial com o físico. Primeiro, ele fez um trabalho com o ator e preparador Eduardo Silva, no qual buscou similaridades entre ele mesmo e o personagem. “A partir daí, busquei fonoaudióloga e venho me preparando com muay thai e boxe para ter o tônus muscular para o personagem”, explica ele, que também recebeu treinamento de arco e flecha, luta e equitação. Falar sobre o atual momento, aliás, parece ser motivo de orgulho.

“Me sinto grato por estar trabalhando nesse período, que vem sendo de dúvidas e dificuldades para muitos profissionais da área. É triste ver a Cinemateca de São Paulo pegando fogo, enquanto produtoras, teatros e cinemas fecham por falta de investimento”, pondera.

Raio-X

  • Nome completo: Carlos Eduardo dos Santos Oliveira.
  • Nascimento: 30 de agosto de 1985, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.
  • Atuação inesquecível: Abumani, em “Gênesis”, e Herói, no filme “Abestalhados 2”. “São papéis que me exigiram muito fisicamente e emocionalmente. Acredito que esses dois projetos serão divisores de água na minha carreira”.
  • Interpretação memorável: Daniel Kaluuya no papel de Chris, no filme “Corra!”, e como W’Kabi, em “Pantera Negra”.
  • Momento marcante na carreira: “O que estou vivendo agora. Deus está me dando a possibilidade de conhecer atores e atrizes que sempre admirei e, ao mesmo tempo, ver meu sonho se tornar realidade”.
  • O que falta na televisão: “Mais diversidade e oportunidades para que esses gêneros possam mudar suas narrativas, mostrando suas subjetividades”.
  • O que sobra na televisão: “O medo de arriscar. Acho tudo muito igual na tevê, mudam uma peça e ainda continua tudo muito parecido”.
  • Com quem gostaria de contracenar: Lázaro Ramos, Taís Araújo, Naruna Costa e Fabrício Boliveira, entre outros.
  • Se não fosse ator, seria: Jogador de futebol.
  • Ator: Wagner Moura.
  • Atriz: Zezé Motta.
  • Novela: “Avenida Brasil”, escrita por João Emanuel Carneiro e exibida originalmente pela Globo, em 2012.
  • Personagem mais difícil de compor: Abumani, em “Gênesis”.
  • Que novela gostaria que fosse reprisada: “Gabriela”, escrita por Walter George Durst e exibida originalmente pela Globo, em 1975.
  • Que papel gostaria de representar: O personagem-título de “Othelo, o Mouro de Veneza”, peça de William Shakespeare.
  • Filme: “Malcolm & Marie”, filme americano de drama escrito e dirigido por Sam Levinson, lançado neste ano pela Netflix.
  • Autor: João Emanuel Carneiro.
  • Diretor: Jeferson De.
  • Vexame: “Odeio vexames, sou muito reservado”.
  • Mania: “Preciso fazer meditações guiadas quando acordo e quando vou dormir, seguido de banhos de ervas e incensos. E gosto de estar sempre cheiroso! Adoro a sensação de leveza que tenho após esses rituais”.
  • Medo: “De morrer e não ter cumprido a minha missão na Terra”.
  • Projeto: “Trazer conforto para minha família e para mim”.

Publicidade