22 de outubro de 2021 Atualizado 15:15

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Celebridades

Dani Ornellas vive líder espiritual na trama inédita das seis

Atriz está envolvida com “Nos Tempos do Imperador” desde o ano passado

Por Caroline Borges / TV Press

17 set 2021 às 12:56

As aulas de História correm no sangue de Dani Ornellas. Filha de uma professora de História e Geografia, a atriz de 43 anos ouvia em casa sobre os detalhes que envolvem o período do império de Dom Pedro 2, contexto histórico que está inserida a trama de “Nos Tempos do Imperador”.

Dani Ornellas está envolvida com “Nos Tempos do Imperador” desde o ano passado .JPG – Foto: Divulgação

No elenco do enredo assinado por Alessandro Marson e Thereza Falcão, Dani tem a chance de dar vida a uma personagem que não encontrava nos livros escolares, mas sim nas conversas que tinha com sua mãe longe da sala de aula. “Meus colegas pesquisaram sobre seus personagens e, ainda assim, tiveram lacunas que não foram preenchidas. E eu? Vivo uma personagem que não está nos livros de História. Minha mãe fazia questão de falar: ‘Isso está nesse livro, mas essa obra não tem sobre essas pessoas aqui’. Onde está Tereza de Benguela? Ela liderou um quilombo com mil pessoas. Onde está a história dessa mulher? Por que não cresci ouvindo, lendo e aprendendo sobre isso?”, afirma Dani, que vive Cândida no folhetim das seis.

Na trama, Cândida é a líder espiritual da Pequena África, uma comunidade negra estabelecida no Rio de Janeiro. Casada com Dom Olu, papel de Rogério Brito, ela é mãe da venenosa Zayla, de Alana Cabral. Acolhe Jorge/Samuel, vivido por Michel Gomes e fica muito próxima dele e de Pilar, de Gabriela Medvedovski.

“Fazer a Cândida é viver histórias que ficaram perdidas, não foram contadas. São histórias minhas também. Fico feliz de estar nesse projeto e ser uma referência para crianças e adultos. Não descendemos de escravos. Temos uma história antes disso. Viver a Cândida é dar voz e corpo para essas histórias que não estão nos livros”, valoriza.

Para mergulhar no período governado por Dom Pedro 2, vivido por Selton Mello, Dani tem contado com o auxílio do figurino luxuoso assinado por Beth Filipecki. Apesar de ter ficado encantada com as peças de seu guarda-roupa, a atriz confessa que tem tido dificuldades para se locomover nos bastidores pela quantidade de saias e tecidos.

“O figurino traz muito da nossa cultura. Tem muito macramê, por exemplo. A parte de cima é bem leve, com ombros de fora, mas a parte de baixo tem quatro ou cinco saias (risos). É difícil de ir ao banheiro, as rendas prendem nos equipamentos de estúdio. Não é simples de vestir, mas tem uma riqueza de detalhes incrível”, aponta.

De folga das novelas desde uma participação em “Órfãos da Terra”, Dani está envolvida com “Nos Tempos do Imperador” desde o ano passado. A novela teve os trabalhos interrompidos por conta da pandemia de Covid-19. Apesar da retomada das gravações no final de 2020, a atriz só teve contato com suas primeiras cenas próximo da estreia na tevê.

“Eu não tinha visto quase nada da novela desde o início de tudo. Fiquei muito impactada quando vi as primeiras cenas. Fiquei arrepiada e com os olhos cheios d’água. Me emocionava ouvir todo mundo falar sobre o trabalho. É um projeto muito bonito e tenho bastante orgulho”, elogia.

Publicidade