22 de outubro de 2021 Atualizado 18:22

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Celebridades

Cris Vianna emplaca mais trabalho nas reprises da pandemia

Assim como diversos atores, Cris tem certa dificuldade de assistir às próprias cenas sem ficar se avaliando

Por Márcio Maio / TV Press

17 set 2021 às 12:56

A pandemia do novo coronavírus atravessou a agenda profissional de Cris Vianna. A atriz teve de parar com a peça “Quando a Gente Ama”, que retrata fases da vida pessoal e profissional do sambista Arlindo Cruz, logo depois que estreou no Teatro Porto Seguro, em São Paulo. Também teve adiadas as filmagens de um longa e aguarda, até agora, a gravação de uma série.

Assim como diversos atores, Cris Vianna tem certa dificuldade de assistir às próprias cenas sem ficar se avaliando.JPG – Foto: Divulgação

No entanto, em função das reprises necessárias na grade Globo – pela paralisação inicial dos trabalhos nos estúdios da emissora -, não chegou a ficar muito tempo fora do ar. Primeiro, apareceu como a batalhadora Dagmar de “Fina Estampa”, no ano passado. Além disso, desde abril, aparece como a exuberante Juju de “Império”, atualmente exibida em edição especial na faixa das 21h. “Está sendo ótimo rever. Estou adorando! A repercussão está sendo muito positiva. Recebo mensagens todos os dias, principalmente, na hora em que a novela está passando”, comemora.

Juju já viveu altos e baixos na trama. No começo, era casada com Orville, personagem de Paulo Rocha. Mas foi traída pelo marido na época em que ele estava preso, flagrando-o com a advogada golpista Carmen, vivida por Ana Carolina Dias. Atualmente, no entanto, ela já está refazendo a vida, se relacionando com o preparador físico Arnoldão, interpretado por Raphael Vianna. E foi coroada a rainha de bateria da Unidos de Santa Teresa, escola de samba da novela. “Na época, tudo na Juju chamou a minha atenção. Amei interpretar essa personagem. Hoje, depois de tantas mudanças e avanços, fico me perguntando como ela seria. Com certeza, eu faria de outra forma. Faz parte do processo”, avalia.

Cris não tem dúvidas sobre que cena ficou mais marcada em suas lembranças de “Império”. E o público já teve a chance de rever, porque a sequência foi exibida em maio nesta edição especial. “Foi a cena em que a Juju flagra o marido a traindo, na porta da cadeia. Uma sequência marcante, boa dentro da trama. Acho que refletiu e reflete muitas histórias da vida real”, conta a atriz, que sente saudades de todos os colegas com quem mais contracenava na época. “O clima era sempre bastante divertido. Todos eram muito generosos e tínhamos uma troca muito boa em cena”, valoriza.

Porém, assim como diversos atores, Cris tem certa dificuldade de assistir às próprias cenas sem ficar se avaliando. “Eu adoro poder rever meus amigos em cena e me lembrar dos momentos que vivemos. Mas também sou muito autocrítica comigo”, entrega. Ter participado de duas das três novelas reprisadas pela Globo na faixa das 21h nesse período de pandemia é motivo de orgulho. O que não significa que outros papéis que teve na carreira não tenham sido importantes para ela. “Acho que todos os personagens que interpretei marcaram minha trajetória de certa forma. Sou bem feliz com as escolhas que fiz e muito grata a todos os autores que também me escolheram”, diz.

Se na novela Juju se dedica intensamente ao Carnaval, fora da ficção a situação é outra. Cris não desfila há alguns anos, apesar de considerar a festa uma das mais lindas que existem no mundo. O último, até em função da pandemia, foi passado em casa mesmo. “Não viajei, nem saí para lugar nenhum. Para o próximo ano, espero que o mundo esteja vacinado e que, em breve, possamos voltar ao normal”, torce a paulistana, que tem 44 anos e chegou a ser diagnosticada com covid-19. “Graças a Deus, me curei sem maiores problemas. Independentemente disso, continuo com bastante cuidado, atenção e com a esperança de que tudo isso passe logo”, finaliza.

Publicidade