13 de agosto de 2022 Atualizado 22:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Celebridades

Conflitos de época

Vitória Fallavena dá vida a uma comunista que sofre perseguição política em “Além da Ilusão”, na Globo

Por MÁRCIO MAIO - TV PRESS

04 de agosto de 2022, às 10h02

A estreia em novela de Vitória Fallavena exigiu uma boa dose de coragem. A atriz de 25 anos encarna, em “Além da Ilusão” à destemida Mércia, uma perseguida política pela polícia de Getúlio Vargas na década de 1940 uma personagem que a gaúcha sabe que mudará sua trajetória profissional daqui em diante. “Ter a possibilidade de ver meu trabalho alcançar mais pessoas sempre foi um sonho”, assume ela, que chegou a fazer participações especiais em “Bom Sucesso”, na Globo, em 2019; em “Amor Sem Igual”, na Record, em 2020; e na série “As Seguidoras”, disponível para os assinantes da plataforma de streaming Paramount+ neste ano.

Na pele de uma fugitiva política comunista, Vitória não esconde sua empolgação por poder explorar um papel que luta tanto pelas causas nas quais acredita. E isso inclui a paixão proibida entre o primo dela, Tenório, e a ativista Olívia, vividos por Jayme Matarazzo e Debora Ozório. “Mércia é observadora, curiosa e sensível. De cara, ela percebe o sentimento que existe entre eles e os encoraja a sentir e viver esse amor. Para Mércia, não existe amor errado quando o sentimento é verdadeiro”, defende.
Para o trabalho, Vitória recorreu a filmes relacionados com a época da novela, como “Olga”, “As Sufragistas” e “O Capitão Corelli”. Além disso, teve encontros com as preparadoras de atores Marina Rigueira e Thaís Mansano. “Dar vida e tornar verdadeira a uma realidade distinta da sua, cultural, política e comportamental, é muito complexo. Mas, ao mesmo tempo, interessante e instigante”, valoriza.

Nome completo: Vitória Fallavena Theisen.

Nascimento: 25 de janeiro de 1997, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Sua atuação inesquecível: Mércia, em “Além da Ilusão”.

Interpretação memorável: Kate Winslet como Mare Sheehan na série “Mare of Easttown”, da HBO.

Momento marcante na carreira: “O meu momento atual e também quando atuei em um solo criado para homenagear meu falecido mestre, Cico Caseira”.

O que falta na televisão: “Mais cenas minhas (risos). Brincadeiras à parte, acho que estamos bem melhores nisso, mas histórias que abordem a diversidade em protagonismo”.

O que sobra na televisão: Talentos.

Com quem gostaria de contracenar: Fernanda Montenegro e Wagner Moura.

Se não fosse atriz, seria: Diretora. “Espero ainda ser um dia”.

Ator: Leonardo DiCaprio.

Atriz: Kate Winslet.

Novela: “Alma Gêmea”, escrita por Walcyr Carrasco e exibida originalmente pela Globo entre 2005 e 2006.

Vilão marcante: Carminha, personagem de Adriana Esteves em “Avenida Brasil”, novela de João Emanuel Carneiro, exibida originalmente pela Globo em 2012.

Personagem mais difícil de compor: “A personagem do momento, quando você está a descobrindo”.

Que novela gostaria que fosse reprisada: “Alma Gêmea” ou “Beijo do Vampiro”, esta última escrita por Antônio Calmon e exibida originalmente pela Globo entre 2002 e 2003.

Que papel gostaria de representar: “Adoraria um personagem desafiador, como o Curinga”.

Filme: “Moulin Rouge – Amor em Vermelho”, de Baz Luhrmann, lançado em 2001.

Autor: “Não tenho um predileto. Mas, no momento, estou viciada em Taylor Jenkins Reid”.

Diretor: Tim Burton, Steven Spielberg e Greta Gerwig.

Vexame: “Já entrei em um carro, sentei no banco e disse ‘oi pai’. Só então vi que não era o carro certo e saí de fininho”.
Mania: “Sou viciada em limpeza. Adoro limpar a casa para desestressar”.
Medo: “De andar de avião. Eu faço, mas sempre fico nervosa”.
Projeto: “No momento, um curta-metragem que escrevi e irei dirigir com meu amigo Thassilo Weber”.

Publicidade