05 de junho de 2020 Atualizado 22:27

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Programa

‘A Culpa é da Carlota’: humor em mesa de mulheres

Programa é versão feminina de “A Culpa é do Cabral” e estreia nesta segunda-feira, dia 3 de fevereiro, no Comedy Central

Por TV Press

02 fev 2020 às 08:26

O espaço da mulher no mercado de trabalho e, por consequência, na sociedade tem sofrido profundas mudanças. Em busca de melhores posições profissionais e de equiparação salarial, as mulheres têm brigado e assumido mais cargos de chefia e maior destaque. No universo do humor não é diferente. Há alguns anos, as mulheres têm liderado grupos de comédia, subvertendo antigos padrões. Não à toa, o Comedy Central coloca as humoristas no centro do palco na estreia de “A Culpa é da Carlota”, versão feminina do programa “A Culpa é do Cabral”, que estreia amanhã, dia 3 de fevereiro.

Originalmente, o formato é inspirado na série latina “La Culpa és de Colón”, que reúne diversos comediantes da América Latina. “A gente sempre trouxe essa vertente de brincar com as diferenças. Como já havíamos feito algumas temporadas com os meninos, algo me dizia que, a partir do olhar feminino, o programa podia ser diferente. Ver esses debates através de vozes femininas vai ser muito diferente e legal. Essa é nossa grande aposta”, defende Roger Carlomagno, diretor de produção e desenvolvimento da Viacom CBS.

Foto: Divulgação
A temporada vai abordar as particularidades regionais do Brasil, seus problemas, costumes e características marcantes, sob uma perspectiva sarcasticamente feminina

Primeira mesa redonda do humor para a televisão com o elenco 100% feminino, o programa irá reunir expoentes da comédia brasileira de diferentes regiões do país: Cris Wersom, de São Paulo, Arianna Nutt, de Alagoas, Bruna Louise, do Paraná, Carol Zoccoli, do Mato Grosso, e Dadá Coelho, do Piauí.

Com 13 episódios, a temporada vai abordar as particularidades regionais do Brasil, seus problemas, costumes e características marcantes, sob uma perspectiva sarcasticamente feminina. “Humoristas fazem humor e é esse nosso objetivo.

O que muda é que o dia a dia, pensamentos, vivência e opiniões são de mulheres. E só”, afirma Arianna, que foi a última comediante a integrar o elenco do projeto. “Faltava uma humorista e, para representar o Nordeste, já tinha a Dadá Coelho. Acredito muito em energia. Eu acreditei e foi por isso que veio para mim e, claro, pelo meu trabalho realizado há oito anos no humor”, completa.

Trabalhando com humor há 12 anos, Carol Zoccoli ressalta como as mulheres ainda esbarram em situações machistas dentro da comédia.

“Sempre que mulheres comediantes são entrevistadas, precisam falar sobre como é ser mulher no humor. A comédia é um ambiente majoritariamente masculino, então situações tidas como machistas podem acontecer. Já aconteceu comigo e com a grande maioria das comediantes. No entanto, me pergunto, se a maneira mais efetiva de solucionar essas pequenas agressões não seria começarmos a falar exclusivamente do nosso trabalho, para sermos vistas como comediantes e não como ‘mulheres que fazem humor’”, aponta.

Cenário diferenciado

Diferentemente de “A Culpa é do Cabral”, a produção feminina terá um cenário com cores mais fortes, símbolos e elementos no próprio palco. A dinâmica da produção contará com 40 quadros inéditos, com conteúdo variado, interações com a plateia e jogos.

“Para ‘A Culpa é da Carlota’, fomos atrás de mulheres que enxergassem o mundo, suas vidas e suas experiências de forma muito engraçada. Além disso, essas visões tinham de ser diversas. Teríamos de ter pessoas não só de regiões diferentes, mas com experiências diferentes. Por exemplo, a visão da Bruna Louise, que tem uma experiência do Sul do Brasil, é diferente da visão da Carol Zoccoli, que mora fora do País há um bom tempo, apesar de ter se formado aqui”, explica.