Salesópolis, a nascente do Rio Tietê

Importante instrumento na colonização do Brasil, algumas pessoas ainda desconhecem que há diversos trechos despoluídos


Foto: Divulgação
O município, que abriga a nascente do Rio Tietê, é uma tranquila cidade do Estado de São Paulo

Famoso por marcar a geografia urbana da maior cidade do País, o Rio Tietê possui 1010 km de extensão e cruza praticamente todo o Estado de São Paulo, de leste a oeste. Todo rio tem como destino chegar ao mar, mas o Tietê faz um longo caminho para isso. Sua nascente fica a apenas 22km do litoral, mas sua vegetação o “obriga” a subir a serra e desembocar no rio Paraná, para só então cumprir o seu destino.

Foi um importante instrumento na colonização do Brasil por possuir solo rico e fértil, atraindo populações que se arrumaram em vilas e servindo de meio para a locomoção de índios e bandeirantes.

Mas, quando se fala dele, a primeira imagem que vem à nossa mente é de poluição, situação que vive em um trecho. Algumas pessoas ainda desconhecem que há diversos trechos despoluídos; cerca de 120km estão poluídos, o restante está completamente limpo. A cidade de Salesópolis, que abriga a nascente deste importante rio, é uma tranquila cidade de São Paulo considerada Estância Turística por suas belezas naturais e história.

Parque das nascentes

Foto: Divulgação
É possível conhecer os processos de como a energia é feita e como isso mudou a história da região

 

O local teve sua flora original completamente destruída, mas apresenta agora uma floresta secundária e é uma área tombada, protegida. O parque abriga, além da nascente, um museu sobre o rio e amostras de água das diferentes cidades que percorre. Através de uma pequena trilha podemos observar um pequeno laguinho de onde a água sai por meio das pedras e do chão e vai descendo, encontrando pelo caminho outras nascentes e crescendo, até virar o enorme rio que conhecemos.

Usina Parque

Inaugurada em 1914, a usina hidrelétrica chegou a ser fechada por más condições e posteriormente reativada, hoje fazendo parte do sistema energético paulista. Possui também um museu aonde é possível conhecer os processos de como a energia é feita e como isso mudou a história da região. Através de uma escadaria de quase 300 degraus, chegamos a um incrível mirante que mostra toda a região ao lado da represa.

Barragem de Ponta Nova

Foto: Divulgação
Dentro de seu território está localizado o Radar Meteorológico e podemos aproveitar para fazer caminhadas

Dentro de seu território está localizado o Radar Meteorológico e podemos aproveitar para fazer caminhadas com uma vista panorâmica de tirar o fôlego, além de mais um pouco de conhecimento sobre o sistema de comunicação entre as barragens.

Fonte: arterraturismo.com.br

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora