Rise of the Resistance, um sucesso do Galaxy’s Edge

Inaugurada em dezembro, a atração Rise of the Resistance leva os visitantes para dentro do universo da saga Star Wars criada por George Lucas


O espaço Rise of the Resistance (algo como “Levante da Resistência”) integra o Galaxy’s Edge, complexo aberto em agosto deste ano no Hollywood Studios, parque em Orlando – em maio chegou à Disneylândia, na Califórnia. É ali que fica o fictício planeta Batuu (criado especialmente para a atração), um porto fora da rota do hiperespaço que se tornou local para contrabandistas, traficantes e aventureiros. Além de turistas e fãs dos filmes, claro.

No Rise of the Resistance, os visitantes fazem parte de uma tropa da Resistência, insuflada por Rey (protagonista dos últimos filmes da série) e o simpático robozinho BB-8, que tenta fugir de naves da Primeira Ordem sem sucesso, mesmo com a ajuda de Poe Dameron. Eles são capturados e levados para um Star Destroyer. Lá, são recepcionados por uma fileira de 50 Stormtroopers parados em frente a um telão de última geração maior que o de salas de cinema. O impacto desta nada amistosa recepção, com estrelas e naves passando no telão, fazem você se sentir mesmo dentro deste universo.

Foto: Divulgação
Os hóspedes se esquivam de enormes canhões turbolaser enquanto tentam escapar de um Destróier Star da Primeira Ordem como parte de Star Wars: Rise of the Resistance

Após essa espécie de condução coercitiva, fica-se em uma sala de interrogatório por uns dois minutos, tomando bronca do líder da Primeira Ordem, General Hux, até ser resgatado por três rebeldes liderados por Finn, braço direito de Rey.

O animatronic do ator John Boyega, que dá vida a Finn, é tão perfeito que em um primeiro momento parece mesmo que é uma aparição especial do ator. Um carrinho com os visitantes rebeldes vai e volta pelo complexo, de frente, de ré, passando por canhões, telas gigantes – que mostram uma batalha espacial com a maior resolução de imagem que você já viu na vida -, até ficar frente a frente com o temido Kylo Ren, vilão da última trilogia.

Foto: Divulgação
Rise of the Resistance

O filho da Princesa Leia e Han Solo liga seu errático sabre de luz em forma de cruz e segue atrás do comboio, cortando o teto e usando a Força para puxar os carrinhos.

A conclusão dos cerca de 20 minutos que se demora para cruzar toda a atração não poderia ser mais épica. Ao finalmente escapar de Kylo Ren, a nave vai para um hangar de fuga. Mira para o espaço (mais uma tela de altíssima definição), despenca por uns dois metros, e um simulador entra em ação oferecendo a perspectiva de uma fuga em meio a uma guerra nas estrelas, em muita velocidade, com desvios de explosões e subidas e descidas até chegar a um planeta fora do radar da Primeira Ordem em segurança.

DETALHES DO PLANETA BANTU

1. Pernas da nostalgia

As réplicas dos AT-AT dentro da atração são um “fan-service” muito importante e vai agradar mesmo os não iniciados na saga pelo nível de detalhes.

Foto: Divulgação
Rise of the Resistance

2. Defesa da Resistência

O animatronic do comandante da raça Mon Calamari do início da atração é muito bem feito. É ele que organiza a rendição da nave rebelde para a Primeira Ordem.

3. Canhões prontos

Os canhões em movimento, que atiram pelo espaço, são impressionantes. A resolução das telas é absurda. Os visitantes se sentem na batalha.

4. Encontros com Kylo Ren

Na sala de interrogatório, o General Hux dá as cartas, mas é a presença de Kylo Ren que causa incômodo. A intenção da dupla era um interrogatório, mas isso não sai como o planejado. Mais à frente, há outro encontro com o vilão: ao perceber que os rebeldes fugiram, Kylo Ren começa uma caça desenfreada pela nave O som de seu sabre de luz sendo ligado congela a espinha.

Foto: Divulgação
Rise of the Resistance

Próximas novidades

Depois da inauguração de Rise of the Resistance no Hollywood Studios, a empresa se prepara para lançar, em 2021, o Galactic Starcruiser, um hotel todo baseado na saga Star Wars, com aspecto de nave espacial. Ele integra o rol das grandes novidades que a Disney vai inaugurar até 2021.

Mistura alienígena: Menu digno de um Jedi

Por mais que estejam mais preocupados em salvar o mundo da Primeira Ordem, rebeldes da Resistência também sentem fome e sede. Para suprir a necessidades deles (e de todos os visitantes do Hollywood Studios), o complexo Star Wars: Galaxy’s Edge tem uma série de comidinhas diferentes, todas temáticas, dentro do Black Spire Outpost.

Foto: Divulgação
Rise of the Resistance

Na concorrida Oga’s Cantina, um robô DJ, o R-3X, é o responsável por escolher a trilha sonora. Há uma seleção de drinques, alcoólicos e não alcoólicos, para agradar a todas as idades. O mais popular entre a criançada é o Jabba Juice, que leva abacaxi, kiwi, melão, mirtilo e ovos de Worrt, uma espécie de sapo espacial que fica em um aquário, numa área bem visível. Custa US$ 6,50 e é bem refrescante.

Para os adultos, a pedida é o Bloody Rancor, servido aos fortes pela manhã – leva vodca, licor de pimenta, mix de Bloody Mary picante e um biscoito de osso de Rancor, o monstro que vive no calabouço de Jabba The Hutt, o asqueroso alienígena que escraviza a Princesa Leia em O Retorno de Jedi. Custa US$ 17.

Outro clássico é o Milk Stand, que serve os leites azul e verde que ficaram famosos nas mãos de Luke Skywalker nos episódios IV (Uma Nova Esperança) e VIII (Os Últimos Jedi). Eles são vendidos em versões frozen (bem doces) e alcoólicas, sempre com base de coco e leite de arroz. E com rum (azul) e tequila (verde). Custam US$ 7,99 sem álcool e US$ 14 com álcool.

Foto: Divulgação
Rise of the Resistance

Sabores variados

Dentre as comidinhas, a sugestão para um dia cansativo de parque é algo um pouco mais forte, como o Ronto Wraps servido no Ronto Roasters. Muito saboroso, mas bem picante, tem carne de porco assada, salsicha grelhada, molho de pimenta e pão pita. Sai por US$ 12,99.

O mesmo local tem como sobremesa o Oi-oi Puff, um gostoso creme de framboesa com mousse de maracujá, vendido por US$ 6,49. Porém, uma das comidas mais inusitadas da atração é o Outpost Mix, um saquinho que combina pipocas doces e salgadas, também vendido por US$ 6,49. Elas são para serem comidas juntas, para criarem uma explosão de sabor.

Ícones do Galaxy Edge

l – Droid Depot

No local, os visitantes montam seus próprios droids, que podem ser réplicas do R2-D2 ou do BB-8, ou no formato que preferir. As cores também são bem variadas. Basta escolher as peças que ficam circulando por uma esteira e ir para a mesa de montagem, com parafusadeiras elétricas. É bem fácil montar. Para levar o droid para casa, é preciso gastar US$ 99.

2 – Oga’s Cantina

O bar-balada de Batuu serve drinques e bebidas (para adultos e crianças) animado pelo DJ robô R-3X. O balcão é bem grande e há mesas ao redor. Ponto perfeito para descansar ou baixar a adrenalina após os simuladores.

3 – Sabre de luz

É possível montar o seu sabre de luz na atração. Ele custa US$ 200 e pode ser uma réplica dos usados por Luke, Vader, Windu, Rey ou Yoda. Há toda uma bela encenação antes da montagem que vale a pena ser vista.

4 – Seja um Jedi

Há uma loja no mercado que vende as roupas oficiais dos personagens, como a túnica dos Jedi. Há até o traje completo usado por Rey, que é sucesso entre criançada. As roupas custam em média US$ 120.

5 – Loja de pets

No Criature Stall, você pode adotar um bichinho de uma galáxia distante. Os Porgs são os mais fofos, mas fazem muito barulho. Os mais divertidos são os Kowakian, chamados também de macacos do espaço. Eles são os bichinhos falantes que ficam na barriga do Jabba.

6 – Millenium Falcon

A nave mais famosa de Star Wars está no centro do Galaxy’s Edge. No simulador Smugglers Run, os visitantes viram pilotos, atiradores e engenheiros da Millenium em uma missão de contrabando Crianças e adultos realizarão atividades imersivas como visitar a cabine de comando da espaçonave.

Poderão também fazer treinamentos com um sabre de luz e até tirar fotos e interagir com personagens como Chewbacca e os Stormtroopers. Droids e membros alienígenas da tripulação também estarão circulando. Um fato interessante é que todas as janelas do hotel serão telas, que passarão imagens do espaço.

– Mickey and Minnie’s Runaway Railway

No dia 4 de março de 2020, Mickey e Minnie terão uma montanha-russa só para eles, com temática de cartoon dos anos 60. Assim como a área dedicada a Star Wars, a atração também ficará no Hollywood Studios. De acordo com a Disney, o visitante deverá estar preparado para “reviravoltas inesperadas, diversões imensas e transformações impressionantes em cada curva enquanto Mickey e Minnie tentam salvar o dia”.

– Tron Lightcycle Run

Sucesso desde 2016 na Disneylândia de Xangai, na China, a montanha-russa do filme Tron será lançada também nos Estados Unidos, mais especificamente na área temática Tomorrowland do parque Magic Kingdom – as obras já começaram.

Ela seguirá o mesmo projeto chinês, com estrutura de aço e lightcycles (as motos características do filme Tron) individuais para cada visitante. A estreia está prevista para 2021 como parte das comemorações dos 50 anos da Walt Disney World, em Orlando.

Locações pelo mundo

Não é só em Orlando que um fã de Star Wars encontra diversão. Conheça algumas locações da série no mundo:

– Jordânia
O Deserto de Wadi Rum, na Jordânia, tem vales, cânions e dunas. A paisagem aparece em A Ascensão Skywalker.

– Tunísia
O planeta Tatooine, em A Ameaça Fantasma, não fica longe: teve nome e visual inspirado em lugares da Tunísia. Em Uma Nova Esperança, a casa de Luke Skywalker fica em Matmata, com cenas no Hotel Sidi Driss.

– Guatemala
A base da Aliança Rebelde em A Ameaça Fantasma foi montada nos templos de Tikal, antiga cidade maia.

– Estados Unidos
Um ponto crucial de O Retorno de Jedi teve como cenário o Redwood National Park, parque na Califórnia. Lá, foi filmada a Batalha de Endor, início da queda do Império.

– Itália
Para visitar o esconderijo por onde passaram (e se casaram) Anakin Skywalker e Padmé Amidala em Ataque dos Clones, o destino é a Itália, na Villa del Balbianello, com vista para o Lago de Como.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora