Rio de Janeiro celebra 454 anos em ritmo de carnaval

Principal destino turístico internacional do Brasil, a "Cidade Maravilhosa" aniversaria em clima de folia total nesta sexta-feira


Com uma “Paisagem Carioca entre a Montanha e o Mar” reconhecida pela UNESCO como patrimônio cultural mundial e ostentando o título de Capital Mundial da Arquitetura, o Rio de Janeiro comemora 454 anos nesta sexta-feira (1º).

A aniversariante é conhecida internacionalmente por diversos ícones culturais e paisagísticos, como os morros do Pão de Açúcar e da Urca, interligados pelo Bondinho desde 1912; o Pico do Corcovado, com a estátua do Cristo Redentor; além de outros atrativos do Parque Nacional da Tijuca como o Bico do Papagaio, Pedra da Gávea, Dois Irmãos e Vista Chinesa.

Foto: Divulgação
Bondinho Pão de Açúcar é um dos atrativos turísticos da Cidade Maravilhosa

As praias do Leme, Copacabana, Arpoador, Ipanema, Leblon, São Conrado, Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes – cartões postais da cidade – integram-se à paisagem urbana, assim como as lagoas da Tijuca, Marapendi, Jacarepaguá e Rodrigo de Freitas. A lista de atrativos culturais, arquitetônicos e paisagísticos é longa, desde a ilha de Paquetá, na Baia da Guanabara com a ponte Rio-Niterói, até várias fortificações, como o Forte de Copacabana.

Têm as igrejas da Candelária, da Glória, o Mosteiro de São Bento e a Catedral de São Sebastião, em forma de cone; o Estádio do Maracanã, os Arcos da Lapa, o Theatro Municipal, inspirado na Belle Époque parisiense; a Quinta da Boa Vista, a Biblioteca Nacional, o moderno Museu do Amanhã, a Marina da Glória, o Aterro do Flamengo, a Enseada de Botafogo, o Porto Maravilha e o Boulevard Olímpico.

Foto: Divulgação
Cristo Redentor, no Rio de Janeiro

Entre os palácios destacam-se o Catete, Guanabara e Tiradentes. Já as festas e ritmos populares vão do réveillon de Copacabana ao carnaval, passando pela Bossa Nova e o samba. A cidade foi fundada por Estácio de Sá, em 1565, na atual Fortaleza de São João, entre os morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, depois de mais de 10 anos de ocupação francesa, nas margens da baía de Guanabara.

A baía havia sido descoberta pelos portugueses em janeiro de 1502, daí o nome da cidade. É que a região lembrava a foz de um rio. O povoado de “São Sebastião do Rio de Janeiro”, em homenagem ao padroeiro, São Sebastião, comemorado em 20 de janeiro, foi transferido para o Morro do Castelo, no centro da cidade, removido em 1922 durante uma reforma urbana.

Foto: Bruna Prado / Ministério do Turismo
Museu do Amanhã

O Túnel Velho entre Botafogo e Copacabana e o Hotel Copacabana Palace, construído em 1923, expandiram o turismo para a zona sul da cidade, além da inauguração do Cristo Redentor, em 1931, tornando-se um dos cartões postais do Rio e do Brasil.

Durante 197 anos, o Rio de Janeiro foi a capital da colônia, império e república (1763-1960). A cidade também foi sede da Coroa de Portugal (1808 – 1821), quando a corte portuguesa desembarcou no Brasil com cerca de 15 mil nobres, fugindo de Napoleão. É dessa época, por exemplo, atrativos como a Biblioteca Nacional, o Museu Nacional e o Jardim Botânico.

Um passeio a pé pelo centro histórico e zona portuária leva o turista por vários pontos turísticos que remontam os três períodos da história do Brasil. O Cais do Valongo, também considerado patrimônio mundial da UNESCO, ainda guarda vestígios do tráfico de escravos, e faz parte do roteiro turístico da cidade que a mais de quatro séculos e meio é a síntese cultural e espelho do Brasil. Que tal fazer um roteiro para desbravar a aniversariante em ritmo de festa?

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!