Ilhabela: belezas naturais e programação cultural

Além das praias, ecoturismo e festivais são alternativas para conhecer a cidade do litoral paulista e se encantar em qualquer estação do ano


Conhecida como a capital nacional da vela, Ilhabela fica a 210 quilômetros da capital paulista. A cidade também ganhou fama graças as suas belíssimas 42 praias e cerca de 100 cachoeiras. Apesar de ser um destino mais lembrado no verão por esses motivos, a Ilha conta com uma série de atividades durante o ano todo.

“Nosso polo ecoturístico é bem forte. Temos uma série de trilhas por toda a cidade”, conta a turismóloga da Prefeitura de Ilhabela, Elen Penha Fiel. “Vale a visita, por exemplo, na Trilha Água Branca, que fica dentro do Parque dos Castelhanos. Lá, temos 5 poços de água cristalina”, conta.

Foto: Miguel Schincariol / Governo de São Paulo
Na parte sul da ilha, a Praia da Feiticeira é excelente para quem busca tranquilidade e gosta de esportes náuticos

Ainda de acordo com a turismóloga, a cidade tem investido cada vez mais em atrações temporárias para atender a demanda do público. “Aos amantes de frutos do mar, temos o Festival da Sardinha e o Festival do Camarão”, diz.

“A cidade oferece também visitas programadas nas comunidades caiçaras locais”, complementa a turismóloga. Essas comunidades trazem uma rica história regional para os turistas que querem entender mais como vivem a população local.

“Ao final de cada estação, temos promovido também o Ilhabela Sunset, no centro histórico da cidade”, conta o responsável pelo setor de eventos Atílio Raimundo de Paula. O próximo encontro está com data marcada para os dias 21, 22 e 23 de junho.

“Nossa principal fonte de renda é o turismo e essas opções nos ajudam na divulgação da Ilha e também mantêm e economia regional”, explica.

Vela e mergulho

Sem deixar, as atrações de verão para trás, vale destacar a Semana da Vela de Ilhabela, considerada a mais importante do gênero na América Latina. A Ilhabela também é muito procurada por mergulhadores e é conhecida como paraíso do mergulho em naufrágios.

Entre as embarcações afundadas, estão os cargueiros brasileiros “Aymoré” (1920), “Therezina” (1919) e “Atílio” (1905), o britânico “Whator” (1909), e o espanhol “Príncipe das Astúrias” (1916), um luxuoso transatlântico que afundou em uma terça-feira de carnaval.

Quem busca apenas curtir a tranquilidade do mar, as pedidas são as praias da Feiticeira e do Siriúba. A primeira fica a pouco mais de 200 metros da estrada principal, na parte sul da ilha, e é excelente para a prática de mergulho e kitesurf, esporte em que se pode deslizar sobre a água em uma prancha pequena puxada por uma pipa.

No lado norte fica Siriúba, praia de apenas 500 metros, que em dias de vento também é muito procurada por praticantes do esporte.

“Sempre que preciso recarregar as energias, venho para cá”, conta a turista Iranildes Farias. “Desde que vim há 3 anos, não parei mais. Pelo menos, um final de semana por ano vou garantir que seja por aqui”, afirma.

Para o amigo que apresentou a Ilha à Iranildes, em 2016, mais que a beleza natural, o local tem opções de lazer com diferentes propostas.

“Cada vez que eu vou para Ilhabela, tenho uma experiência diferente. Já fui em alta e baixa temporada. Tem opções para família, casais e grupo de amigos”, diz Bruno Santos. “Da última vez, optei por uma vibe mais tranquila e é uma opção legal para fugir do estresse de São Paulo”, afirma.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora