Esquiando nos Estados Unidos

A Aspen Mountain é reservada aos esquiadores intermediários, avançados e experts


Lá se foram dois meses e meio desde o início da temporada de esportes de inverno nos resorts dos Estados Unidos. Em média, as pistas abriram no começo de dezembro. Mas ainda há muita neve para rolar debaixo de esquis e snowboards no país, com o encerramento das atividades previsto para abril. E com vantagens: os pacotes costumam ser descontados no finalzinho de fevereiro e ao longo do mês de março.

Para quem precisa economizar, as semanas finais da temporada podem ter uma relação custo-benefício favorável. A badalada Aspen e em sua vizinha Snowmass, no Estado do Colorado, formam um destino único, com quatro montanhas e opções de diversão tanto para famílias quanto para quem está em busca de agitação.

Novo hotel, residências para aluguel de temporada, praça com rinque de patinação e lareiras ao ar livre, além de mais opções gastronômicas, esperam os visitantes na base da montanha Snowmass. O destino, em meio às Montanhas Rochosas, encerra a temporada de neve apenas em 22 de abril.

A partir de meados de março, além dos preços mais em conta, as temperaturas também são menos geladas. Além disso, é um paraíso para esquiadores iniciantes, que contam com uma grande quantidade de pistas verdes (as mais fáceis) na montanha Buttermilk, a menos íngreme, e em Snowmass.

Foto: Divulgação
A Aspen Mountain é reservada aos esquiadores intermediários, avançados e experts

Esquiadores e snowboarders intermediários (pistas azuis), avançados (pretas) e experts (duplas pretas) têm também como opção as montanhas Aspen e Highlands. A cada ano, nos quatro meses da temporada, são recebidos cerca de 20 mil turistas em todo o complexo.

Aspen, um centro de agitações

O centrinho de Aspen é escolhida como hospedagem principalmente por jovens e casais em busca de agitação. Por aqui há mais bares, restaurantes e badalação. O Museu de Arte de Aspen é uma instituição sem acervo que renova suas obras a cada estação.

A cinco minutos de caminhada do Little Nell, tem entrada gratuita e conta também com programação infantil. É possível interagir com peças expostas, como um balanço no centro de uma das salas.

Foto: Divulgação
Aspen atrai grande número de turistas nos Estados Unidos

Por lá há também muitas lojas de grife das mais caras, como Louis Vuitton, Cartier, Prada e Gucci. Compras são, definitivamente, uma atividade de lazer em Aspen. Siga para a Carl’s Pharmacy para encontrar cosméticos, souvenirs, roupas, acessórios e até comida a preços super acessíveis: dá para garantir as lembrancinhas. A livraria Explore Book Sellers tem muitos títulos famosos e um café.

ASPEN/SNOWMASS

Confira as informações para programar a sua temporada de inverno

Como ir: United (via Chicago), American Airlines (conexão em Dallas/Fort Worth), Latam (também via Dallas/Fort Worth) e Delta (com conexão em Atlanta) são as companhias aéreas que operam voos entre São Paulo e o aeroporto de Aspen.

Temporada: vai até 22 de abril.

Preços: US$ 174 custa o ski pass diário para adulto. Crianças de 7 a 14 anos pagam US$ 116 por dia; mesmo preço para seniors acima de 65 anos. Há descontos progressivos para mais dias.

Foto: Divulgação
Piscinas termais fazem parte do roteiro

Para aprender: Somados os profissionais que atuam nas quatro montanhas, são cerca de 1.200 instrutores – 15 deles falam português, e você pode solicitá-los se fizer a reserva com antecedência. A Aspen Skiing Company tem o monopólio das aulas no destino. Com cinco horas de duração, as classes em grupo para iniciantes custam US$ 244. A escola recomenda um mínimo de três dias de aulas, para garantir a prática; no total, o custo é de US$ 599.

Aula particular: Há, ainda, a opção de contratar aulas particulares, oferecidas para todas as idades (a partir dos 3 anos) e níveis de habilidade. Por dia, custam a partir de US$ 820, e aceitam até cinco alunos no grupo. Os valores são todos para agendamento com antecedência mínima de uma semana; na hora, são um pouco mais altos.

Passes: Os ski passes dão acesso aos meios de elevação das montanhas. O passe para cinco dias de esqui, válido para as quatro montanhas, sai por US$ 720 por pessoa. Crianças de até 6 anos não pagam pelos passes.

JACKSON HOLE

Queridinha dos experts e próxima de Yellowstone

No Estado do Wyoming, Jackson Hole é uma estação com pistas para todos os níveis, mas certamente uma das favoritas dos bons esquiadores pelas grandes quantidades de neve perfeita e pela variedade do terreno.

Cercada por montanhas brancas e pinheiros tão alinhados que parecem de brinquedo, a estação norte-americana que recebeu mais neve nessa temporada não proporciona apenas um visual incrível a seus visitantes.

Foto: Divulgação
Aspen é o paraíso dos esquiadores na América do Norte

A neve que cobriu a Teton Village, no pé da montanha, fez esquiadores e snowboarders se divertirem com o powder, fenômeno que possibilita descer as pistas praticamente afundado na neve, coberto até os joelhos.

A montanha Rendezvous, a principal de Jackson Ville, é dividida igualmente: metade voltada para esquiadores avançados, a outra metade para iniciantes e intermediários.

CIDADE DOS COWBOYS

Jackson Hole é hoje uma pequena cidade de nove mil habitantes que dobra sua população no inverno. Apesar de ser conhecido como o Estado cowboy dos Estados Unidos, o que lhe confere um ar conservador, Wyoming foi o primeiro a permitir o voto das mulheres, em 1869, 51 anos antes do resto do país.

A cultura cowboy está por toda a cidade. Os dois lugares mais óbvios são os divertidos bares que simulam velhos saloons, Million Dollar Cowboy Bar e Silver Dollar Bar, ambos com música ao vivo e ótima cerveja local. Os maiores pontos turísticos, no entanto, ficam na esquina da praça principal, a Town Square. São os Antler Gates, lindos arcos feitos com chifres de animais, parada obrigatória para selfies e fotos em família.

AERIAL TRAM

carinhosamente apelidado de “Big Red”, o bondinho substitui o antigo veículo da estação, aposentado após 40 anos. O cubo vermelho é uma figura icônica pelo contraste colorido que faz com o fundo branco da paisagem. Felipe Machado_AE

Para quando você for a Jackson Hole

Como ir: há voos diários partindo de 12 grandes cidades nos EUA, incluindo cinco que têm voos diretos desde o Brasil: Atlanta, Nova York, Los Angeles, Chicago e Dallas.

Temporada: até 7 de abril.

Preços: US$ 154 por dia (adultos), U$ 94 (até 14 anos) e U$ 124 (pessoas acima de 65 anos). Há descontos para múltiplos dias. Para alugar o equipamento de ski ou snowboard, a loja Jackson Hole Sports tem kits de a U$ 64,80 por dia, que inclui botas, bastões e capacete. As pistas funcionam das 9 às 16 horas.

150 km de aventura em Yellowstone

O passeio no parque Yellowstone é uma ótima opção para variar entre os dias de esqui ou snowboard. O parque fica em um planalto a 2.400 metros de altitude, o que pode baixar as temperaturas no inverno a até 20 graus negativos, que transformam o grande Rio Snake em um riacho semicongelado, assim como o gigantesco Lago Yellowstone, que vira um mar branco até perder de vista. A geografia é perfeita para uma das aventuras mais disputadas por visitantes no inverno: os passeios de snowmobile.

Mistura de jet-ski e motocicleta, esse potente veículo com esquis no lugar das rodas dianteiras está disponível para locação em grupos liderados por experientes guias.

Além de percorrer longas distâncias para levar os visitantes até os pontos mais interessantes do parque o passeio, que custa US$ 285 a US$ 499 por pessoa, inclui almoço e oferece equipamento de segurança como capacetes e macacão térmico, essencial, já que a sensação térmica baixa ainda mais quando se dirige a 80 quilômetros por hora.

PARQUE

A gigantesca área de 9 mil quilômetros quadrados engloba três estados americanos – Wyoming, Idaho e Montana. No inverno, são famosas as cachoeiras e cascatas congeladas. As grandes atrações, porém, são fenômenos que independem da estação. O parque abriga mais de 300 gêiseres, nascentes termais que entram em erupção com uma frequência impressionantemente pontual. O mais famoso e maior deles é o Old Faithful.

Outros fenômenos naturais que atraem a atenção em Yellowstone são piscinas termais como a Grand Prismatic Spring, que apresenta temperaturas variadas e uma diversidade de cores. Dentro do parque também há um vulcão ativo: seu ciclo de erupções ocorre a cada 640 mil anos. Sua enorme cratera, com 90 km de diâmetro, levou os geólogos a apelidá-lo de “supervulcão”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!