Mistura do Brasil com o Alentejo

Receita: moqueca de peixe com vinhos alentejanos para harmonização


Com a chegada do alto inverno, os pratos quentes ganham força justamente por aquecerem o corpo e ajudarem a combater esse clima. Pensando nesse cenário, a Vinhos do Alentejo elegeu a moqueca de peixe para uma harmonização especial com vinhos da região do Alentejo.

Extremamente suculenta, saborosa e leve (acredite, é leve sim!), a receita, que vem acompanhada com farofa e arroz, torna-se uma opção de prato para quem deseja preparar algo singular.

Foto: Divulgação
Moqueca de peixe com vinhos alentejanos para harmonização

Para harmonizar com este prato tipicamente brasileiro, Jean Stelmach, embaixador dos Vinhos do Alentejo 2019, selecionou, com exclusividade uma breve seleção de cinco vinhos regionais de castas variadas, como Touriga Nacional, Semillon, Antão Vaz, Arinto, entre outros, onde pode-se extrair o melhor dos mundos (ou países), obtendo assim uma boa experiência gastronômica sem sair de casa.

Moqueca de peixe

Ingredientes

200 ml de leite de coco
1 limão
Sal a gosto
1 colher (sopa) de azeite de dendê
3 colheres (sopa) doentro picado
2 tomates fatiados
1 pimentão amarelo fatiado
1 pimentão vermelho fatiado
1 cebola grande fatiada

Modo de preparo

Tempere as postas de peixe com o sal e o suco de limão. Espalhe bem e reserve. Em uma panela de ferro ou barro média, faça uma camada com metade da cebola, dos tomates e dos pimentões. Por cima, coloque as postas do peixe, salpique metade do coentro, cubra com o restante da cebola, tomate e pimentões. Acrescente o caldo de limão da marinara, o leite de coco e o azeite dendê.

Leve a panela ao fogo alto até ferver com a panela tampada, quando levantar fervura abaixe o fogo ecozinhe por aproximadamente 15 minutos, ou até que o peixe fique macio ao toque do garfo. Desligue o fogo e salpique o restante do coentro. Sirva em seguida com farofa de banana e arroz.

Para harmonização do prato

Dicas de Jean Stelmach, embaixador do Vinhos do Alentejo no Brasil

Sugestão 1

Espumante Gran Reserva – Afrocheiro – Monte da Ravasqueira – Arraiolos.
Um belíssimo exemplo da capacidade do Alentejo de fazer espumantes. Deliciosa textura, acidez vibrante e corpo opulento. Uma perlage delicadíssima. Na boca é uma explosão de sabores, frescor e rica complexidade. Um brut nature muito gastronômico, de pequenina produção.

Sugestão 2

Amphora DOC Branco – Herdade do Rocim – Vidigueira.
O uso da talha de barro (anfora) é uma cultura milenar vivíssima no Alentejo. Este Amphora DOC da Herdade do Rocim foi o que mais me intrigou e encantou. Feito de 100% Antão Vaz de característica muito própria, é fresco, mineral, com ótima acidez e um tanino mordaz.

Sugestão 3

Private Selectinon Branco – Herdade do Esporão – Reguengos.
Rígida seleção das uvas Semillon que depois foram fermentadas em carvalho francês com período em contato com as borras. Sem dúvida um dos brancos mais complexos que provei no Alentejo. Redondo, perfeito frescor da fruta com a elegância e complexidade do carvalho que nunca nos cansam de beber um pouco mais.

Sugestão 4

Sossego Rose Touriga Nacional – Herdade do Peso – Vidigueira.
A produção de roses no Alentejo não é muito grande e esse é sem dúvidas um exemplar que vale a experiência. Feito 100% da uva Touriga Nacional de talhões (lotes) selecionados é muito delicado, com perfume no nariz que lembra a flores e frutos vermelhos. Na boca tem ótima acidez, corpo médio e um delicioso e fresco final.

Sugestão 5

Pêra-Manca Branco DOC – Fundação Eugênio Almeida – Cartuxa – Évora.
Rico, intenso e elegante. Corte de Antão Vaz e Arinto que equilibra com maestria acidez, corpo e intensidade aromática. Parte do lote fermentou em aço inox e outra parte em barrica onde passou por um período em contato com as borras o que lhe conferiu maior complexidade.

Fonte: www.vinhosdoalentejo.pt

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora