Histórias de quem aproveita a Páscoa para engordar o orçamento

Conheça pessoas que se aventuram na cozinha e aproveitam esta época do ano para engordar o orçamento familiar


Foto: João Carlos Nascimento/O Liberal
Leila iniciou a atividade para “passar o tempo” e no primeiro ano vendeu 200 quilos de chocolate

Foi com o dinheiro arrecadado na Páscoa que Leila Passos construiu e equipou uma segunda cozinha em sua casa para a produção dos ovos de chocolate, há cinco anos. O espaço é carinhosamente chamado de “ateliê”. Ela conta que, antes da nova cozinha, “desmontava toda a sala para abrir espaço para os ovos e montar uma lojinha para receber a clientela”.

“No dia de ‘fazer o chocolate’ eu não fazia nem arroz em casa porque o chocolate é ‘doido’ para pegar gosto e eu nunca corri o risco. Agora você imagina, eu ‘fazia chocolate’ todos os dias, então todo mundo tinha de comer fora até a Páscoa terminar”, lembra rindo.

Do chocolate que sobrava da produção dos ovos, Leila aproveitava para fazer trufas e bombons que eram vendidos como mimos na Páscoa e depois nas padarias de Americana. “Muita gente soube que eu fazia ovos assim. Naquela época era só o boca a boca, hoje eu invento alguma coisa e posto nas redes sociais e o retorno tem sido legal”, diz.

Leila iniciou a atividade na década de 80 para “passar o tempo”. “Meu marido ia trabalhar e eu ficava em casa sozinha sem ter o que fazer. Aí comprei 50 quilos de chocolate e comecei a fazer os ovos. Nossa, naquele ano eu vendi 200 quilos de chocolate”, lembra.

Nos anos seguintes uma vizinha e depois a irmã vieram ajudar no trabalho. Hoje, a família toda é envolvida no processo, da confecção dos ovos e bombons à embalagem e entregas. “É uma época muito boa para ganhar dinheiro e quem gosta de mexer com chocolate e de inventar encontra mais possibilidades de lucrar”, enfatiza.

Foto: Marcelo Rocha/O LIBERAL
A professora Andreia aproveita a temporada de Páscoa para fazer ovos e bombons de chocolate, incentivada pela mãe

A professora Andréia Cristina Andia embarcou no mundo dos ovos de chocolate a convite da mãe Ivone. “Nós já fazíamos bolo sob encomenda e resolvemos tentar para ver como era”, conta. Desde então já se passaram dez anos que mãe e filha abraçaram a data e afirmam ser uma época muito boa para ganhar dinheiro.

“Construímos uma cozinha nos fundos da casa de minha mãe para produzir os ovos. Com o ar condicionado conseguimos trabalhar à tarde e à noite, mas antes era só à noite e era bem mais puxado ter de conciliar com as aulas e provas,mas a gente fazia”, diz Andréia.

Até o final da temporada serão ao todo 25 dias de trabalho diário para a confecção de mais de 700 ovos de chocolate, entre os simples, trufados e os recheados (de colher).

Oito dicas para se dar bem:

A Páscoa sempre foi uma época interessante para se trabalhar com chocolate e engordar o orçamento familiar. A procura pelos ovos e outros doces feitos com chocolate é grande nessa época do ano e quem souber capitalizar a data pode encher o cofrinho.

Quem já faz isso garante: é possível triplicar o orçamento no mês de abril, mas é preciso organização e disciplina para dar conta da demanda, porque ela vem! Então, se prepare. E para dar um empurrãozinho, elaboramos oito dicas que te ajudarão a se dar bem trabalhando com chocolate na Páscoa.

Pesquise o mercado – Antes de começar, faça um curso de confecção de ovos e bombons e também um check-list: você possui todos os equipamentos necessários para fazer os ovos de Páscoa? Pesquise preço de chocolate, embalagens e ingredientes para os recheios em atacadões, varejões e lojas especializadas.

Estipule o preço – Calcule corretamente o preço da sua mercadoria. Para saber por quanto vender o ovo, aplique uma fórmula pessoal: calcule o custo de chocolate para cada 100 gramas e multiplique por 3.2 (esse índice já contempla os gastos com água, luz, detergente, mão de obra e a margem de lucro). Ao final, adicione o custo da embalagem e o resultado dessa equação será o valor de venda do ovo de chocolate. Por exemplo, se para cada um quilo de chocolate são gastos R$ 20,00, 100 gramas de chocolate custará R$ 2,00. Multipliquei os R$ 2,00 por 3.2. O resultado será R$ 6,40, preço do ovo de chocolate sem considerar o custo da embalagem.

Antecipe a produção – Não precisa esperar a Páscoa para fazer as cascas. Você pode fazer já e embalá-las em papel chumbo dentro de uma caixa de papelão. E não tem problema porque não tem como estragar o chocolate até lá. E tem que ser papel chumbo porque plástico e isopor deixam gosto no chocolate e estraga. Quando começarem a chegar as encomendas, você tem o ovo para pronta-entrega.

Ganhe pela “barriga” – Crie um cardápio com quatro ou cinco sabores de recheios (brigadeiro, beijinho, cajuzinho, morango, maracujá, por exemplo), três tipos de cascas e tamanhos, e deixe o cliente a vontade para escolher o ovo e a casca do sabor que desejar, desde que esteja dentro do seu cardápio. Limitar a criação afasta a clientela.

Invista nos bombons – Se não estiver à vontade para criar sabores, invista nos bombons. Um bom ovo de chocolate recheado com muitos bombons (sortidos ou ao leite) são sucesso para todos os gostos e idades!

Cuide da divulgação – Divulgue seu trabalho nas redes sociais (Facebook, Instagram). Poste fotos de suas criações e poste um por dia, coloque lá sua tabela de preços, cardápio e principalmente os seus contatos para encomendas.

Dia de degustação – Crie um dia de degustação e convide amigos, familiares, vizinhos e clientes em potencial para provar sua produção. Não é dar ovo de graça, mas fazer uns três quatro sabores e cortar em pedaços para o pessoal degustar gratuitamente. Conquiste a clientela!

Valorize o seu trabalho – O ovo de Páscoa artesanal tem valor agregado. Além do chocolate, ele traz carinho, detalhes e, muitas vezes, sabores melhores do que aqueles comprados no supermercado. Não tenha medo de investir e cobrar pelo seu trabalho.

Fonte: Chef Eduardo Beltrame_Academia Gourmet Império do Cacau

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora