Dicas de harmonizações com saquê

Tradicional do Japão, a bebida vai bem com vários tipos de pratos, desde os mais leves até os mais oleosos; aprenda a combinar


Foto: Visualhunt
Acerte nas combinações com saquê

O saquê é uma das bebidas mais tradicionais do Japão. Segundo historiadores, a produção teve início por volta do século 3, em Nara, a antiga capital japonesa. Produzido com apenas dois ingredientes (arroz e água), e com teor alcoólico em torno de 16%, o saquê é enquadrado na mesma categoria do vinho, pois passa por um processo de fermentação por meio de leveduras até se transformar na bebida como é conhecida. O que muitos não sabem, no entanto, é que a bebida pode harmonizar com diversos pratos, de várias nacionalidades. “O saquê é uma bebida única, com sabores e aromas individuais. Essa bebida milenar tem mais aplicabilidades do que se imagina”, aponta Celso Ishiy, um dos maiores especialistas em saquê do Brasil.

Ao MAIS SABOR, o especialista deu dicas de como combinar a bebida com vários tipos de pratos para realçar o sabor dos alimentos.

Foto: Creative Commons_Pixabay
Salada cai bem com saquês ginjo e daiginjo

Pratos leves
Receitas de saladas, grelhados de carne branca, carpaccio e massas sem molhos encorpados podem ser harmonizados com saquês ginjo e daiginjo, que são mais leves e frutados;

Pratos salgados
Podem ser harmonizados com saquês levemente doces, mas caso o salgado seja mais acentuado, recomenda-se um saquê mais seco, do tipo junmai. Peixe assado e massas de molho vermelho, por exemplo, podem ser servidos com saquê do tipo nigori (mais encorpado);

Pratos cítricos
Ceviche e sunomono harmonizam com saquês mais doces, como nigori ou honjozo;

Pratos temperados e oleosos
Normalmente, esses pratos são combinados com saquê junmai, que tem fragrância floral. Entretanto, o corpo leve do saquê honjozo pode “quebrar” a oleosidade do prato.

Pratos encorpados
Comidas tradicionais brasileiras, como carne de panela mineira e feijoada, combinam com um saquê encorpado e sabor de forte presença, como o nigori, que realça o sabor acentuado destes pratos;

Pratos doces
Podem ser harmonizados com saquê seco para destacar a doçura da comida ou com saquê doce para que a comida não fique enjoativa.

Foto: Visualhunt
Passo a passo da produção

Curiosidades sobre a produção

Em relação à fabricação do saquê, o site “cultura japonesa” divulga que a tradicional bebida fermentada é produzida com água de boa qualidade (corresponde a 80% do produto final), e de arroz (também de ótima qualidade). A técnica de produção é realizada conforme os seguintes passos:

1 – O arroz é lavado e cozido a vapor.
2 – Em seguida é misturado ao fermento, à água, e ao koji (arroz fermentado separadamente, numa sala com temperatura e umidade rigorosamente controladas).
3 – Então é adicionada a mistura mais arroz, koji e água por três vezes em um período de cinco dias.
4 – O processo de fermentação, realizado em um grande tanque, recebe a denominação de shikomi. A sua fermentação ocorre por 18 a 32 dias.
5 – No final desse período, a pasta é amassada e filtrada.
6 – Depois de tudo isso, é comum que o saquê passe pela técnica de pasteurização, com o objetivo de eliminar bactérias e neutralizar enzimas que poderiam alterar o sabor e também a cor do produto.
7- É necessário que o saquê permaneça descansando por seis meses.
8 – Depois disso recebe uma adição de água pura com o intuito de baixar o nível de álcool de 20% para 16%.
9 – Então terá de passar, novamente, pela pasteurização antes de ser embalado, colocado à venda e consumido.

Fonte: www.culturajaponesa.com.br

Foto: Creative Commons_Pixabay
Mercado oferece uma incrível variedade de saquês

Você sabia…

No Japão, o saquê é mais abrangente em comparação a outras partes do mundo. O termo pode ser usado para as bebidas alcoólicas de modo geral, porém a bebida japonesa distingue-se como “seishu ou “nihonshu” (saquê do Japão). Os saquês considerados mais comuns são chamados de futsuu-shu, e os produzidos regionalmente, ou seja, em pequena escala, recebe a denominação de jizake.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!