Delícias da Holanda são atrações da Expoflora

Pratos  típicos da Holanda ganham novas apresentações e inspirações em flores para entrar no clima da exposição que termina neste fim de semana


Mais de 300 mil turistas vão todos os anos até a Expoflora, em Holambra, para ver as flores e provar da gastronomia holandesa. Neste ano, além dos pratos inéditos para a exposição, chefs dos restaurantes e confeitarias criaram sobremesas temáticas que unem os dois motivos da visita: doces holandeses inspirados em flores.

Um dos destaques é a tulipa de chocolate, criação do chef Pablo Schoenmaker que traz cremes de avelã, branco e de chocolate dentro de um copo de chocolate em formato de tulipa. “Resolvi unir a tulipa, que é um dos símbolos holandeses, com o chocolate, que é um amor universal, para criar esse doce que tem sido um sucesso, com mais de 500 unidades vendidas a cada final de semana”, explicou o chef do Restaurante Casabela.

Pablo também é responsável por “abrasileirar” os poffertjes (fofinhos), pequenas massas que lembram panquecas e estão disponíveis com cobertura de requeijão e goiabada ou requeijão com bacon crispy. “A conexão com as flores está na forma como ele é servido, já que são seis unidades arrumadas em formato floral”, disse.

Foto: Juliana Lazarini_Divulgação
Poffertjes são massas semelhantes a panqueca que podem receber cobertura doce ou salgada como requeijão com bacon crispy

Além dos poffertjes com bacon, outra opção salgada para quem visita a Expoflora é o kipsatê, desenvolvido pelo chef Antônio Carlos, da Martin Holandesa. O prato é servido com arroz típico holandês e batatas fritas junto a cubos de frango ao molho satê, composto por amendoim, pimenta, leite de coco e molho de soja. “Viajamos para a Holanda todos os anos para saber o que está em voga na culinária de lá, e descobrimos que o molho satê, que já servíamos com carne no nosso restaurante, era servido também com frango por lá”, citou Antônio, explicando a origem de uma de suas criações.

A outra é o schuim gebak ou merengue holandês. Ele foi criado a partir de um prato existente na região da Holanda, o pavlova, um creme crocante por fora e macio por dentro, normalmente servido com geleia cítrica. Como setembro costuma ser um mês quente em Holambra, Antônio, que mexe com a culinária holandesa há 25 anos, criou uma base de suspiro recheado com creme de baunilha e sobreposto com frutas, geleia de brilho e chantilly.

No cardápio da exposição ainda tem duas receitas novas do clássico stroopwafel, agora com recheios de café e abacaxi com gengibre, desenvolvidos pela chef Simone Schoenmaker. Maira Torres_estagiária sob supervisão da editora Leslie Cia Silveira

SERVIÇO: Expoflora
Data: até 29 de setembro, de sexta a domingo, das 9h às 19h
Local: Holambra
Ingressos: R$ 52

Poffertjes

Foto: Juliana Lazarini_Divulgação
Poffertjes com cobertura de goiabada e requeijão

Ingredientes

  • 150g de farinha de trigo
  • 50g de farinha de centeio
  • 2g de sal
  • 8g de fermento de padeiro
  • 35ml de leite
  • 50g de manteiga

Cobertura

  • Requeijão e goiabada ou requeijão e bacon frito

Modo de preparo
Misture a farinha com o sal e faça uma cova no meio. Dilua o fermento com um pouco de leite morno e coloque-o dentro da cova, acrescentando a manteiga e 2/3 do leite. Misture todos os ingredientes até obter uma mistura homogênea, sem grumos. Em seguida, mexendo sempre, adicione o resto do leite em fio.

Deixe a massa levedar durante 1 hora em lugar quente. Aqueça uma frigideira e unte cada cavidade com um pincel, com um pouco de manteiga. Encha as cavidades até a metade com o preparado e vire-as com a ponta de um garfo quando a parte de baixo já estiver dourada e a parte de cima, seca.

COBERTURA. Sirva os poffertjes sempre quentes, seja passado na manteiga e açúcar sobrepostos com requeijão e goiabada (foto) ou ainda requeijão e bacon frito.

Dica. A receita original leva 100g de farinha de trigo e 100g de farinha de trigo serraceno, mas a substituição é uma orientação do chef, já que o trigo serraceno é importado da região sul do Brasil.
Fonte: chef Pablo Schoenmaker_Restaurante Casabela

Tulipa de chocolate

Foto: Juliana Lazarini_Divulgação
Tradicional tulipa de chocolate

Ingredientes

Creme de baunilha

  • 6 gemas
  • 1/2 xícara (chá) de amido de milho
  • 1 lata de leite condensado
  • 2 2/3 xícaras (chá) de leite
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha

Creme de chocolate

  • 6 gemas
  • 1/2 xícara (chá) amido de milho
  • 1 lata de leite condensado
  • 2 2/3 xícaras (chá) de leite
  • 200g de chocolate ao leite picado

Creme base

  • Creme de avelã com flocos de arroz

Base de chocolate ao leite

  • Casca de ovo de chocolate, cestinha em formato de tulipa ou copo de chocolate

Modo de preparo
CREME BRANCO. Misture o amido de milho, leite condensado, leite e essência de baunilha. Quando a mistura de leite ferver, abaixe o fogo. Bata levemente as gemas até ficarem uniformes. Usando uma concha, pegue um pouco da mistura de leite ainda quente e, com o batedor de arame (fouet) incorpore a mistura com as gemas. Após misturar bem, junte tudo na panela mexendo vigorosamente até virar um creme espesso. Desligue o fogo e reserve o creme.

CREME DE CHOCOLATE. Misture o amido de milho, leite condensado e o leite, e leve ao fogo. Bata as gemas até ficarem uniformes. Quando a mistura ferver, baixe o fogo. Com o auxílio de uma concha e um fouet, incorpore 2 conchas da mistura quente nas gemas e mexa bem. Incorpore o resto às gemas e mexa vigorosamente. Desligue o fogo e acrescente o chocolate picado. Misture até ficar uniforme, reserve, e deixe esfriar.

MONTAGEM. Use a base de chocolate (ovo, copo ou tulipa) e comece fazendo uma camada de creme de avelã e flocos de arroz. Acrescente uma camada do creme de baunilha já frio e, por último, o creme de chocolate, também resfriado. Finalize com confeitos de chocolate por cima (na receita original vai 1 colher de sopa de pasta de baunilha).

Fonte: chef Pablo Schoenmaker_Restaurante Casabela

Kipsatê

Foto: Juliana Lazarini_Divulgação
kipsatê é uma receita típica preparada com filé de frango, creme de amendoim e leite de coco

Ingredientes

  • 1 filé de frango temperado com sal, pimenta-do-reino e vinho branco
  • 2 colheres (sopa) de creme de amendoim
  • 2 colheres (sopa) de leite de coco
  • 1 colher (sopa) de molho de soja
  • 1 colher (sopa) de cebola picada
  • ½ pimenta dedo-de-moça sem semente picada
  • 1 porção de arroz cozido
  • 100g de bacon picado
  • ½ colher (sopa) de curry
  • 2 colheres (sopa) de alho-poró picado
  • 3 colheres (sopa) de repolho roxo picado
  • 150g de batatas fritas

Modo de preparo
Temperar o frango com sal, pimenta e o vinho branco e deixar marinar por meia hora antes de grelhar. Para o molho, junte o creme de amendoim, o leite de coco, molho de soja, pimenta e cebola e leve tudo ao fogo, misturando até ficar homogêneo. Em outra panela, frite e refogue o bacon, alho-poró, curry e o repolho. Junte o arroz cozido e misture bem. Para finalizar, frite as batatas.

MONTAGEM. Coloque o frango grelhado no prato e o molho de amendoim em cima.

Dica. Servir acompanhado de arroz e batatas fritas.

Fonte: chef Antônio Carlos_Martin Holandesa

Curiosidades da culinária holandesa

Apesar de estarem geograficamente distantes, é possível encontrar vários elementos da culinária holandesa sendo usados no dia a dia dos brasileiros. O chef Pablo Schoenmaker explicou que a gastronomia da Holanda é caracterizada por usar batatas (em seus mais diversos modos de preparo), laticínios, embutidos e peixes e em seus pratos, que costumam ser mais “pesados” do que o dos brasileiros, para que os holandeses suportem as temperaturas mais frias da região. Já a cultura de doces pode ser dividida entre as regiões Norte e Sul da Holanda. A região Norte costuma preparar mais doces à base de queijos e laticínios como o leite e o creme de leite. Já a Sul é mais conhecida por seus folhados e biscoitos, com o uso de frutas frescas, silvestres e especiarias.

‘Fofinhos franceses’

Os poffertjes são vendidos nas ruas da Holanda desde o século 18, mas são, na verdade, de origem francesa. Na época de Napoleão houve escassez de farinha de trigo e sobra de trigo sarraceno. Com a necessidade de continuar produzindo hóstias, as freiras começaram a experimentar receitas alternativas, dando origem ao poffertjes. Com o passar do tempo a França esqueceu essa delícia e a Holanda acabou ficando famosa por seus “fofinhos”.

Origem do stroopwafel

Conta-se que o stroopwafel originou-se na cidade de Gouda, na Holanda, única a produzi-lo até 1870. Teria sido criado pelo padeiro Geraldo Kamphuisen, em 1810, com as sobras de diversas bolachas da produção (migalhas) adoçadas com um caramelo. Uma das maneiras tradicionais de comer a bolacha é colocá-la em cima da xícara com chá ou café, para que o recheio derreta um pouco com o vapor e a bolacha fique com o aroma da bebida.

*Por Maíra Torres, estagiária sob supervisão de Leslie Cia

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora