Alimentos que são ‘amigos’ do coração

Cardiologista indica quais alimentos podem favorecer a saúde do coração e do organismo colaborando com uma melhor qualidade de vida


Foto: Pixabay_Divulgação
Alimentação saudável é fundamental para prevenir doenças cardíacas

Doenças do coração podem afetar pessoas nas mais diferentes condições. Muitas vezes, os problemas aparecem de maneira silenciosa, sem afetar muito o cotidiano como um leve aumento na pressão, dores pontuais ou famoso colesterol alto. Reduzir o estresse, o consumo de álcool e evitar o tabaco, a cafeína e o sedentarismo (praticando atividades físicas) são algumas formas de diminuir os riscos de doenças cardiovasculares.

A alimentação também pode ser uma grande aliada para diminuir os riscos de doenças cardiovasculares, segundo do cardiologista Augusto Scalabrini Neto, professor da USP (Universidade de São Paulo) e vice-diretor do programa de residência do Hospital Sírio Libanês.

O objetivo é manter o nível de LDL do colesterol (ruim) baixo e aumentar a fração de HDL (colesterol bom). “O LDL aumenta a quantidade de gorduras no sangue e facilita o depósito dessas gorduras nas artérias, provocando o aparecimento das chamadas placas gordurosas e, consequentemente, a obstrução das artérias, como se fosse ferrugem em um cano”, explica Scalabrini.

Uma dieta com pouca gordura saturada, baixa em carboidratos e rica em fibras ajuda a manter afastado o risco dessas enfermidades. A carne de porco deve ser evitada por apresentar um grande percentual de gordura saturada.

Excluir a gordura não é solução!

Simplesmente retirar as gorduras da dieta não é a solução para uma alimentação saudável. Até porque as “boas” gorduras contribuem para o aumento do colesterol HDL, responsável por remover as gorduras ruins do sangue, evitando o depósito dessas substâncias nos vasos sanguíneos. Enquanto as gorduras saturadas elevam o nível de colesterol ruim nas artérias, as gorduras mono e polinsaturadas aumentam a fração do colesterol bom. “Portanto, quanto mais alto o nível da fração HDL, menor o risco cardiovascular”, ressalta o cardiologista Augusto Scalabrini Neto.

Foto: Pixabay_Divulgação
Azeite é rico em gordura monoinsaturada e faz bem ao organismo

Azeite extra virgem é bom

Na lista de alimentos aliados da saúde do coração, o azeite extra virgem aparece em primeiro lugar, justamente por ser rico em gorduras monoinsaturadas. “O benefício é atingido quando se ingere azeite de oliva puro, sem misturas e, preferencialmente, sem aquecer, já que o aquecimento pode promover a saturação das gorduras monoinsaturadas com consequente perda de suas propriedades benéficas”, explica o médico Augusto Scalabrini Neto.

Foto: Pixabay_Divulgação
O alho reduz a concentração de gordura no sangue

Inclua alho na dieta

O alho também tem seu lugar de destaque na lista de alimentos “amigos” da saúde cardíaca. O cardiologista Scalabrini cita estudos que têm demonstrado efeitos benéficos do alho na redução das gorduras do sangue e, portanto, do colesterol [ruim]. O tempero, também reduz a agregabilidade das plaquetas, diminuindo, assim, o risco de coágulos que poderiam causar infarto e aumento no relaxamento das artérias. O médico cita ainda que comer alho reduz a pressão arterial.

Foto: Pixabay_Divulgação
Uma taça de vinho é o consumo máximo por dia

Vinho também pode…

Outros alimentos surpreendem ao serem associados com a saúde do sistema cardiovascular, como o vinho e suco de uva, pois possuem resveratrol, um polifenol capaz de aumentar os níveis de HDL do colesterol (bom). “A uva ainda promove a redução dos radicais livres e diminui a coagulação de forma adequada, evitando assim eventos como o infarto do miocárdio”, destaca o especialista em doenças cardiovasculares. O médico lembra que o vinho traz benefícios à saúde desde que consumido moderadamente, especialmente por se tratar de uma bebida alcoólica.

Foto: Pixabay_Divulgação
As oleaginosas, como a castanha, devem ser incluídas na dieta

Castanha, nozes e amêndoas

Se você deseja prevenir as doenças do coração não se esqueça de incluir na lista de compras as oleaginosas como nozes, amêndoas, pistache e castanha-do-pará. Esses alimentos são conhecidas fontes de gorduras boas e antioxidantes (que retardam o envelhecimento). A presença das oleaginosas no cardápio pode baixar o risco de doença cardiovascular, além de problemas respiratórios, pressão alta e obesidade. Porém, atenção! Apesar de aliadas da dieta, o consumo de castanhas, nozes e amêndoas deve ser moderado: três unidades ao dia é o recomendado pelos médicos. O excesso pode causar aumento de peso e gordura corporal.

Foto: Pixabay_Divulgação
Chocolate com 70% de cacau é o mais recomendado

Você sabia…

Alguns alimentos são constantemente associados à saúde do coração, porém não há estudos suficientes que comprovem a sua eficácia real. É o caso das frutas ricas em vitamina C, como laranja, morango e acerola; e chocolates puros (a partir de 70% de cacau), que contêm grandes quantidades de antioxidantes. Sem dúvida são excelentes opções para a saúde, mas não necessariamente para o coração.

Consultoria: Hospital Sírio Libanês

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora