Primeiro imóvel é um grande passo na vida do casal

Especialistas dão dicas de como fazer o melhor negócio e transformar o primeiro imóvel em um lar doce lar


Comprar o primeiro imóvel é um grande passo para o relacionamento. E aí começam as dúvidas: alugar ou comprar? Na planta ou um imóvel para reformar? Bom, tudo depende da reserva financeira do casal. O aluguel pode ser uma opção para quem decide sair logo da casa dos pais. Se essa não for a situação, o ideal é investir o dinheiro em um imóvel próprio.

Foto: Freepik
Para encontrar o imóvel ideal, o casal deve levar em consideração alguns fatores

As opções na planta geralmente têm preço mais acessível com condições de pagamento facilitadas, por outro lado exige planejamento. Nesse caso, a dica é programar a compra do imóvel pelo menos dois anos antes do casamento (para edificação e papelada ficarem prontas a tempo).

Para encontrar o imóvel ideal, o casal deve levar em consideração alguns fatores: localização, espaço, opções de lazer, vagas de garagem, etc. Tudo influencia no preço final. “Se o casal tem planos de ter filhos, é interessante já adquirir um imóvel com a infraestrutura para receber uma criança”, diz a arquiteta Wanessa Leoncine, da Innovatie Móveis Planejados.

Além desses itens, é importante ficar atento se o que está pagando condiz ao valor de mercado do imóvel. “Compare o imóvel com outras propriedades na mesma região, com metragens e características semelhantes para descobrir se há discrepância nos valores”, aconselha o corretor de imóveis Rodrigo Avansi, da Avansi Negócios Imobiliários.

Quem vai alugar

  • O contrato é feito com uma imobiliária e o locatário deverá indicar um fiador que possua imóvel próprio na cidade.
  • Na ausência do fiador, deverá contratar um seguro fiança
  • Vale ficar atento às despesas extras como IPTU e condomínio
  • Ao sair do imóvel, ele deve estar do jeito que foi encontrado. “É importante exigir da imobiliária e acompanhar a vistoria no imóvel para saber, por exemplo, se o vazamento começou antes ou depois que o locatário entrou no imóvel”, explica Rodrigo Avansi.

Quem vai comprar

  • Uma das opções é o crédito associativo (cedido pela Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil) comum para imóveis na planta. É liberado durante a construção do imóvel. Além do valor da prestação, há o seguro obra, uma garantia ao comprador no caso de a construtora falir ou não terminar a obra. “O seguro é uma taxa crescente, aumenta conforme o prédio vai sendo construído, chegando até 70% do valor da parcela da prestação”, diz Avansi.
  • O financiamento tradicional é contratado quando o imóvel está pronto para morar, sendo exigida comprovação de renda do casal, além da matrícula do apartamento no Cartório de Registro de Imóveis (RI – Registro de Incorporação do empreendimento, fornecido pelo corretor).

Foto: Renato Navarro - Divulgaç
A cozinha americana é ideal para apartamentos pequenos, pois integra cozinha e área social, divididos por uma bancada. O azul com cinza ou branco é tendência [TT Interiores]
Apartamento lidera procura
A maioria dos imóveis vendidos na planta, hoje, são apartamentos de até 65 m². “São os mais procurados por jovens casais por serem mais em conta [se comparado ao imóvel já construído], são mais fáceis de terem o financiamento aprovado e por darem a sensação de segurança, já que muitos casais trabalham fora o dia todo”, comenta a arquiteta projetista da Casemiro Ambientes Planejados, Thauana Rissato.

Ela observa que a cozinha e a área social são os primeiros ambientes a serem mobiliados, afinal é ali que a nova família e amigos passarão a maior parte do tempo. “Nesses apartamentos, a cozinha é mais compacta e geralmente integrada à sala; são áreas em que optam-se pelos móveis planejados para aproveitar ao máximo o espaço e trazer conforto”, explica.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora