Beleza negra como inspiração do Anuário Noiva

Estilista enaltece a beleza natural da mulher negra e revela noivas cheias de personalidade, que conhecem suas origens e estão dispostas a resgatá-las


África. Terra de guerreiros onde fauna e flora se completam ao som dos tambores de uma herança natural e cultural incontestável. O berço da humanidade foi a inspiração do estilista Cléber Azevedo para a criação dos vestidos que são o tema de capa do Anuário Noiva 2018. “Quando se fala em noiva tudo remete à cultura europeia, mas o Brasil é o País da miscigenação. O negro deixou um legado imenso na nossa cultura e a beleza da mulher negra é a beleza que melhor traduz a mulher brasileira”, ressalta o estilista.

Foto: Marcelo Rocha - O Liberal
“Digo que não escolhi a minha profissão, foi ela quem me escolheu”

O ensaio é um manifesto cultural, que destemidamente mostra que a mulher negra tem impresso em seu DNA o espírito guerreiro de outrora. Um resgate histórico às “grandes mães” africanas, mulheres que lutaram, lideraram e influenciaram nações como a Rainha Anima da Nigéria – também conhecida como Zaria – e a própria Cleópatra do Egito. O dourado e os búzios surgem como referência à realeza em vestidos de tecidos leves que exploram a feminilidade dessas guerreiras, ora cobertas de rendas, ora de bordados feitos a mão. Peças exclusivas criadas para realçar a beleza de cada noiva, ao melhor da técnica “moulage” (costura sob medida) um método artesanal no qual o vestido é criado e ajustado no corpo da mulher, respeitando o caimento e acabamento.

Fascinado pela habilidade da avó costureira, Cléber aprendeu a “dar uns pontos” ainda menino e esboçar seus primeiros desenhos aos 14 anos. Suas criações renderam-lhe o primeiro emprego, aos 17 anos, em um ateliê de alta-costura para noivas e madrinhas, na cidade de Jales (SP), onde aprendeu a costurar e bordar. Se mudou para Americana no final dos anos 1980 e trabalhou como modelista para lojas de tecidos e confecções; foi professor universitário no curso de Moda e há dois anos montou seu próprio atelier. “Digo que não escolhi a minha profissão, foi ela quem me escolheu”.

A nossa noiva rainha da capa veste saia de musselina de seda e top de gola alta com pala cravejada em búzios e pérolas. Uma combinação moderna para as mulheres fortes e personalidade marcante.

Vestido: Cléber Azevedo

Modelo: Raquel Rocha dos Santos

Beleza: San Oliveira (cabelo) e Aline Amorin (make)_Illuminato Corpo & Beleza

Joias: Madame Madu

Buquê: Floricultura Girassol

Foto: Azael Bild_Ophicina de Photo

Os búzios (ou cauris) serviram de moeda corrente no continente africano do século 11 a.C. ao século 19; eram usados também para adornar trajes de grandes chefes de tribos

 

 

Vestido império marca a cintura e disfarça quadris largos. O decote profundo é bordado com búzios, símbolo de riqueza na antiga África. O desenho repete nas costas, tornando o vestido ideal para casamentos realizados em dias quentes.

 

Vestido: Cléber Azevedo

Modelo: Sarah Rocha Santos

Beleza: Aline Amorin (cabelo) e San Oliveira (make)¬_Illuminato Corpo & Beleza

Joias: Madame Madu

Buquê: Floricultura Girassol

Foto: Azael Bild_Ophicina de Photo

 

 

 

A elegância deste vestido está no drapeado com pregas cortadas na horizontal. Toque romântico com barrado de bicos de renda dourada. O corte em “A” (ou evasê) alonga a silhueta.

Vestido: Cléber Azevedo

Modelo: Jéssica Caroline Rodrigues

Beleza: Julio Talledo (cabelo) e Aline Amorin (make)_Illuminato Corpo & Beleza

Joias: Madame Madu

Buquê: Floricultura Girassol

Foto: Azael Bild – Ophicina de Photo

 

 

 

 

O vestido languido semissereia revela as curvas da noiva sob a delicadeza da renda off-white. O efeito transparência é conquistado com forro de tom nude. Romântico e sensual.

Vestido: Cléber Azevedo

Modelo: Sarah Fernanda dos Santos Gomes

Beleza: Julio Talledo (cabelo) e Giovana Amancio (make)_Illuminato Corpo & Beleza

Joias: Madame Madu

Buquê: Floricultura Girassol

Foto: Azael Bild_Ophicina de Photo

 

 

 

 

A mescla de rendas grippir e nesgas remete à cultura afro-brasileira. O vestido é inspirado no estilo boho chic, opção para casamentos realizados de dia, ao ar livre. Braceletes dourados em alusão às rainhas guerreiras.

Vestido: Cléber Azevedo

Modelo: Raquel Rocha dos Santos

Beleza: Julio Talledo (cabelo) e Aline Amorin (make)_Illuminato Corpo & Beleza

Joias: Madame Madu

Buquê: Floricultura Girassol

Foto: Azael Bild_Ophicina de Photo

 

 

 

Os buquês desconstruídos são uma tendência para casamentos ao ar livre, pois remetem à beleza bruta e selvagem da natureza, com ares de renovação e pureza. [criação, Airton Sgobin; confecção André Miranda, Floricultura Girassol]

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!