Doença Renal Crônica atinge até 50% dos gatos idosos

DRC é a enfermidade mais comum em gatos de meia idade e idosos, havendo perda de proteína pelos rins e diminuindo a expectativa de vida dos felinos


Os cuidadores de gatos querem que seus felinos vivam o mais tempo possível. Contudo, é preciso estar atento à qualidade de vida e à saúde dos animais, principalmente daqueles que não são mais jovens. A Doença Renal Crônica (DRC) é uma enfermidade que atinge de 35% a 50% dos gatos de meia idade a idosos, segundo a pesquisa “Survival of cats with naturally occurring chronic renal failure: effect of dietary management”.

A DRC é uma doença crônica e com sua evolução pode haver perda de proteína pelos rins, o que contribui para sua progressão e, consequentemente, para a diminuição da expectativa de vida do paciente.

A doença é definida pela presença de anormalidades funcionais e estruturais dos rins, que persistem por mais de três meses. Existem várias causas possíveis: anormalidades congênitas, pielonefrite, doença imunomediada, hipertensão arterial sistêmica, hipercalcemia, neoplasias etc. Os sinais clínicos mais comuns são: poliúria primária, polidipsia compensatória, inapetência, perda de peso e letargia. Sinais relacionados ao trato gastrointestinal também são frequentes, tais como: vômito, úlceras orais, halitose e constipação.

Foto: Pixabay
Doença Renal Crônica diminui a expectativa de vida dos felinos

Para diagnosticar a DRC e verificar se há perda de proteínas pelos rins, o médico-veterinário baseia-se principalmente nos exames físico, de sangue e de urina. Algumas alterações esperadas em exames complementares de gatos com DRC são: aumento do nível sérico de ureia e creatinina, aumento do nível sérico de fósforo, diminuição do nível sérico de potássio, anemia não regenerativa, além de diminuição da densidade urinária podendo ainda haver aumento na relação da proteína/creatinina urinária, que é o indicador para a perda de proteínas pelos rins.

A proteinúria (proteína na urina) contribui significativamente com a progressão da DRC, além de diminuir a expectativa de vida dos gatos com a doença. “Segundo estudos publicados, 57% dos gatos com DRC morrem em decorrência da doença. O tratamento destes animais visa melhorar sua qualidade de vida e, na medida do possível, diminuir a progressão da doença, aumentando sua expectativa de vida”, disse a gerente de marketing de animais de companhia da Boehringer Ingelheim Saúde Animal, Fabiana Porto.

Remédio
A Boehringer Ingelheim traz para o mercado brasileiro Semintra, um novo aliado do médico-veterinário no tratamento da Doença Renal Crônica. Desenvolvido especialmente para gatos, o Semintra é um bloqueador do receptor de angiotensina para uso na medicina veterinária. É indicado para redução da proteinúria associada à DRC e tem como princípio ativo a telmisartana.

Fonte: Boehringer Ingelheim

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!