Troca de óleo de veículos merece cuidados e atenção

Recomendações evitam problemas para o carro, diz Aguinaldo Berteli, gerente da Oficina Brasil


A troca de óleo é sempre um ponto sensível e que gera dúvidas nos motoristas. Para não ter problemas, basta, principalmente, seguir as recomendações do manual do veículo. A dica é de Aguinaldo Berteli, gerente da Oficina Brasil em Americana.

Segundo ele, procedimentos feitos por conta própria, que não atendem as especificações do carro, podem prejudicar o veículo, inclusive fundir o motor. “O que está no manual é o que, realmente, foi testado e o que o carro vai aguentar”, disse.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Aguinaldo Berteli, gerente da Oficina Brasil, em Americana

A coordenadora de Assistência Técnica da Total Lubrificantes do Brasil, Denise Novaes, elencou nove armadilhas que geram risco para o automóvel (veja quadro nesta página).

“Uma lubrificação ineficiente pode ser causada por vários fatores, desde o modo de aplicação no motor até a utilização de lubrificantes, que não seguem as especificações das montadoras do veículo”, comentou.

Berteli destacou que os motoristas não devem, principalmente, completar o óleo, pois isso pode ocasionar uma mistura de lubrificantes. Como cada carro é preparado para apenas um tipo de óleo, essa junção representa perigo para o motor, com chance até de fundição.

“Você chega a um posto de gasolina, o frentista vai perguntar para você: ‘Vamos completar o óleo?’. Só que ele não vai saber o óleo que está dentro do seu motor”, afirmou. Ele ainda apontou que nem sempre o nível do óleo reflete a realidade.

“Na hora que você chega a um posto de gasolina, toda vez vai estar faltando óleo. Para não estar faltando óleo, ele tem de estar com excesso de óleo no cárter. Por quê? Quando você dá partida no carro, o óleo do cárter sobe para a parte de cima do motor para lubrificar. Então, vai estar faltando óleo no cárter. Então, o recomendado para você saber se está faltando óleo ou não é sempre pela manhã. Você deixa o carro pousado de um dia para o outro, num lugar plano, você vai puxar a vareta de óleo e vai ver”, explicou.

De acordo com Berteli, se o lubrificante estiver abaixo do nível, conclui-se que há queima de óleo ou que o carro atingiu o prazo de troca. “Se o carro está baixando o óleo, o certo é corrigir o porquê de ele estar baixando”, orientou.

9 ARMADILHAS DAS TROCAS DE ÓLEO

Não respeitar o prazo para a troca do produto
A partir do prazo, o óleo começa a perder eficiência na lubrificação

Completar o óleo
Pode acarretar numa mistura de lubrificantes, o que prejudica o motor

Usar aditivos
O óleo já conta com os aditivos que atendem as necessidades do carro

Misturar lubrificantes
Cada carro funciona com um tipo de óleo. A mistura gera risco ao motor

Pingar óleo no motor
O vazamento é causado por ressecamento do óleo e deve ser corrigido

Bujão fechado indevidamente
Nesse caso, o bujão vai soltando a cada vibração do motor, até cair

Não trocar o filtro do óleo
Com isso, o óleo novo se junta ao velho e se desgasta mais rapidamente

Rodar com lubrificante acima ou abaixo do nível
Se estiver abaixo, compromete a lubrificação; caso esteja acima, vaza

Limpar a vareta com estopa
A estopa tem pelo, que pode se acumular no motor e afetar a lubrificação

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!