Ver Utilidades

Motors

Abrir menu principal

Honda XRE 300 mantém o vigor e se renova

Com 10 anos de mercado, motocicleta chega com novo visual e tecnologia ao consumidor brasileiro, mas conjunto mecânico de sucesso permanece


As laterais do tanque, as laterais sob o banco e a que fica sob o farol, como um bico de pato, ganharam novas linhas. Os espelhos retrovisores e as alças para a garupa também foram redesenhadas. Como novidades, aparecem farol, piscas e lanterna totalmente em led e o bagageiro na traseira. O novo sistema de iluminação, além de proporcionar um ganho visual, trouxe melhorias efetivas. Ele é mais eficiente e durável que um sistema com lâmpadas incandescentes e é mais leve também.

Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias
Honda XRE 300 Adventure

A diferença entre as versões, standard, Rally e Adventure, se resume à estética, entre as cores e adesivos. A de entrada pode receber as cores prata ou azul. Já a Rally combina branco, vermelho e preto, numa referência à big trail da Honda, Africa Twin. A versão Adventure, usada no teste, recebe sempre a cor verde escuro e um enorme adesivo “300” sobre o tanque e as abas laterais da moto.

No total, a XRE 2019 ficou 5,4 kg mais leve. Isso, claro, se reflete diretamente no desempenho e no consumo. O motor é o mesmo que anima a XRE desde seu nascimento, em meados de 2009. Trata-se de um monocilíndrico de 291 cc, arrefecido a ar, com duplo comando de válvulas no cabeçote. Ele capaz de render 25,4/25,6 cv de potência e 2,76/2,80 kgfm de torque com gasolina/etanol e é gerenciado por um câmbio de cinco marchas. O conjunto é montado sobre um robusto chassi de berço semi-duplo e a suspensão é telescópica na frente e monochoque com link na traseira.

Mecanicamente, a XRE não sofreu alterações. Até porque, ela já oferece mais potência e torque que sua única rival direta, a Yamaha XTZ 250 Lander – BMW G 310 GS e Kawasaki Versys X-300 estão em uma outra categoria, bem mais cara.

A moto da Honda tem motor 16% maior, 22,5% mais potente e com torque 33% mais alto. E agora, com o emagrecimento da XRE, está 5 kg mais leve. As duas têm ABS de série, mas o do modelo da Honda é de dois canais – nas rodas dianteira e traseira –, enquanto no modelo da Yamaha o ABS atua apenas na roda dianteira.

Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias
Honda XRE 300 Adventure

No final, as vantagens da Lander são o preço – custa R$ 16.990 –, e a garantia, de quatro anos. Já a XRE custa R$ 18.473 na versão standard e R$ 18.971 nas versões Rally e Adventure e tem três anos de garantia. O preço mais alto provocou uma redução na distância que a XRE mantém sobre as vendas da Lander. Até o ano passado, ela vendia quase 80% a mais. No primeiro trimestre de 2019, a vantagem caiu para “apenas” 50% a mais.

Primeiras impressões

Quando criou a XRE 300, a Honda entendeu bem as tendências do mercado. A marca fugiu do típico comportamento nervoso e emocionante dos modelos do segmento e privilegiou o comportamento mais próximo ao de uma big trail, com acelerações progressivas, reações previsíveis e muita estabilidade. E é isso que dá uma vantagem competitiva para a XRE.

Ela é capaz de ser leve e ágil o suficiente para enfrentar um trânsito urbano mais pesado, tem fôlego para enfrentar rodovias mantendo uma boa velocidade de cruzeiro e ainda é robusta para aguentar trechos mais acidentados, como em estradas de terra.

Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias
Honda XRE 300 Adventure

O que mais impressiona na XRE quando se torce o acelerador é o torque brutal do modelo. São 2,72/280 kgfm para um modelo com uma inércia muito baixa e que pesa menos de 150 kg. Isso resulta em acelerações fortes e retomadas vigorosas.

Segundo o Instituto Mauá, contratado pela Honda para fazer as medições do modelo, o zero a 100 é feito em 10,5/11 segundos, a máxima é de 130 km/h e o consumo médio fica em 21/30 km/l, respectivamente com etanol e gasolina. Exatamente para explorar melhor este motor com bom desempenho que um câmbio de seis marchas viria bem a calhar.

Principalmente em vias expressas ou rodovias, onde conseguiria andar mais facilmente em velocidades altas e teria uma redução de consumo. De qualquer forma, o modelo tem qualidades desejáveis para este ambiente, como um assento extremamente confortável e o baixo nível de vibrações. No trânsito, por outro lado, a XRE se vale do vigor e também mostra muita agilidade para mudanças de direção, o que facilita a manobra entre os carros no trânsito.

Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias
Honda XRE 300 Adventure

Em situações urbanas, apenas a elevada altura do banco, de 86 cm, dificulta quem não é muito alto a apoiar os pés no chão, o que incomoda um pouco em manobras de estacionamento. Por outro lado, os 25,9 cm de altura livre ajudam bastante a explorar o lado mais esportivo do modelo, na terra. No fora de estrada, ela se vale ainda do bom torque em baixos giros, e do curso generoso dos amortecedores, com 245 mm na frente e 225 mm na traseira.

Ficha Técnica

Honda XRE 300 Adventure

MOTOR: A gasolina e etanol, quatro tempos, 291,6 cm³
CÂMBIO: Cinco marchas
POTÊNCIA MÁXIMA: 25,4/25,6 cv a 7.500 rpm com gasolina/etanol.
TORQUE MÁXIMO: 2,76/2,80 kgfm a 6 mil rpm.
SUSPENSÃO: Dianteira com garfo telescópico com 245 mm de curso. Traseira monochoque com link e 225 mm de curso.
PNEUS: 90/90 R21 na frente e 120/80 R18 atrás.
FREIOS: Discos de 256 mm na dianteira e 220 mm na traseira controlados por ABS de dois canais.
TANQUE: 13,8 litros.
PREÇOS: R$ 18.473 (versão de entrada) e R$ 18.971 nas versões Rally e Adventure.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!