Camaro conversível ganha aparência mais nervosa e câmbio de 10 marchas

Visual no estilo “muscle car” foi mantido; automóvel chega com câmbio automático produzido em parceria com a Ford


Foto: Divulgação
O visual no estilo “muscle car” foi mantido, assim como as dimensões e a arquitetura

Chega a ser engraçado analisar a trajetória do Chevrolet Camaro, em seus 53 anos de existência. O modelo surgiu para rivalizar com o icônico Ford Mustang, mas só conseguiu algum êxito mesmo quando foi lançada sua quinta geração, em 2010 – que foi substituída cinco anos depois, já como modelo 2016, por uma nova. Curiosamente, essa briga começou no Brasil apenas no ano passado, quando chegaram às lojas as primeiras unidades do cupê esportivo da Ford. Nessa disputa, porém, o esportivo da Chevrolet leva uma vantagem: a opção pela carroceria conversível, obviamente mais cara, mas que adiciona uma boa dose de prazer à condução em um país tropical como este. E já com o face-lift adotado recentemente lá fora, que desembarcou no país no início deste ano.

O visual no estilo “muscle car” foi mantido, assim como as dimensões e a arquitetura – esta última, completamente renovada pela sexta geração. No Brasil, só o motor V8 de 6.2 litros de injeção direta, com 461 cv de potência e 62,9 kgfm de torque, está disponível. Trata-se do mesmo utilizado lá fora pelo Corvette Stingray, com uma diferença: cerca de 20% de seus componentes foram refeitos exclusivamente para o Chevrolet Camaro.

A transmissão, no entanto, foi mexida. Saiu a anterior, automática de oito marchas, por uma nova com duas velocidades a mais – este câmbio é produzido em joint-venture com a Ford e equipa também o Mustang. Trocas manuais podem ser realizadas a partir de aletas atrás do volante. O esportivo traz ainda seletor de modo de condução – quatro no total, sendo eles Passeio, Esportivo, Neve e Pista –, sistema de vetorização do torque, freios de alta performance Brembo com assistência de frenagem de urgência, alertas antidistração, head up display, sensor de ponto cego, pneus runflat mais largos na traseira e airbags laterais, de cabeça e de joelhos.

Foto: Divulgação
Modelo surgiu para rivalizar com o icônico Ford Mustang

INTERNO. A cabine do Camaro é outro ponto de destaque do carro. Traz painel customizável, sistema multimídia com Android Auto e Apple Car Play, sistema de som premium da Bose, volante com aquecimento, bancos dianteiros com ventilação e aquecimento, ajuste elétrico e memória, ar-condicionado de duas zonas e partida do motor e abertura do teto feitos pela chave presencial, ou seja, antes dos passageiros entrarem no carro. Há um intensificador de som do propulsor para a cabine, que torna o ronco mais envolvente à medida que o giro do propulsor sobe. A operação de abertura do teto também pode ser realizada com o veículo em movimento. Para isso, basta que se esteja abaixo dos 50 km/h e o processo dura 25 segundos.

Foto: Divulgação
Painel customizado

PONTO A PONTO

Desempenho. O propulsor que equipa o Camaro no Brasil é um poderoso 6.2 litros V8 capaz de entregar 461 cv de potência e 62,9 kgfm de torque. O conjunto move o conversível com uma desenvoltura que surpreende. A transmissão automática de dez velocidades não deixa espaço para vacilos e o zero a 100 km/h em apenas 4,2 segundos deixa claro o apelo esportivo do modelo. Além disso, há quatro modos de condução disponíveis, para extrair exatamente o que se deseja do esportivo.

Conforto
Carros esportivos que derivam de carrocerias cupês, como é o caso do Camaro, não foram planejados necessariamente para garantir total conforto aos passageiros. O interior é baixo e levar passageiros atrás é tarefa complicada. A suspensão extremamente firme cobra seu preço diante da buraqueira típica das ruas brasileiras, mas os bancos dianteiros recebem bem os ocupantes. O som do motor só adentra a cabine quando o motorista pisa bem fundo no acelerador – o que, na verdade, é exatamente o que se espera de um automóvel tão instigante.

Tecnologia
A sexta geração do modelo foi apresentada em 2015, chegou ao Brasil em 2017 e já está por aqui o face-lift realizado recentemente, que inseriu uma nova transmissão de dez velocidades no modelo. A central multimídia é bem completa e moderna e itens como painel customizável, head up display, alto-falantes Bose, volante com aquecimento, bancos dianteiros com climatização e ajustes elétricos com memória para o do condutor, ar-condicionado de duas zonas e partida remota da ignição são de série.

Design
Há ali elementos comumente vistos em um “muscle car”, como o capô longo e o caimento acentuado na última coluna. A grande área de entrada de ar frontal expressa bem a esportividade do modelo, assim como o aerofólio presente na traseira e as rodas de 20 polegadas e escurecidas. Além disso, até pelo fato de não serem tão comuns no Brasil, a carroceria conversível acaba se tornando um diferencial estético. Por Márcio Maio – Auto Press

Ficha técnica: Chevrolet Camaro conversível

Motor: A gasolina, 6.2 litros, V8
Transmissão: automática com modo manual sequencial de dez marchas
Potência máxima: 461 cv a 6 mil rpm
Torque máximo: 62,9 kgfm a 4.400 rpm
Carroceria: Conversível em monobloco com duas portas e quatro lugares
Lançamento mundial da nova geração: 2015
Lançamento no Brasil: Primeiro trimestre de 2017, com face-lift em 2019
Produção: Michigan, Estados Unidos
Preço no Brasil: R$ 365.990

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora