Apenas Americana faz novo emplacamento na RPT

Placa é obrigatória desde 31 de janeiro e o par custa R$ 210 em Americana, 51,9% a mais do que o valor máximo sugerido pelo Detran-SP


Americana é a única cidade da RPT (Região do Polo Têxtil) que possui locais para instalação da placa Mercosul, obrigatória desde 31 de janeiro. Na cidade, o par custa R$ 210, 51,9% a mais do que o valor máximo sugerido pelo Detran-SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo).

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Par de placas novas custa R$ 210 em Americana

Agora, as instalações são feitas por empresas credenciadas. Elas podem fixar o preço que bem entenderem, mas o Detran recomenda a cobrança de até R$ 138,24 pelo par – esse também era o valor das placas antigas. Existem municípios, no entanto, que não oferecem o serviço.

Foto: Fonte: Denatran
Veja detalhes do novo modelo que passou a ser obrigatório no Brasil em 31 de janeiro

Conforme consta no site do Detran, a RPT tem apenas dois postos autorizados, ambos em Americana: a Placasil (Rua Luxemburgo, 200, Vila Santa Maria) e a Emplaca Mercosul Americana (Avenida Paulista, 190, Jardim Colina) – esta última começa a operar nesta segunda-feira e ainda não definiu preços.
Moradores de Hortolândia, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré estão saindo de suas cidades para fazerem o emplacamento.

“Essa logística é ruim. Pensa bem: a pessoa daqui de Santa Bárbara ter de ir lá para Americana para colocar a placa no carro. Isso está um pouco dificultoso”, aponta Luciano Alves, da Autoescola e Despachante Helly, de Santa Bárbara.

Sobre o assunto, em resposta ao LIBERAL, o Detran apontou que “as empresas credenciadas possuem livre escolha de atuarem em qualquer município do Estado, independentemente da cidade de origem”.

Ainda de acordo com o departamento, se não houver um posto credenciado em seu município, “o cidadão precisa contatar a empresa credenciada para combinar a instalação”. A Emplaca Mercosul, por exemplo, comunicou que fará atendimentos a domicílio, inclusive em outras cidades.

Além de Americana, há cidades próximas da região que contam com locais autorizados para emplacar, como Campinas, Limeira e Piracicaba.

Morador de Santa Bárbara, o industriário Bento Coutinho, de 62 anos, teve de trocar a placa de seu carro em Americana, na Placasil, nesta quinta-feira, e reclamou da situação.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

“Depois fala que os comerciantes só reclamam, que você vai para Americana porque não tem nada em Santa Bárbara. E não tem mesmo. Você não consegue emplacar um carro na cidade”, afirma. Nesta quinta, havia até morador de Sumaré na Placasil, conforme a reportagem pode constatar.

PREÇOS

Motoristas ouvidos pelo LIBERAL também criticaram o aumento do preço da placa. “É meio caro”, diz o tratorista Júlio Ribeiro Pires, de 54 anos.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Placa antiga sendo destruída em uma das empresas credenciadas: mudança gera polêmica

Segundo Wagner Bianconi, do Despachante Itamaraty, de Americana, o valor de R$ 210 tem sido um padrão no Estado de São Paulo. “Era para ser livre o valor, mas está todo mundo, no Estado inteiro, cobrando R$ 210”.

A própria Placasil administra outros 15 postos espalhados pelo Estado e estabeleceu o mesmo preço em todos. As placas avulsas e para motos custam R$ 120 – o Detran sugere que cobrem, no máximo, R$ 114,86. A reportagem tentou contato com a administração da empresa durante esta semana, mas não obteve sucesso.

QUEM PRECISA

A aquisição da placa Mercosul é obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento e, para quem tiver a placa antiga, em caso de mudança de município ou unidade federativa, roubo, furto, dano ou extravio da placa, e quando for necessária a instalação da segunda placa traseira.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora