Looks 50+ para mulheres de atitude

Foi-se o tempo em que a mulher com mais de 50 anos vestia-se como uma “senhora": ouse e experimente sem receio


Ao chegar aos 50 anos, a mulher sabe muito bem do gosta e se conhece o suficiente para esbanjar estilo e elegância. E elas estão cada vez mais atentas às marcas e dispostas a aprender sobre moda e experimentar novos looks.

“É um período em que a mulher atingiu muitas coisas na vida, ela está bem consigo mesma, está mais produtiva, muitas já criaram os filhos. Ela busca coisas que tenham mais a ver com o estilo de vida dela e esse envolvimento com a moda acontece porque ela está se permitindo mais e experimentando mais”, explica a consultora de moda e imagem, Ana Vaz.

“Há uma mudança na maneira como elas se enxergam e se aceitam, uma mudança de comportamento que influencia no consumo e reflete nas marcas que está abrindo espaço para esse nicho”, completa a consultora e professora de moda no Senac, Carol Furtado.

Nos anos 1950, as mulheres revolucionaram o guarda-roupa feminino. Aos 50 anos, elas mudam agora o dress code da “senhora” e desfilam looks ousados e elegantes, revelando uma mulher segura de si e jovial. A professora Juliene de Lião se diz vaidosa e que nunca se sentiu “velha”. “Eu gosto de me vestir bem e visto o que me faz sentir bem, o que tem a ver com meu estilo. Eu acho que é isso, a pessoa tem que vestir aquilo que a faz se sentir bem, não tem essa de idade, não”, fala.

Ser sexy pode!

Decotes, transparências, saia e shorts curtos estão ligados à sensualidade e, sensualidade, meu bem, é ageless (não tem idade). O uso desta ou aquela peça tem mais a ver com o ambiente onde se está do que com a idade. A consultora de moda Ana Vaz ressalta: não se sinta em competição com as “novinhas”.

“É comum essa mulher colocar uma peça mais curta e sentir que está concorrendo com as ‘menininhas’, se sentir fragilizada. Isso tem muito a ver às imposições que a sociedade colocou sobre ela, e a moda apoiou por muito tempo, em manter a mulher madura invisível. Hoje, mais do que nunca, precisamos trabalhar essa desconstrução”, enfatiza.

Para quem está começando agora e está um pouco insegura sobre como se vestir, a dica é mesclar uma peça que “revela” e outra que “esconde”, no mesmo look. Por exemplo, se a blusa é transparente prefira saias mais compridas. Uma saia ou calça mais justinha de couro fica superelegante com uma camisa de alfaiataria ou uma camisa em tecido mais fluído e manga buffant. “Fazer esse jogo de opostos funciona em todas as idades e o resultado fica muito legal”, diz Ana.

O que eu posso usar?

Tudo! Desde que se sinta bem e a peça corresponda a seu estilo pessoal. Peças antigas e gastas pelo tempo nem pensar! Para começar a inovar o guarda-roupa, invista em peças clássicas e de qualidade: camisa branca, calça alfaiataria, terninho bem alinhado, saia lápis e um vestido pretinho básico. O estilo clássico não é obrigatório após os 50, porém, traz peças-chaves para compor qualquer look, do casual à saída noturna.

“A alfaiataria está ligada à maturidade, sofisticação e seriedade. Uma mulher de 50, 60 anos que se sente mais jovem pode investir em peças de alfaiataria com cortes mais modernos, estampas e tecidos, ou fazer uma conexão com peças joviais como uma calça risca de giz com T-shirt e coletinho jeans”, sugere a consultora de moda e imagem, Ana Vaz. Tênis, moletom e moletinho (versão mais leve) estão em alta entre as fashionistas. Além do conforto, peças esportivas deixam o visual mais jovem.

Carol Furtado, professora de moda no Senac, sugere combiná-las com roupas de estilo mais formal. “Misturar estilos deixa o look interessante”, ressalta. Experimente usar uma blusa de moletinho com calça de alfaiataria ou pantalona, saia evasê ou lápis (de tecido ou couro). A calça de moletom fica estilosa com T-shirt e anabela, mule ou tênis.

Dicas e truques:
 

Cores e estampas
Se a ideia é valorizar uma parte em específico do look, peças em cores vivas são perfeitas. Se o tecido é estampado, dê atenção àqueles com fundo claro pois chamam mais a atenção. Mas, se o objetivo é disfarçar alguma gordurinha, as cores escuras são as ideais. Prefira tecidos com estampas menos espaçadas e fundo escuro.

Sinais do tempo
A flacidez incomoda as mulheres e, por isso, as especialistas sugerem usar peças de tecidos leves e fluídos. Se a intenção é disfarçar os braços, aposte nas blusas com manga em tecido leve ou renda, manga 3/4 ou sobreposição com regatinha. Para as pernas, a dica são peças em comprimento midi (abaixo do joelho).

Acessórios
Use e abuse de colares, anéis, pulseiras e brincos. Peças coloridas deixam o visual mais descontraído, enquanto o brilho traz sofisticação; as pequenas reforçam a delicadeza de um look, enquanto peças maiores valorizam colo, rosto e as mãos. Se existe incômodo com relação a flacidez ou ruguinhas, use argolas, bolinhas e texturas, pois suavizam a pele.

Brilhos e rendas
O brilho dá aquele toque luxuoso e jovial à roupa. A renda é sempre bem-vinda. Para eventos formais, a dica é combiná-los em vestidos de tecidos estruturados. “Não tem problema em usar decote, mas é preciso que o corte seja caprichado para manter a sofisticação”, diz Tainá Vicentin, sócio-proprietária da Princezinha Noivas e Noivos.

Consultoria: Black Rose, Madame Madu, Princezinha Noivas & Noivos, Keila Campos Calçados e Senac Americana

Agradecimento: Juliene de Lião (modelo)

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora