Claudia Porteiro dá a sua receita de sucesso

Uma das empresárias mais respeitadas de Americana e região, a banqueteira falou sobre o início da carreira e sua história na gastronomia


Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Formada em Nutrição pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Campinas, Claudia sempre amou a cozinha

Quando o assunto é gastronomia, talvez o nome Claudia Porteiro seja um dos mais lembrados e reconhecidos na RPT (Região do Polo Têxtil) e no interior paulista como um todo. Há 24 anos no mercado, a Claudia Porteiro Gastronomia, empresa especialista em servir buffets memoráveis nos mais diversos eventos, celebra uma história de sucesso, mas que nasceu quase que “por acaso”.

Formada em Nutrição pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Campinas, Claudia sempre amou a cozinha. A alma “empreendedora” já mostrava as caras na época da faculdade, quando vendia bolos e doces entre as aulas. Campineira, veio para Americana recém-formada, após se casar com o empresário Walter Porteiro, e ocupou a vaga de nutricionista no Hospital Municipal. “Lá, também comecei a vender chocolate artesanal”, lembra.

Logo, mudou de ares. “Apareceu um trabalho num restaurante industrial em Nova Odessa. Lá eu conseguia fazer algo mais rebuscado e diferenciado, e foi onde surgiu a primeira oportunidade de empreender”, diz. De acordo com Claudia, a empresa ofereceu a oportunidade para que ela abrisse uma empresa de refeição industrial, que prestasse um serviço terceirizado. Abri a empresa e comecei com 300 refeições, mas cheguei a atender 1.100 pessoas”.

Foi uma dessas refeições que abriu as portas para Claudia do que viria a ser seu negócio de maior sucesso. “Um advogado da empresa que gostava muito da minha comida perguntou se eu não queria fazer o buffet do casamento da filha dele”. Para a empresária, foi uma surpresa. “Até então, nunca tinha feito evento. Pesquisei um menu para fazer a degustação, fui atrás de equipes de garçom, aprender a fazer novas receitas, e fiz meu primeiro evento, no Clube do Bosque, para 400 pessoas, em fevereiro de 1995”.

Paixão pela gastronomia está no DNA

A paixão de Claudia Porteiro pela cozinha veio de berço. Inspirada pela mãe, Dona Aparecida, ela foi observando e fazendo suas receitas. Quando o buffet tomou forma, ela tinha 32 anos, era casada e já tinha os filhos Bianca e Diogo.

Um dos desafios de Claudia foi conciliar o trabalho e o cuidado com a família. “O apoio deles foi essencial. Tive que abrir mão de muita coisa para seguir adiante e, se não fosse a família apoiando, seria muito mais difícil”. No decorrer da carreira, fez cursos e se formou com chefs renomados ao redor do mundo. E como a fruta nunca cai longe do pé, os filhos seguiram os mesmos passos da mãe.

Bianca Porteiro, por exemplo, é chef com especialização em Confeitaria pela École Lenôtre, na França. Em 2009, participou da segunda edição do Super Chef, reality show de gastronomia promovido pelo programa Mais Você, apresentado por Ana Maria Braga, na Rede Globo.

Por três anos empresária conciliou cozinha industrial com eventos

Depois de aceitar convite para fazer o primeiro buffet do casamento, Claudia Porteiro percebeu um novo filão de mercado se abrindo diante de si. “Tive um retorno muito bom, muita gente começou a perguntar quem eu era, quem tinha feito o buffet, um foi indicando para o outro e comecei a fazer mais eventos. Foi o famoso ‘boca a boca’”, aponta.

Ela conciliou os eventos e a cozinha industrial por três anos, até que deixou as refeições de lado para focar sua atenção ao buffet. “Comecei com uma cozinha no Jardim Alvorada, depois mudei para um prédio na Rua Dom Bosco e, em 2008, começamos a construir o prédio no Loteamento Machadinho, onde atendemos até hoje”, relembra. Porém, segundo a empresária, tudo foi acontecendo aos poucos e de forma muito natural.

“A gente foi aprendendo na ‘marra’, colocando a mão na massa mesmo, com muitos cursos e buscando informação sempre”.

‘Jamais imaginei que iria me tornar uma empresária’

Se engana quem pensa que Claudia Porteiro sempre sonhou em ter um negócio próprio, ainda mais com o nível de reconhecimento que alcançou na região. O amor ao mundo da gastronomia sempre esteve lá, porém, a alma empreendedora foi surgindo aos poucos.

“Jamais imaginei que iria me tornar uma empresária, apesar de sempre amar o setor da gastronomia.

Foi tudo acontecendo tão de repente e naturalmente, que mesmo não tendo essa intenção, não podia deixar a oportunidade passar”.

Esse, aliás, é um dos conselhos que a banqueteira dá aos jovens empreendedores.

“Você não pode deixar essas chances passarem. Nessa área de empreendedorismo, você não pode perder a chance que aparece na sua frente. Não pode dizer ‘não’”, ressalta. Foi isso que fez a então nutricionista criar uma empresa que, hoje, emprega mais de 70 pessoas, sem contar com a mão de obra terceirizada contratada para cada evento.

Claudia também deu outras dicas para quem tem o sonho de empreender, mas ainda tem dúvidas sobre como seguir esse caminho. Para a empresária, primeiro de tudo é preciso ter pé no chão. “Um conselho que eu dou é sempre manter o pé no chão e não dar um passo maior do que a perna e se endividar”, orienta. Os momentos de dificuldade vêm, e é preciso estar preparado”, completa.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!