Cinco coisas que você precisa saber antes de correr

Hábito de correr ajuda na redução da gordura corporal, níveis de colesterol e melhora a circulação sanguínea, mas requer cuidados


Acordar cedo em um domingo para correr quilômetros sob uma chuva que insiste em cair. Loucura ? Todo esse pique tem explicação: ao correr, o corpo libera uma série de substâncias capazes de gerar uma sensação de prazer, o que acaba estimulando o praticante a se empenhar no exercício. Além disso, a prática ajuda na redução da gordura corporal, diminui a pressão sanguínea, e pode até melhorar a qualidade do sono. Entretanto, é preciso tomar alguns cuidados antes de colocar o tênis e sair correndo por aí.

“Primeiro, é preciso avaliar suas condições físicas com um especialista, que pode ser um cardiologista, médico do esporte ou ortopedista, dependendo do perfil de cada pessoa. Nessa consulta será realizada uma avaliação da capacidade cardíaca e respiratória, além de análise clínica, músculo esquelética e neurológica, verificando se há algum problema que pode dificultar a prática do esporte”, salienta o especialista em cardiologia e medicina do esporte Dr. Luiz Riani.

Além disso, vale lembrar que é preciso disciplina para melhorar sua capacidade como corredor, já que os treinos devem ser feitos regularmente, principalmente quem tem a intenção de correr em provas e circuitos.

Cuidados na hora de correr
– Hidratação é preciso: iniciar uma corrida sem a devida hidratação pode causar tontura, mal estar e até desmaios. O ideal é que a pessoa tome um pouco de água antes do treino e vá consumindo também durante a atividade. A falta de água no organismo pode, inclusive, prejudicar o desempenho nas provas.

– Seja amigo da esteira: o treino feito ao ar livre é com certeza mais completo do que o da esteira, já que o corredor precisa lidar com mudanças de temperatura, obstáculos da rua e variações da corrente de ar. Entretanto, a esteira também pode ajudar para aqueles dias em que o tempo só é suficiente para a academia, além de facilitar a execução dos treinos intervalados onde se alternam picos de alta intensidade com períodos de recuperação, um desafio bem mais complexo de se executar na rua. “Para que o treino na esteira seja tão produtivo quanto o da rua, é preciso ficar atento à inclinação do aparelho e à intensidade dos exercícios”, afirma Dr. Riani.

– Alimentação no dia do treino: nunca saia de casa para correr sem comer. Além de prejudicar o desempenho no treino, esse hábito pode causar mal estar e queda de pressão arterial durante e principalmente após o término da atividade. Antes do treino, dar preferência para fontes de carboidrato, que fornecerão energia para o exercício. Já após a corrida, prefira alimentos ricos em proteínas, que irão repor o nutriente no músculo.

– Dê um tempo para o seu corpo: não é com uma semana de treino que você conseguirá ter o mesmo desempenho que o seu amigo, que corre há meses ou anos. O seu desenvolvimento na corrida dependerá de vários fatores, como periodicidade e intensidade dos treinos, rotina alimentar, qualidade do sono, entre outros. Cada pessoa tem o seu próprio limite, que precisa ser respeitado. “Outro ponto que vale ser lembrado é que, em casos onde há pausas no treino, de algumas semanas ou meses por exemplo, o organismo pode demorar para voltar a ter os mesmos resultados”, reforça o especialista.

– Escolha a roupa e o calçado adequados: mais importante do que escolher roupas próprias para correr, é escolher roupas confortáveis. É importante que elas deem a liberdade necessária para a prática da atividade. Hoje o mercado conta com várias opções de roupas específicas para corrida, com tecidos mais leves e próprios para a atividade. Quanto aos calçados, mais uma vez o conforto é essencial, buscando tênis leves, flexíveis, com bom amortecimento e estabilidade.

Fonte: Alta Excelência Diagnóstica

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora