Saiba como evitar e o que fazer em casos de ataques de abelhas

Fugir em zigue-zague durante o ataque e ir ao hospital em caso de picadas são as principais recomendações


A morte de 14 macacos prego do peito amarelo no Zoológico de Americana, divulgada pela administração do local nesta sexta-feira (6), nos lembra de que, apesar da abelha ser um animal muito importante e matá-la seja crime ambiental, ainda é preciso tomar cuidado com os ataques desses insetos.

Foto: Freeimages.com
Algumas dicas podem te ajudar na hora de fugir de um ataque de abelhas

“Em qualquer ocasião, as abelhas só atacam quando se sentem ameaçadas, seja por excesso de movimento em um lugar, cheiro intenso ou barulho”, explica César Candelori, Tecnólogo em Apicultura e Meliponicultura em Americana.

Ataques

Caso elas se sintam ameaçadas e comecem a atacar ou perseguir alguém, a recomendação do tecnólogo é fugir do ataque correndo o mais rápido possível em zigue-zague, já que a abelha tem dificuldade para voar neste sentido.

É importante saber que entrar na água para fugir delas é um mito! “As abelhas, na verdade, são muito inteligentes e reativas, então se elas se sentem atacadas e essa pessoa entra na água, elas perseguem e ficam esperando na superfície. No momento em que a pessoa for emergir, ela pode ser picada no rosto e em outros locais sensíveis, como a boca”, alerta César.

As cidades de Americana, Sumaré, Santa Bárbara e Hortolândia registraram, juntas, 85 casos de ataques de abelhas, todos sem óbito, sendo que somente em Hortolândia foram 56. A quantidade é menor do que em 2018, com 107 casos, e em 2017, com 111.

Picadas

Caso a pessoa seja picada por uma ou várias abelhas, a recomendação é ir direto ao hospital, principalmente se for alérgica.

“Nunca é recomendado tentar tirar o ferrão com a mão, faca ou pinça, já que junto com o ferrão fica uma bolsa de veneno, que pode ser estourada durante esse contato, machucando a vítima mais ainda”, explica o tecnólogo, depois de dizer que o veneno da abelha não mata, mas pode provocar outras reações, como choque anafilático, que por sua vez pode levar à morte, principalmente com várias picadas de uma só vez.

Na primavera é mais comum o ataque de abelhas, porque é nessa época do ano em que ocorre a enxameação, processo em que as operárias migram com uma nova rainha para formar novos enxames, e, por isso, ficam mais agressivas.

*Estagiária Maíra Torres, sob supervisão de Guilherme Magnin.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora