Casas têm, em média, 4 criadouros do Aedes aegypti

Recomendação da Superintendência de Controle de Endemias é que eles sejam eliminados e tratados uma vez por semana


De acordo com levantamentos realizados entre 2011 e 2016 pela SUCEN, Superintendência de Controle de Endemias do Estado de São Paulo, verificou-se que em média continuam a serem encontrados quatro criadouros do Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. Esse dado vai no mesmo sentido da percepção de especialistas, de que ao menos 80% dos criadouros do mosquito da dengue estão dentro das casas e em volta delas, nos ambientes como jardins, quintais e varandas.

Esses cenários apontam para a necessidade de envolver ainda mais a população no combate ao mosquito, uma vez que é principalmente dentro das casas que o Aedes se reproduz.

Foto: Divulgação
O mosquito busca locais em que a água pára ou pode se acumular para colocar seus ovos

Ele busca locais em que a água pára ou pode se acumular para colocar seus ovos, podendo por até 1.500 s ao longo de sua vida. Eliminar os criadouros residenciais é uma estratégia fundamental para diminuir a circulação destes mosquitos e, consequentemente, das arboviroses, especialmente quando se sabe que os ovos já podem nascer infectados aumentando muito a velocidade de circulação dessas doenças no ciclo atual.

Se a resposta para um problema tão sério parece simples como reduzir o número de criadouros, a realidade é bastante diferente, pois nem todos podem ser eliminados. Ralos e vasos sanitários com pouco uso, e bandejas de geladeira frost-free não podem ser facilmente removidos. E ainda há aqueles outros objetos que fazem parte da nossa cultura, como a vasilha de dar água ao animal de estimação ou o prato do vaso de planta que fica dentro de casa que aparecem em enorme quantidade nos levantamentos oficiais.

A recomendação dos agentes de saúde é que os criadouros sejam eliminados e tratados ao menos uma vez por semana, a fim de interromper o ciclo do mosquito. Isso implica, por exemplo, na lavagem com bucha e sabão de todos aqueles focos do mosquito que não podem ser removidos, pois basta acumular um pouquinho de água para que bote seus ovos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!