Obesidade na juventude merece atenção

Entre 2006 e 2016, houve aumento de 60% na quantidade de brasileiros que têm índice de massa corporal igual ou maior que 30 kg/m²


Foto: Abstract photo created by freepic.diller - www.freepik.com
A faixa etária dos 18 aos 24 anos está mais exposta à alimentação pouco saudáveis

Entre 2007 e 2017, a obesidade no País avançou cerca de 60%, em todas as idades. No entanto, há uma preocupação maior entre os jovens. Dos 18 aos 24 anos, a quantidade de pessoas acima do peso quase dobrou, pois saiu de 4,4% para 8,5%. Os dados são do Ministério da Saúde.

De acordo com especialistas, essa faixa etária é a que está mais exposta à alimentação pouco saudável. Afinal, são pessoas que estão muito tempo fora de casa, trabalhando e estudando. Entre 2006 e 2016, houve aumento de 60% na quantidade de brasileiros que têm índice de massa corporal (IMC) igual ou maior que 30 kg/m². O cálculo é feito dividindo o peso pela altura ao quadrado.

De acordo com recomendações da Organização Mundial da Saúde, o ideal é o resultado estar entre 18,6 e 24,9. Entre 25 e 29,9 é a chamada pré-obesidade, período que exige atenção. Acima começa a obesidade leve (30 a 34,9) e moderada (35 a 39,9). A obesidade severa é de 40 a 49,9, enquanto que a superobesidade começa acima de 50.

Alimentação e atividades

A chave para combater a obesidade está na alimentação e nos exercícios físicos. Aqui, uma dica valiosa: não adianta trocar o refrigerante por suco de caixinha, por exemplo. Atividades físicas, que não precisam necessariamente ser a academia, já ajudam. Subir as escadas ao invés de pegar o elevador. Descer um ponto antes de casa e andar na volta do trabalho, correr. Todas essas práticas ajudam. Afinal, o importante é começar.

 

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora