O impacto da fórmula infantil na saúde


O crescimento da rede global da produção de fórmulas infantis estpa intimamente ligado a globalização da produção de leite. No passado, o leite era apreciado por ser um produto fresco, consumido perto de onde era produzido, com pouco processamento além da pasteurização e homogenização. Hoje, no entanto, a produção de leite foi industrializada, com processadores comprando o leite de fazendeiros locais, normalmente com base em contrato, em sistemas bem hierárquicos. Fazer e comercializar fórmula infantil e outros alimentos para bebês tem se tornado um mercado rentável, por isso os produtos estão sendo promovidos com grande vigor, especialmente em economias emergentes. A fórmula infantil significa um substituto do leite materno especialmente manufaturado para satisfazer, por si só, as requisições nutricionais dos recém-nascidos durante os primeiros meses de vida até a introdução da alimentação complementar adequada.

É acordado de modo geral que o padrão outro para a alimentação do recém-nascido é o leite materno, ou mais pecisamente, o aleitamento materno ótimo. No passado, campanhas contra o uso de fórmulas infantis focaram no seu uso frequente de métodos inseguros e, nos riscos de contaminação, especialmente em países de menor poder aquisitivo. Desde então houveram melhoras na qualidade da fórmula infantil e, tem se dado muita importãncia para garantir a preparação segura desta. No entanto, permanece verdade que muitos efeitos adversos à saúde são piorados com as fórmulas infantis do que com o leite materno. Como uma recomendação pública global de saúde, recém-nascidos devem ser alimentados exclusivamente com o leite materno pelos primeiros seis meses de vida para atingirem um crescimento ótimo, desenvolvimento e saúde. Depois, para atingir sua necessidades nutricionais evolutivas, eles devem receber alimentos nutricionalmente adequados e seguros complementares enquanto o aleitamente materno continua por até um ou dois anos.

Referências

KENT, G. Global infant formula: monitoring and regulating the impacts to protect human
health, International Breastfeeding Journal, 2014.

Por Joyce Rouvier

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora