No dia do beijo, veja dicas para a saúde bucal

Especialista revela que o beijo traz benefícios à saúde, mas também pode transmitir doenças


Símbolo tradicional de amor, o beijo é uma das maneiras de demonstrar carinho pela pessoa amada. Mas além de aguçar os sentidos e ter fatores benéficos ligados à saúde, os beijos podem acarretar alguns riscos. E para que os apaixonados possam aproveitar o Dia do Beijo, comemorado em 13 de abril, de forma consciente e com a saúde bucal em dia, o dentista Edmilson Pelarigo Antônio dá dicas sobre o assunto.

Primeiro, é importante lembrar que um beijo pode trazer ótimas sensações. Para se ter ideia, uma boca quando é beijada exercita cerca de 29 músculos faciais, sendo que 17 são da língua. Além disso, o tato nos lábios é 200 vezes mais forte que nos dedos, e um beijo rápido queima até três calorias, enquanto um de nível intenso, com duração de um minuto, pode fazer você queimar 15 calorias.

“Também aumentamos a produção de hormônios e podemos notar uma melhora na circulação sanguínea. Ou seja, beijar eleva os batimentos cardíacos de 70 para 150 batimentos por minuto. E o que muitos não sabem é que o bombeamento sanguíneo traz benefícios, ele aumenta a oxigenação das células, estimula as funções circulatórias e diminui tanto a insônia, quanto as dores de cabeça”, explica Edmilson Pelarigo Antônio.

Mas é importante lembrar que o beijo deve ser dado com responsabilidade e que para isso a saúde bucal precisa estar em dia, levando em consideração os cuidados diários. Os dentes devem ser escovados após cada alimentação, ou no mínimo cinco vezes ao dia. Para ter uma boa limpeza, deve-se fazer movimentos circulares de dois em dois dentes, seguidos de movimentos para frente e para trás. O uso do fio dental em todos os dentes também deve ser diário.

Segundo o especialista, 20% das bactérias estão em nossas línguas. Dessa forma, não podemos esquecer de escová-la ou utilizar um raspador lingual. Os enxaguantes, de preferência sem álcool, completam a higiene bucal. Estas medidas previnem doenças da cavidade bucal, como cáries e doenças periodontais. Porém, outras doenças infecciosas podem ser transmitidas pelo beijo, como lesões pelo vírus HPV, herpes, sapinho (candidose), gripe, tuberculose, hepatite B, entre outras. Tais doenças são transmissíveis pelo beijo, uma vez que em uma única gota de saliva trocada podem existir mais de dois bilhões de bactérias.

“Aos que se questionam sobre o vírus HIV, causador da Aids, ele geralmente não é transmitido pelo beijo. Isso só acontece caso ocorra sangramento ou haja feridas bucais abertas”, revela Edmilson Pelarigo Antônio. Apesar de milhões de bactérias serem trocadas durante o beijo, se você seguir os cuidados e manter a higiene bucal em dia, beijar é um ato seguro, que traz benefícios ao corpo e é uma das melhores demonstrações de carinho em uma data festiva, como o Dia dos Namorados.

Fonte: Ortodontic Center

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora