Nessas estações o corpo pede por alimentos mais quentinhos

Especialista alerta sobre o consumo de alimentos calóricos, pois nessa época dá mais vontade de comer


Foto: Divulgação
Substituir a salada e a proteína por um bom prato de sopa, com legumes, verduras e temperinhos naturais, pode ser uma opção saudável para os jantares

Quando começa a baixar a temperatura, não tem jeito: nosso corpo começa a sentir mais fome, mais vontade de comer. Em dias muito quentes, em que a sensação térmica bate lá em cima no termômetro, a única coisa em que conseguimos pensar é beber água, e comer acaba ficando em segundo plano. Já no inverno, nosso corpo anseia por alimentos quentinhos.

Esse desejo na verdade seria uma falha do nosso organismo. Um estudo da Universidade de Exeter, no Reino Unido, aponta que os humanos não são “programados” para resistir aos alimentos mais tentadores, aqueles ricos em gordura e que acabam se tornando mais saborosos ao paladar.

Na verdade, ainda mantemos hábitos primitivos: no período mais frio, deve-se diminuir as atividades físicas e se ingerir tudo o que pudesse para, em seguida, salvar-se da próxima fase, que seria a da escassez. Mesmo com toda a evolução que ocorreu em nosso corpo, esse foi um dos legados que se manteve até hoje.

Apesar desse instinto natural do nosso organismo, devemos cuidar da forma como nos alimentamos, já que não precisamos mais manter uma reserva de energia. Para Ermelinda Vela Bertoldi, especialista em nutrição, o ideal é dar preferência aos alimentos próprios da estação.

“Substituir a salada e a proteína por um bom prato de sopa, com legumes, verduras e temperinhos naturais, pode ser uma opção saudável para os jantares durante o inverno”, explica.

De acordo com ela, alguns alimentos indicados para o preparo dessa refeição seriam cenoura, chuchu, repolho, abobrinha e também proteínas, desde que magras. Já os carboidratos devem ser evitados após as 18h, deixando massas e arroz, entre outros, apenas para as receitas servidas durante o almoço.

TEMPEROS CASEIROS. Além dessas opções, a especialista destaca ainda que temperos caseiros podem ser adicionados à mistura. “Pimenta, louro, manjericão, salsinha, cebolinha são temperos termogênicos que auxiliam na aceleração do metabolismo e, consequentemente, no emagrecimento”. Ermelinda complementa que, salvo esses elementos que podem ajudar na perda de peso, a sopa por si só já é um prato pouco calórico. “Uma porção de caldo de carne com legumes e verduras possui em média 90 calorias, e uma porção de sopa de feijão, 150”.

Já com o acréscimo de carboidratos, alimento que deve ser ingerido durante o dia, o ideal é se concentrar nos componentes que atuarão como boa fonte de energia, como batata doce, aipim e macarrão integral. Outra opção é trocar esses itens por farinhas de linhaça ou de chia.

Sem restrições com horário

Agora sem restrição de horário, pode-se investir na composição com refogados de legumes: brócolis, couve-flor, acelga, cenoura e agrião. Além de todos esses ingredientes, procure sempre incluir elementos ricos em vitaminas.

“Vitamina A é essencial para a visão, ossos e saúde da pele. Ela pode ser encontrada em vegetais folhosos de coloração escura, como espinafre e couve, e em frutas de cor amarela ou alaranjada. Também as vitaminas C e E, que são antioxidantes e auxiliam no fortalecimento do organismo e dos anticorpos e ajudam a prevenir gripes. Estão presentes em morangos, limões e laranjas, iguarias indicadas inclusive como uma boa sobremesa pós-sopa.

Se preferir uma sopa de feijão, a dica é consumir a laranja com o prato principal, pois ela vai auxiliar na absorção de ferro pelo corpo”, explica a especialista em nutrição Ermelinda Vela Bertoldi.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora