Da clara à gema: benefícios do ovo

Alimento traz benefícios para a saúde dos olhos, para as funções cerebrais e promove uma sensação de saciedade no organismo


Foto: Adobe Stock
O Estado de São Paulo estabeleceu 18 de outubro como o Dia do Ovo; um dos alimentos mais completo

O ovo é considerado o segundo alimento mais completo para o ser humano, perdendo apenas para o leite materno. Isso está relacionado ao seu alto teor nutricional, já que sua função primordial é gerar uma vida.

A indicação da Organização Mundial da Saúde indica que a quantidade diária consumida leve em consideração o peso do indivíduo, com uma média de um ovo a cada 30 quilos. Já pessoas com atividades físicas intensas podem consumir uma quantidade maior, dependendo de orientação de nutricionista. Contudo, alguns mitos acabam afastando o público desse alimento. O principal deles está relacionado ao colesterol, já que o ovo possui alta concentração dessa substância. Por outro lado, estudos indicam que a absorção humana do colesterol presente no ovo é baixa, ficando na casa dos 15%.

Com o objetivo de derrubar mitos que cercam esse alimento e estimular a população a consumir essa fonte de proteínas, o Estado de São Paulo estabeleceu 18 de outubro como o Dia do Ovo.

NOVA ODESSA. O IZ (Instituto de Zootecnia), em Nova Odessa, realizou na semana passada o 1° Dia do Ovo, com palestras gratuitas. A reportagem do Mais Vida conversou com o pesquisador José Evandro de Moraes, que coordenou o evento, para entender as propriedades desse alimento.

Ele elencou que o alimento é benéfico para a saúde ocular, para as funções cerebrais, promove sensação de saciedade e alta absorção das chamadas gorduras boas, como ômega. Moraes lembrou ainda que a clara é fonte de albumina, a proteína que o corpo humano tem maior capacidade de absorção.

O pesquisador ressalvou que gente acaba dispensando a gema por medo do colesterol. Ele indicou que essa parte do ovo é rica em luteína – substância que dá a cor amarela à gema e é importante para a saúde dos olhos – e também em colina – que ajuda no funcionamento dos neurônios de forma adequada.

“Se você pensar no desenvolvimento de uma criança, na saúde na terceira idade ou em pessoa convalescente, o consumo do ovo na forma integral vai trazer os benefícios dessas substâncias”, indicou Moraes. Com seu alto valor nutricional, ele proporciona sensação de saciedade. “Quando você come um alimento que tem o ovo como base, acaba consumindo menos calorias do que consumiria se fosse um alimento desbalanceado ou pobre em nutrientes. Então, ele ajuda a perder peso”, explicou o pesquisador.

IDOSOS. Moraes fez um destaque especial em relação aos idosos, que por vezes acabam excluindo o ovo do cardápio por medo dos efeitos do colesterol em problemas cardíacos.

Como ele já possui quantidades suficientes de gordura, a indicação é evitar fritá-lo, dando preferência para ovos mexidos, cozidos, omeletes e receitas à base de ovo.

“O ovo é um alimento importantíssimo, o melhor alimento depois do leite materno e a fonte de proteína mais barata que a gente tem acesso no Brasil. Quase todo mundo pode consumi-lo, a exceção fica para os alérgicos”, orientou o especialista.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora