Campinas faz 1º procedimento do País contra dores no ombro

Procedimento alternativo, conhecido como Denervação de Ombro por Radiofrequência, foi realizado pela primeira vez fora dos Estados Unidos


Sentir dor nos ombros é um incômodo para atividades diárias comuns. Essa dor pode chegar a um ponto de incapacitar para realizar ações simples, e contribuir com a irritabilidade por sua constância.

Existem diversos tratamentos contra dor nessa região, envolvendo desde atividades que podem melhorá-las, passando por medicamentos e cirurgias. Contudo, nem sempre os resultados acabam com ela. Em muitos casos, os pacientes não conseguem dar prosseguimento no tratamento convencional pois ela chega a ser incapacitante.

Uma nova possibilidade de alívio passou a integrar o rol de tratamentos contra essa dor: o procedimento de Denervação de Ombro por Radiofrequência, com sistema refrigerado pode auxiliar esses pacientes. É considerado um procedimento minimamente invasivo.

A técnica foi realizada pela primeira vez fora dos Estados Unidos recentemente. O pioneirismo ocorreu no Hospital Vera Cruz, em Campinas. Anestesiologista especialista em dor, José Luiz de Campos explicou que a técnica consiste em neutralizar os nervos responsáveis pela sensação da dor, sem afetar as áreas de movimento ou as táteis.

Foto: Divulgação
Denervação de Ombro por Radiofrequência

A denervação já era realizada em outras partes do corpo, como coluna lombar, cervical, joelho e quadril. O desafio do ombro é que trata-se de uma região muito rica em terminações nervosas e de difícil localização dos pontos anatômicos.

Com a realização do procedimento no País, abre-se uma nova possibilidade a essas pessoas. “Os pacientes buscam alívio em medicamentos, massagens e ou fisioterapias que nem sempre apresentam os resultados esperados. Atualmente, os profissionais de saúde que convivem com pacientes que têm dor crônica no ombro têm opções limitadas de tratamento fora das condutas conservadoras e das cirurgias tradicionais”, afirmou o médico.

O procedimento atenua, no mínimo, 70% da dor prévia. A intervenção não traz a cura, mas estudos clínicos da radiofrequência refrigerada demonstraram alívio em até 24 meses após a intervenção, com melhora da função física e redução do uso de medicação. “Se for o caso, o paciente pode refazer o procedimento anos depois, sem ônus algum”, garante o médico. Estão em andamento estudos para ampliar o procedimento para outras articulações – uma delas é o tornozelo.

Cirurgias

O Hospital Vera Cruz já realizou seis denervações no ombro. A primeira paciente a receber o tratamento foi a dona de casa Vitória Maria Denardi de Oliveira Barros, de 62 anos. Ela contou que a dor irradiava do ombro para o braço e que a mão perdia força. Com isso, até mesmo tarefas corriqueiras ficavam limitadas.

“Assim que o procedimento terminou eu me sentei na maca e o médico pediu para eu movimentar o braço. Fiquei até intrigada, pois para todo lado que eu mexia a dor não vinha. Foi uma sensação extraordinária”, descreveu.

Anestesiologia especialista em dor do Hospital Vera Cruz, José Luiz de Campos explicou que o procedimento é ambulatorial e o paciente tem alta no mesmo dia. “A técnica de radiofrequência com sistema refrigerado tem mais assertividade nesses nervos, e permite que o procedimento seja feito com segurança”, explicou o médico.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora