A relação entre o tipo D de personalidade, atividade física e sintomas do climatério


Existem evidências consideráveis atualmente que em torno de 75% de todas as mulheres experimentam vários graus de um número de sintomas físicos e psicológicos durante a transição da menopausa. Isso tem sido referido como síndrome menopausal ou climatério e incluem sintomas psicológicos (nervosismo, irritabilidade), vasomotores (calorões, suor noturno), somáticos/físicos (insõnia, dor de cabeça, parestesia) e sexuais (secura vaginal, perda de interesse por sexo). Fatores os quais podem explicar a variação na experiência da síndrome climatérica incluem estilo de vida, presença de problemas de saúde mental, contexto social e personalidade.

Recentemente a personalidade agustiada ou tipo D tem sido indicada como influenciadora na saúde em pessoas normais ou com doenças crônicas. A personalidade tipo D é caracterizada pela efetividade negativa e na inabilidade em expressar as emoções ou ou comportamentos em interações sociais. Indivíduos com personalidade tipo D pontuando alta efetividade negativa e interação social experimentam mais estresse crônico, problemas sociais e emocionais e eventos adversos à saúde. Estudos mostram que níveis aumentados de atividade física reduzem os sintomas físicos/somáticos assim como os sintomas sexuais em todas as mulheres, enquanto viver ativamente foi inversamente relacionado com os sintomas somáticos/físicos do climatério.

Muito provavelmente esses benefícios do exercício são devido a interação de fatores diferentes psicológicos, bioquímicos e fisiológicos e seu impacto flutua de acordo com a idade, histórico de exercício, modo, frequência e intensidade do mesmo. Os dados de estudos atuais sugerem que a personalidade tipo D está associada com um aumento na sintomatolofia de mulheres na pré e na pós menopausa. Portanto, mulheres na pós-menousa com personalidade tipo D podem ser beneficiar de intervenções visando reduzir os sintomas do climatério. No entanto, estudos de controle randomizados são necessáios para testar a eficácia de tais intervenções.

Referências

BORKOLES, E. et al. Relationship between Type-D Personality, Physical Activity Behaviour and Climacteric Symptoms, BMC Women’s Health, v.15, n.18, 2015.

Por Joyce Rouvier

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora