Físico pop, Stephen Hawking fez participação em seriados, filmes e até músicas

Morte de Hawking foi lamentada não só por personalidades do mundo científico, mas por líderes mundiais e personalidades da


O físico teórico britânico Stephen Hawking, que morreu nesta quarta-feira, 14, aos 76 anos, participou de filmes, seriados, desenhos animados e comerciais. Pelas aparições na TV e até em músicas emprestando sua voz, desde a década de 1990, o físico é considerado um cientista pop.

Uma das participações mais recentes foi em 2012, no seriado americano “The Big Bang Theory”. Hawking conversa com Sheldon Cooper, o personagem principal, em “The Hawking Excitation”, no último episódio da 5ª temporada. O cientista participou interpretando a si mesmo.

Em desenhos animados, ele emprestou sua voz e versão ilustrada em “The Simpsons”, “Family Guy” e “Futurama”. O cientista também emprestou a voz para a música “Keep Talking”, da banda Pink Floyd, no disco The Division Bell.

{{1}}

Além das aparições em filmes, seriados e até canções, dois documentários foram feitos sobre a vida do cientista: “A Brief History of Time” (1991) e “Hawking” (2013).

A cinebiografia mais recente sobre o cientista britânico foi lançada em 2014: “The Theory of Everything” (em português, “A Teoria de Tudo”). A obra foi indicada ao Oscar de melhor filme. O ator Eddie Redmayne, que interpretou o físico, recebeu o prêmio de melhor ator. O filme é baseada em “Travelling to Infinity: My Life with Stephen”, livro de memórias de Jane Hawking, ex-mulher do físico.

Seu primeiro livro a se tornar popular foi Uma “Breve História do Tempo: do Big Bang aos Buracos Negros”, lançado em 1988. Na obra, Hawking procurou divulgar ao grande público questões fundamentais sobre o nascimento e a morte do Universo. Desde então, o cientista publicou vários outros livros de divulgação, como “O Universo em uma Casca de Noz”, “O Fim da Física”, “Os Gênios da Física: Sobre os Ombros de Gigantes” e “Uma Brevíssima História do Tempo”.

Mesmo sem poder movimentar o corpo ou falar durante a maior parte de sua vida, por conta de uma grave doença degenerativa, o cientista deu contribuições importantes à Física, especialmente com seus trabalhos sobre as origens e estrutura do Universo, que ajudaram a entender o papel dos buracos negros.

Hawking nasceu em Oxford, na Inglaterra, em 8 de janeiro de 1942, no mesmo dia em que a morte do astrônomo italiano Galileu Galilei completava 300 anos. Formado em Física na Universidade de Oxford, tornou-se pesquisador da Universidade de Cambridge, em cosmologia – a ciência que estuda o Universo em sua totalidade, envolvendo sua origem e sua evolução.

Personagens do mundo pop fazem homenagens a Stephen Hawking

Stephen Hawking: britânico, físico, pesquisador e um dos maiores cientistas do mundo. Além de contribuir para a ciência com teorias que mudariam a forma como entendemos o universo – inclusive tentar uma explicação plausível para o que existia antes do Big Bang -, ele foi eternizado em participações especiais em séries, animações e filmes.

O legado de Hawking é notável e a morte dele, aos 76 anos, foi lamentada não só por personalidades do mundo científico, mas por líderes mundiais e personalidades da cultura pop, como Katy Perry.

“Há um grande buraco negro no meu coração antes do Dia de Pi. Descanse em paz, Stephen Hawking”, escreveu Katy Perry no Twitter, fazendo referência às teorias do cientistas sobre buracos negros no universo e ao dia que homenageira a constante de Pi (p) da matemática, celebrado nesta quarta-feira, 14.

Foto: Reprodução
Físico chegou aparecer em alguns episódios de Simpsons

Al Jean, escritor e produtor de “Os Simpsons”, comentou que Hawking tinha “um senso de humor tão vasto quando o universo”. O físico chegou aparecer em alguns episódios da animação.

O perfil da série “The Bing Bang Theory” também fez uma homenagem a Hawking com uma foto de quando ele participou da produção. “Obrigado por nos inspirar e o mundo.”

O ator e humorista Kumail Nanjiani, que participa da série, disse nas redes sociais que ficou “realmente muito triste” ao saber da morte de Hawking. “Se você não leu, leia ‘Uma Breve História do Tempo’. Isso fará você se sentir inteligente e estúpido ao mesmo tempo”, escreveu, ao citar um livro escrito pelo físico.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!