O fim de uma era no cinema mundial

Com estreia de “A Ascensão Skywalker”, uma das sagas mais importantes do cinema finalmente tem seu esperado desfecho


Foto: Divulgação
Incertezas marcam o último filme da saga, que tem direção de J.J. Abrams e o protagonismo da jovem atriz Daisy Ridley no papel de Rey

Na próxima quinta-feira, chega aos cinemas de todo o Brasil “Star Wars: A Ascensão Skywalker”. Mais do que apenas encerrar a história da trilogia iniciada em 2015 com “O Despertar da Força”, este novo episódio promete encerrar de vez a saga da família Skywalker nas telonas. Afinal, Rey pode ir para o Lado Sombrio? Kylo Ren irá se redimir? Qual será o desfecho da general Leia Organa? A Primeira Ordem finalmente será destruída?

Esses são apenas alguns questionamentos que devem ser respondidos pelo diretor J.J. Abrams na nova produção. Mas será esse, realmente, o encerramento da história de Luke e da saga dos Skywalker? Numa entrevista à revista GQ norte-americana, o diretor comentou sobre o que os fãs podem esperar sobre o futuro de Star Wars depois de “A Ascensão Skywalker”. “Meu trabalho aqui era contar o último capítulo de uma série de nove filmes. O que vem a seguir, eu não sei dizer”, disse o cineasta à publicação. “Mas posso dizer que esse é o fim para certos personagens? Com certeza”, completou. Na mesma entrevista, ele disse que não está envolvido em futuros projetos envolvendo outros filmes da franquia. “O futuro de Star Wars é algo que espero consumir como fã”.

Star Wars nasceu em 1977, e ganhou duas sequências em 1980 (“O Império Contra-Ataca”) e 1983 (“O Retorno de Jedi”). Em 1999, voltou às telas numa nova trilogia, formada por “A Ameaça Fantasma”, “Ataque dos Clones” e “A Vingança dos Sith”. A nova trilogia foi iniciada em 2015. “George Lucas sempre disse que imaginava a história como três peças de três atos”, encerrou Abrams.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora