Museu do Videogame chega em Santa Bárbara

Do Atari ao PlayStation VR, são mais de 300 consoles para o público visitar e jogar gratuitamente nas dependência do Tivoli Shopping


Colecionador de videogames há 25 anos, Cleidson Lima recebeu um ultimato de sua esposa, durante um dia de faxina doméstica: precisava pensar numa forma de tirar suas centenas de consoles de casa, já que ocupavam quase todos os cômodos dela. Uma das alternativas sugeridas por ela foi a criação de um museu. “Só não tinha videogame no banheiro e na cozinha. Aí eu mostrei quem manda em casa e o museu está aí, né”, brinca.

Trata-se do Museu do Videogame Itinerante, que chega ao Tivoli Shopping neste sábado, onde fica até 2 de junho. No local, é possível tanto conhecer quanto jogar nos inúmeros aparelhos expostos.

Foto: Divulgação
Gratuito e aberto ao público, o Museu do Videogame Itinerante ficará no Tivoli Shopping até 2 de junho

Uma coleção até então com acesso restrito a amigos e parentes próximos, acabou se transformando em uma exposição que foi eleita o museu mais criativo do País pelo Ministério da Cultura, representou o Brasil no maior encontro mundial de museus, na França, em 2016, e esse ano chegou a ter uma temporada em Londres.

A gama de plataformas disponíveis vai de clássicos como Atari 2600, Nintendinho 8 bits, Master System, Mega Drive, Super Nintendo, Nintendo 64, XBox e Playstation a raridades como o primeiro console fabricado no mundo, o Magnavox Odyssey, de 1972; Fairchild Channel F, de 1976 (primeiro console a usar cartuchos de jogos); o Telejogo Philco Ford, de 1977 (o primeiro videogame fabricado no Brasil); o Nintendo Virtual Boy, de 1995 (primeiro a rodar jogos 3D); o Microvision (primeiro portátil a usar cartucho), de 1979; e o R.O.B (robozinho lançado juntamente com o Nintendo 8 bits, em 1985).
Os da nova geração também não ficam de fora e a lista inclui PlayStation VR, Nintendo Switch e XBOX ONE X.

“Todos ali têm uma história interessante. O primeiro videogame do mundo, que é o MagnaVox, eu achei largado, empoeirado, em um brechó de eletrônicos em São Francisco, na Califórnia. Para você ter uma ideia, eu comprei por 15 dólares, na caixa com nota fiscal, e eles não sabiam o que era. Teve videogames que eu trouxe que estavam largados e perdidos na Rússia”, revela Cleidson.

Entre os jogos clássicos que o visitante pode jogar estão River Raid, Enduro, International Super Star Soccer, Mortal Kombat, Street Fighter, Sunset Riders e Top Gear.

“Vai ter torneio usando Atari, Super Nintendo, o Playstation 4, Xbox, vai ter um concurso de Cosplay, em que pessoas da região que curtem Cosplay se vestem como personagens de videogame, e vai ter concurso de Just Dance, jogo em que você dança. Inclusive, estamos levando o bicampeão mundial de Just Dance, que é o Dhiego San”, acrescenta o organizador.

A exposição tem uma média de 5 milhões de visitantes ao ano e já foi “de Manaus ao Rio Grande do Sul”, conta Cleidson.

“O que eu sempre digo é que o museu não é uma exposição de videogames, mas uma mostra de histórias de todas as pessoas. Todo mundo que vai lá tem algum momento para relembrar com estes
videogames”, finaliza.

ACONTECE: Gratuito e aberto ao público, o Museu do Videogame Itinerante ficará no Tivoli Shopping entre este sábado e 2 de junho. O Tivoli fica na Rua do Ósmio, 699, Jardim Mollon.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora