Batman completa 80 anos; relembre as principais fases do herói

Seus criadores não esperavam que ele se tornasse um dos principais ícones da cultura pop, com uma influência que se espalha para além dos quadrinhos


Foto: DC Comics - Divulgação.JPG
Este mês, a DC Comics comemora a publicação da milésima Detective Comics oito décadas após a aparição original do guardião de Gotham City

Socialites endinheirados que se mascaravam para combater o crime eram uma verdadeira febre nos quadrinhos do final da década de 1930. A Lady Luck, de Will Eisner, e a Ms. Fury, de June Mills, foram dois exemplos de personagens assim. Mas o justiceiro proveniente da high society que mais se destacou foi o Batman, criação de Bob Kane e Bill Finger que completa 80 anos este mês.

Foto: Divulgação
O Caso do Sindicato dos Químicos

Destaque da 27ª edição da revista Detective Comics, o homem-morcego foi o protagonista de uma história despretenciosa, O Caso do Sindicato dos Químicos, e seus criadores certamente não esperavam que ele se tornasse um dos principais ícones da cultura pop, com uma influência que se espalha para além dos quadrinhos de heróis, espraiando-se pela televisão, cinema, games e todo tipo de mídia.

Este mês, a DC Comics comemora a publicação da milésima Detective Comics oito décadas após a aparição original do guardião de Gotham City. Nos quadrinhos, Batman já passou pelas habilidosas mãos de criadores como Frank Miller, Alan Moore e Neil Gaiman, vivendo diversas fases – mais cômicas no começo, passando para tons mais soturnos, chegando a histórias de forte teor psicológico e até, mais recentemente, questionando sua vida dedicada ao combate ao crime, quando, recentemente, o arco narrativo escrito por Tom King subverteu conceitos do herói, que abandonou a capa para tentar ser feliz.

Não tardou para que Batman saísse dos quadrinhos e invadisse a TV. Na década de 1960, o personagem foi interpretado por Adam West, antagonizado pela cômica versão do Coringa de Cesar Romero. Houve também uma animação iniciada em 1968, ano em que a série live-action foi encerrada. Desde então, Bruce Wayne – e seus coadjuvantes, como Arlequina, Coringa, Mulher-Gato, Bane e Robin – apareceu em diversos programas televisivos, mas o passo adiante em sua carreira seria o cinema.

via GIPHY

Após uma série de histórias clássicas dos quadrinhos como A Piada Mortal (1988), de Alan Moore, O Cavaleiro das Trevas (1989), de Frank Miller, e Asilo Arkham (1986), de Grant Morrison, o personagem se credenciou definitivamente para alçar voos mais altos e garantir o público das telonas. O primeiro filme do herói foi dirigido por ninguém menos que Tim Burton, em 1989, e obteve excelente recepção ao mesclar os tons mais sombrios dos quadrinhos com as cores extravagantes e o alívio cômico da televisão. No entanto, os filmes seguintes, lançados nos anos 1990, decepcionaram e fizeram o herói amargar alguns anos na geladeira. Inclusive, Batman & Robin (1997), de Joel Schumacher, ficou marcado como um dos piores filmes do gênero em todos os tempos – George Clooney já pediu desculpas publicamente algumas vezes por sua atuação no longa.

Foto: Divulgação
O primeiro filme do herói foi dirigido por ninguém menos que Tim Burton, em 1989, e obteve excelente recepção

Embora nos quadrinhos o Batman nunca tenha perdido sua relevância, um ano importante para o renascimento do herói em outras mídias foi 2005. Com o lançamento de Batman Begins a trilogia dirigida por Christopher Nolan tinha início. Cavaleiro das Trevas (2008), que contou com a impressionante atuação de Heath Ledger como o Coringa, arrebatando prêmios como o Oscar, o Globo de Ouro, o Bafta e o prêmio do Sindicato dos Atores, foi o filme que praticamente consolidou o gênero de super-heróis como um formato viável nos cinemas, no mesmo ano em que outro bilionário mascarado, Tony Stark, ganhava seu primeiro filme e dava início ao universo cinematográfico da Marvel.

Se o Cavaleiro das Trevas ecoa no cinema até hoje, no ano anterior, em 2007, o herói deixou sua marca definitivamente nos games. Batman já havia ganhado jogos para várias plataformas, como Nintendo, Super Nintendo, Playstation, Genesis e PC, desde os anos 1980. Mas a adaptação da HQ Asilo Arkham para o mundo eletrônico pelo estúdio Rocksteady foi tão bem-sucedida em Batman: Arkham Asylum (2007), Arkham City (2011) e Arkham Knight (2015), que até hoje os games de ação têm elementos do combate e da jogabilidade introduzidos na série do herói – incluindo o recente Marvels Spiderman, de 2018, que se inspirou bastante nos jogos do concorrente.

A mais recente encarnação do Batman nos cinemas, de Ben Affleck, talvez não tenha sido a mais auspiciosa, tendo em vista as reações mistas a filmes como Batman Vs. Superman (2016) e Liga da Justiça (2017), que obrigaram a DC a repensar seu universo compartilhado no cinema. Entretanto, aos 80 anos, Batman segue sendo um dos principais personagens da editora, ao lado do Super-Homem e da Mulher-Maravilha, e uma dos mais influentes criações de toda a cultura pop.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!