22 de junho de 2021 Atualizado 08:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Turismo

Viajando com bebê de colo

Será que ele pode viajar de avião? Paga passagem? Podem acumular milhas? Tire aqui todas as suas dúvidas!

Por Wendell Oliveira – Melhores Destinos

03 jun 2021 às 17:25

Para recém-nascidos, a idade mínima para viajar é de 7 dias de vida, na maioria das companhias aéreas - Foto: Nicolas Postiglioni - Pexels

Que grávidas podem viajar, você já sabe. Mas será que bebê de colo pode viajar de avião? Bebê paga passagem? Quanto custa a passagem para um bebê para voos domésticos e internacionais? Você sabia que é possível comprar passagem para um bebê que ainda nem nasceu? Que bebês podem acumular milhas?

Sim! Para recém-nascidos, a idade mínima para viajar é de 7 dias de vida, na maioria das companhias aéreas. Ainda assim, alguns pediatras recomendam esperar pelo menos até os três meses de idade para o bebê voar pela primeira vez. Lembre-se que o avião é um ambiente fechado: seu bebê ainda não tem imunidade suficiente e ainda precisa tomar algumas vacinas.

Vale lembrar também que, apesar dos avanços da medicina, o pós-parto é imprevisível e as coisas podem sair diferente do esperado. Então, evite fazer planos de viagem a curto prazo logo após a gravidez. Alguns casos exigirão mais cuidados, tanto para a mamãe quanto para o bebê. Consulte seu médico, sempre.

Todos os passageiros devem viajar com pelo menos um documento de identificação, inclusive os bebês. Para voos nacionais, são válidos documentos como: carteira de identidade ou certidão de nascimento.

As exigências de documentos para bebês em um voo internacional são as mesmas de um adulto: passaporte válido; visto (caso seja necessário, dependendo do País de destino).

Preço da passagem
Boa notícia: Bebês de até 2 anos viajam gratuitamente no colo em voos domésticos. Por isso, não é necessário “comprar” uma passagem para o bebê. Lembre-se apenas de avisar a companhia aérea sobre ele no ato da reserva. Caso queira reservar um assento com cadeirinha própria, será necessário pagar a tarifa.

Para voos internacionais, bebês de até 2 anos podem viajar no colo pagando entre 10% a 15% da tarifa de adulto (varia conforme a companhia aérea), mais a taxa de embarque. Vale mencionar que no caso de voos em Classe Executiva, é preciso pagar tarifa de adulto – e nesse caso, o bebê viajará em um assento com cadeirinha própria. Caso queira reservar um assento na Classe Econômica para o seu bebê de até 2 anos, será necessário ter uma cadeirinha própria e pagar o valor integral da passagem, embora algumas companhias ofereçam descontos. A companhia também pode providenciar a cadeirinha, mediante taxa extra.

Bebê de colo pode viajar para o exterior? Sim, eles podem viajar para o exterior de avião, desde que possuam passaporte válido (e visto, se necessário). Em viagens para países do Mercosul, basta o documento de identificação original e com foto. www.melhoresdestinos.com.br/bebe-de-colo-aviao.html

Viajando com bebês

Acompanhantes

  • Ambos os pais ou um responsável;
  • Apenas um dos pais (o outro deve autorizar em cartório com firma reconhecida);
  • Adulto autorizado em cartório por ambos os pais ou responsável.

Lembrando que a maioria das companhias aéreas permite o embarque de bebês a partir do 7º dia de vida. Ainda assim, alguns médicos recomendam esperar até os três meses de idade para que o bebê viaje de avião pela primeira vez.

Bagagem
Embora algumas companhias ofereçam franquia de bagagem em viagens internacionais, na maioria dos casos os bebês somente têm direito a bagagem se a passagem aérea e o assento forem adquiridos. Do contrário, os pais têm direito a levar apenas um carrinho, além da própria bagagem.

Berço
Em muitas companhias é possível reservar um berço para fazer viagens internacionais, especialmente quando são em aviões de fuselagem larga (wide body). Para isso, após fazer a reserva, entre em contato com a companhia para solicitar.

Os berços são colocados em pontos próprios, normalmente na parte da frente da aeronave e o bebê pode viajar com mais conforto. Geralmente a companhia aérea não cobra nada pelo berço, mas como são poucos locais disponíveis no avião é muito importante solicitar o serviço com a máxima antecedência possível.

Com certeza vale a pena pela comodidade para o bebê e para os pais durante os voos longos!

Ele ainda não nasceu
Imagine a situação: você compra uma passagem de avião para viajar daqui a um ano. Nesse intervalo, você engravida. Parabéns, mas e agora? É possível comprar passagem para um bebê que ainda nem nasceu? E se você já estiver grávida e quiser comprar uma passagem para viajar daqui a alguns meses, quando a criança já tiver nascido? Fique tranquila, é possível!

Como bebês de colo voam de graça até os 2 anos em voos domésticos, não é necessário se preocupar em pagar taxas extras. Basta informar a companhia aérea sobre o bebê e passar os dados, como nome completo, data de nascimento e identidade.

O bebê será adicionado ao seu bilhete, sem custos. Já nos casos de voos internacionais, há um custo simbólico (entre 10 a 15% da tarifa, dependendo da companhia). Logo, será necessário comprar o bilhete. Mas como fazer isso se não há uma data de nascimento, a confirmação do sexo do bebê, ou se você ainda nem escolheu o nome? Nesse caso, é possível reservar a passagem do bebê para voos internacionais com o nome genérico “Baby” e o sobrenome da família.

Na data de nascimento, você pode colocar a data da compra da passagem. Apenas lembre-se de atualizar os dados com a companhia aérea assim que o bebê nascer. Isso evitará problemas no check-in e garantirá um voo seguro e tranquilo.

Erros comuns ao comprar passagem para bebê

O bebê pode viajar com apenas um dos pais desde que tenha autorização em cartório – Foto: Keira Burton – Pexels

Note que as companhias aéreas consideram como “bebês” as crianças de até 2 anos de idade. Por isso, quando ela viaja o trecho de ida com menos de 2 anos e volta com 2 anos completos, é necessário comprar a passagem da volta.

Esse é um erro comum e muitos passageiros se atrapalham. Para evitar, emita a passagem de ida como bebê de colo e compre a volta como criança, em reservas distintas. Outra alternativa é comprar ida e volta com a tarifa de criança, mas nesse caso você terá que arcar com a tarifa de ida.

Outro erro comum é deixar o bebê viajar apenas com um dos pais, sem a autorização do outro reconhecida em cartório. Fique atento à documentação, ou o embarque será negado!

Há restrição de líquidos para bebês a bordo?

Embora levar líquidos no avião só seja aceito dentro de recipientes de no máximo 100 ml, a regra não se aplica para água, alimentos ou o leite do bebê. Isto é, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) autoriza o embarque com a quantidade necessária de líquidos para a alimentação do bebê durante o voo. No entanto, a ANAC não especifica como essa necessidade deve ser comprovada. Por isso, dependendo da quantidade de líquido a ser levada, pode haver recusa de embarque, já que há água disponível no avião para os passageiros.

Milhas
Bebês de até 2 anos de idade não pagam para viajar no colo em voos domésticos, e pagam uma pequena porcentagem da tarifa em voos internacionais. Em ambos os casos a criança não tem direito ao assento e, por isso, não acumula milhas.

Entretanto, caso os pais paguem pelo assento, o acúmulo de milhas é possível, desde que o programa de fidelidade permita a inclusão de um membro tão jovem. É o caso da Smiles (Gol), que aceita a inscrição de crianças a partir do momento da emissão do CPF, sem idade mínima. Já a Latam Pass e TudoAzul só aceitam pessoas físicas com idade igual ou superior a dois anos de idade.

Publicidade