19 de abril de 2021 Atualizado 19:18

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Turismo

Serra da Cantareira é opção para curtir a natureza sem aglomeração

A 15 minutos da zona norte de São Paulo, a Serra da Cantareira, já no município de Mairiporã, traz diversas atrações

Por Agência Estado

20 dez 2020 às 20:07

Viagens mais curtas, quase sempre no esquema bate-volta, procura por lugares abertos, restaurantes arejados e proximidade com a natureza. Esse tem sido o roteiro básico de quem procura algum respiro em meio à pandemia de Covid-19.

A 15 minutos da zona norte de São Paulo, a Serra da Cantareira, já no município de Mairiporã, é o lugar que “gabarita” todos os quesitos desse “novo normal”. A estimativa dos comerciantes locais é que o movimento por lá tenha crescido cerca de 30% mesmo durante a pandemia. Aos fins de semana, o caminho para a Serra chega a congestionar de tantos carros de turistas que se encaminham para esse espaço cercado pela natureza.

O Velhão – Foto: Divulgação

Em consequência disso, novos restaurantes, cafés e bares estão abrindo na Serra – e a expectativa para o futuro próximo é que o local se transforme em uma nova Campos do Jordão ou Gramado. Mas vamos começar nossa viagem pelo café da manhã.

A primeira dica é desacelerar. Sem pressa, comece o dia na Miolo, padaria do artista dos pães Marcos Carnero. A casa fica no “miolo” da Serra, em um quintal com mesinhas espalhadas e ambiente relax. A especialidade são os pães de fermentação natural orgânicos, mas vale experimentar os lanches também. Os preços e as ofertas variam quase que diariamente. Mas estão na faixa entre R$ 20 e R$ 35.

O atendimento é “sem pressa”. O próprio Marcos e a mulher, Larissa Diniz, são os responsáveis por quase tudo o que acontece ali. Com sorte, o cliente ainda pode conhecer o Nilsinho, o filho de 8 meses do casal. Quando os pedidos estão prontos, Marcos sai na janelinha e, com um megafone, chama o cliente – e esse chamado pode vir seguido de um poema, uma piada ou alguma outra surpresa. Eventualmente, exposições e shows também entram na programação da casa.

Mercearia do Prosa – Foto: Divulgação

“Às vezes, a pessoa chega aqui ainda com o ritmo da cidade e demora para desacelerar. Brinco que aqui não é proibido pisar na grama, brincar com o pet ou abraçar uma árvore”, diz Carnero.

Além dos pães, a casa (o quintal) também abre para o almoço – com destaque para o prato executivo do dia, o “1, 2 feijão com arroz” (com arroz, feijão, ovo, couve e uma mistura). O prato dá direito a um repeteco e sai entre R$ 20 e R$ 25 (dependendo da mistura). “A ideia é celebrar a comida de casa, a comida de verdade”, explica Carnero. A Miolo também funciona como uma minimercearia – onde é possível encontrar, por exemplo, os sabonetes naturais feitos pela Larissa (a partir de R$ 20).

OUTRAS OPÇÕES
Para tomar café da Serra da Cantareira, você também tem outras ótimas opções como o Jacques Café, de atmosfera intimista, e o Café Manacá, que lembra um café no sítio.

Tampouco faltam alternativas na hora do almoço. A casa que abriu durante a pandemia e é o novo hit da região é o Fronteiriço. O restaurante segue a tradição gaúcha da parrilla, característica da tríplice fronteira (Argentina, Brasil e Uruguai).

“Cerca de 90% dos nossos clientes são de São Paulo. Estamos no caminho de nos transformar em uma mini-Campos do Jordão”, acredita o proprietário Guto Ziani. Uma Parrillada para duas pessoas custa R$ 199,90.

Assim como outros restaurantes da região, o Fronteiriço caminha para zerar a emissão de carbono e ter uma operação totalmente sustentável. “Esse é o nosso caminho. Além de boa comida, as pessoas querem respirar melhor e ter esse contato da natureza”, diz Ziani.

Outra característica comum a vários restaurantes da Serra, e que também é encontrada no Fronteiriço, é a vista privilegiada para aquela que é uma das maiores florestas urbanas do mundo. Quem estiver por lá também pode almoçar no Deck Cantareira Steakhouse – que fica em um simpático centrinho e guarda aquele visual da Serra.

Agora, se você gostar do serviço e deixar uma caixinha, a reação será imediata. As atendentes, cozinheiras e demais funcionários vão iniciar um ritual que começa com um grito de “caiiiixinhaaaaaa” e seguirá com uma cantoria. Nos dias de semana, o bufê completo, com suco de laranja e sobremesa, sai por R$ 27,90.

O Velhão
Outro ponto tradicional de comida caseira é o complexo gastronômico conhecido como O Velhão (onde você encontra o restaurante As Véia). Outra opção é a culinária portuguesa do Ora, Pois.

Almoço mais tradicional e caipira
Procure a Mercearia do Prosa. Comida caseira, feita no forno a lenha e uma decoração repleta de objetos que remetem à memória afetiva de muita gente. Mesas ao ar livre e bufê.

Publicidade