01 de dezembro de 2020 Atualizado 14:39

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Destinos isolados

Para onde viajar em feriados no Brasil sem aglomeração

É possível sim viajar nos próximos feriados sem encarar lugares lotados em meio à pandemia de Covid-19

Por Redação

26 out 2020 às 07:51

Tomar banho de mar ou cachoeira. Andar de bicicleta ou a cavalo. São muitas as experiências possíveis para quem viaja para destinos isolados. Então por que tanta gente pensa nos mesmos lugares?

O feriado de 7 de Setembro mostrou isso, das aglomerações vistas das praias do Sudeste a pontos distantes dos grandes centros, como Jericoacoara, no litoral do Ceará, e a Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Mas é possível sim viajar nos próximos feriados sem encarar lugares lotados em meio à pandemia de Covid-19.

Virada de ano diferente: no Vale do Café, o Uaná Etê Jardim Ecológico oferece, no topo de um monte, visitação aos 25 jardins da propriedade – Foto: Divulgação

Para viagens no fim do ano, levantamento da Decolar aponta que, entre os dez destinos nacionais mais buscados em agosto para embarque nos aeroportos de São Paulo, sete ficam no Nordeste, sendo seis capitais e a baiana Porto Seguro. No ranking geral, Maceió vem em primeiro, seguida por Florianópolis.

Já o Expedia Group – dono de várias marcas do segmento, entre sites de reserva de acomodação e de serviços turísticos, como Hotels.com, Trivago e Expedia – reuniu informações de 30 mil viajantes de 13 países para entender suas preferências na retomada do turismo.

No Brasil, 52% dos viajantes disseram que desejam fazer uma viagem relaxante ao litoral.

“O desejo de conhecer esses lugares, que são maravilhosos, é mérito de um esforço deles para se sedimentarem no imaginário do turista. São destinos diversificados e bem estruturados”, explica Helena Costa, coordenadora do Laboratório de Estudos de Turismo e Sustentabilidade (Lets), da Universidade de Brasília (UNB).

“Mas não faltam opções menos conhecidas. Há hotéis e pousadas, que podem oferecer uma experiência especial e adequada ao momento”.

De fato tem de tudo. Da estrutura de resort na praia a uma eco hospedagem sem luz ou sinal de celular. No Vale do Café, no Rio de Janeiro, o Uaná Etê Jardim Ecológico oferece a chance dessa virada de ano diferente, no topo de um monte, com visitação aos 25 jardins da propriedade.

Quatro noites com cesta de café da manhã custam R$ 3.500 para dois (entrada em 30/12).

Em empreendimentos maiores, vale perguntar como estão as regras após a reabertura. Com 152 apartamentos de frente para o mar, em Mangaratiba (litoral do Estado do Rio), o Portobello Resort & Safári está trabalhando com 70% da ocupação. De 30/10 a 2/11, o pacote sai desde R$ 4.860 (pensão completa) para casal com duas crianças de até 12 anos.

Levando em conta o perfil do viajante, o estilo do destino e a época, dá para encontrar diversas opções mais isoladas. Para abrir seu leque de possibilidades, veja sugestões para o próximo feriado – 2 de novembro – e o fim de ano no Brasil.

Pousada Trijunção – Foto: Divulgação

2 DE NOVEMBRO

Exclusividade e lobo-guará
São apenas sete suítes na Pousada Trijunção, e sua localização afastada está contida no nome. Fica na divisa de três Estados: Bahia, Minas Gerais e Goiás, cujos elementos se encontram também na gastronomia servida na propriedade, dos mesmo donos da Pousada Literária de Paraty e da Tankamana (Itaipava), ambas no Estado do Rio.

“Estamos incentivando as pessoas a fazerem as viagens no modo privativo, sem compartilhar veículos e guia com outros viajantes”, conta Jota Marincek, sócio-fundador da Venturas, com pacote no feriado de Finados para o destino.

Quatro dias com pensão completa custam a partir de R$ 3.750 por pessoa (sem aéreo; saída em 30/10). Os passeios personalizados incluem ver o lobo-guará, observar aves e estrelas e visitar o Parque Nacional Grande Sertão Veredas.

Cambará do Sul – Foto: Divulgação

Glamping na serra ou na praia
Inspirado nos lodges africanos, o Hotel Parador Cambará do Sul tem araucárias no horizonte. Os cânions do destino gaúcho que batizam o lugar podem ser conhecidos em caminhada ou voo de balão.

Pela Abreu, a hospedagem de 30/10 a 3/11 sai por R$ 5.740 por pessoa com café (valor mínimo terrestre).

“Os cânions recebem aproximadamente 3 mil turistas diariamente. Atualmente, o local adotou uma capacidade reduzida e recebe até 500 visitantes por dia”, explica Adriana Boeckh, gerente de marketing da Abreu no Brasil.

No Parador, que adotou check-in online antecipado, o distanciamento é natural entre as 21 acomodações.

A alternativa praiana de glamping fica na bela Corumbau, na Bahia. “O Vila Naiá foi desenhado como uma vila de oito acomodações únicas, que se espalham por um jardim a perder de vista. Em nossa praia, as pessoas caminham quilômetros sem encontrar ninguém”, diz a proprietária, Renata Mellão.

A diária do Vila Naiá custa a partir de R$ 3.000 para duas pessoas, com pensão completa. Entre as experiências extras estão rituais indígenas, avistamento de baleias e jantar romântico à beira-mar.

Publicidade