04 de março de 2021 Atualizado 23:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Virada

Ano-Novo é igual em todos os países?

O empresário Afonso Braga Neto já comemorou a data em mais de 10 países e revela a diferença entre alguns deles

Por Redação

31 dez 2020 às 13:41

Se engana quem acredita que o Ano-Novo é comemorado da mesma forma em todos os países. No entanto, o empresário admite que, dentre todos os países que já visitou, o Brasil é o país mais festivo, ganhando até mesmo de Las Vegas.

Mas nem tudo são festas. Um bom Ano-Novo é aquele cheio de tradições e superstições e pode acreditar: existem várias ao redor do mundo!

Brasil
Assim como o Brasil inteiro, o Ano-Novo é uma junção da cultura de diversos países. A lentilha da Itália, roupa íntima amarela do Uruguai, roupa branca da Argentina, o beijo da meia noite dos Estados Unidos e o aspecto único brasileiro: pular as 7 ondinhas.

Em relação ao prato, é comum os brasileiros não comerem nada que cisca para trás como galinha, frango, peru, chester. Uva passas no arroz, pavê de sobremesa e lentilha, para trazer sorte, também estão dentro do menu de Ano-Novo. Além disso, por aqui são famosas as promessas de ano novo e shows nas capitais como São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador.

Argentina
As tradições de Ano-Novo na Argentina começam antes mesmo da própria data comemorativa. Assim, no último dia de trabalho do ano, os escritórios espalhados pela Argentina jogam papéis picados – restos de agendas, cadernos, contratos, etc. para o alto, simbolizando o fim do ano.

Lá, assim como no Brasil, eles também levam a sério a questão de escolha de cor para a roupa íntima – porém, a roupa é vermelha. Ou rosa. Eles acreditam que essas cores atraem o amor.

Em relação aos pratos, o prato da sorte é o feijão, que simboliza a garantia de emprego e dinheiro o ano inteiro. Eles também comem 12 uvas à meia noite – mas quase todos os países latinos fazem isso porque é uma tradição herdada da Espanha. E sobre os fogos: a queima de fogos no bairro Puerto Madero é inigualável no país.

Uruguai
O Uruguai é uma região que festeja do início ao final do ano e, obviamente, o Ano Novo não poderia ser diferente. Em Montevidéu, a prévia de Ano Novo acontece no Mercado del Puerto, em que as pessoas se juntam para beber e participar da famosa guerrilha de cidra e cerveja, que acontece no mercado.

Por lá, não existe a comum superstição entre os uruguaios de utilizar roupas brancas na virada do ano como aqui no Brasil, mas a roupa de baixo é importante – e amarela para atrair dinheiro. Além disso, em vez da lentilha, os uruguaios acrescentam a salsinha em sua ceia de Ano Novo, que, para eles, simboliza a abundância e prosperidade.

Apesar das diferenças, assim como os argentinos, o Uruguai come as 12 uvas à meia-noite, uma para cada badalada do sino da igreja, para trazer sorte. Outra superstição comum entre os montevideanos é dar uma volta no quarteirão carregando uma mala para atrair mais viagens.

Estados Unidos
Nos Estados Unidos, as tradições variam de acordo com a cidade. Por exemplo, a mais famosa é a descida da bola de réveillon na Times Square – uma grande bola presa a um edifício que chega ao chão exatamente meia-noite. No sul do País, é comido o “Black Eyed Peas”, o nosso feijão fradinho, que representa prosperidade.

Entretanto, algumas tradições podem se permear pelo País inteiro. Entre elas, está o beijo à meia-noite, que representa que aqueles que se beijarem na virada ficarão juntos o resto do ano. Além disso, os americanos evitam tirar o lixo, lavar roupas e louça ou qualquer atividade que possa representar perdas durante o ano.

México
O México é marcado por 11 principais tradições e são elas: Escrever seus desejos em um papel e queimá-lo quando realizar; comer 12 uvas à meia-noite, dando um objetivo a ser conquistado por uva; usar roupa íntima rosa, vermelha, amarela, verde e branca, uma para cada significado: amizade, amor, felicidade, bem-estar e esperança; colocar uma bandeja no centro de uma mesa e pedir para amigos e familiares depositar uma moeda nela.

Em seguida, encher a bandeja de água para trazer sorte; rodear algumas velas com lentilhas, feijão, arroz, milho, farinha e canela e deixá-las acesas a noite toda até derreter. Após isso, misturar os alimentos e a cera e enterrá-los, para atrair prosperidade e riqueza; comer uma colher de lentilhas cozidas; limpar a casa, lavar o animal de estimação e tomar banho para renovação.

Além disso, ao varrer, precisa ser de dentro para fora. No México, eles também passam um pano com água e canela na casa e acende um incenso antes da meia-noite; à meia-noite, atire um pouco de água para fora da janela, representando renovação; à meia-noite, também, abra a porta e jogue 12 centavos no chão e varra para fora, para prosperidade; fogos à meia-noite, permitindo passagem segura para o próximo ano; à meia-noite, carregar mochilas vazias ao redor de um quarteirão ou coloque-as no meio de uma sala e ande ao seu redor.

Apesar das onze tradições, é bom relembrar que o México é composto por uma grande população indígena, que possuem o seu próprio calendário e comemoram o Ano Novo em diferentes épocas, como a tribo Seri, no norte do México, que celebram em 30 de junho.

Itália
Os italianos são mais radicais. Alguns corajosos pulam da Ponte de Santo Ângelo para dentro do Rio Tibre, no primeiro dia do ano, para boa sorte. A prática é tão comum que muitos se aglomeram no local só para assistir à atração. Além disso, é comum no país jogar coisas velhas e quebradas pela janela, o que pode ser bastante perigoso.

No entanto, a Itália também é repleta de pequenas superstições que não trazem risco a vida de ninguém como roupas íntimas coloridas, especificamente vermelhas – só que a diferença é: a lingerie deve ser jogada fora no dia seguinte e ela deve ser nova. No prato, as lentilhas estão sempre presentes, simbolizando um ano cheio de abundância, dinheiro e recompensas financeiras.

Acompanhada dela, está sempre o cotechino ou zampone, carne de porco, que também representa abundância e prosperidade. Herdado da Espanha, assim como os países latinos, os italianos também comem 12 uvas à meia-noite, além dos casais comerem romã, símbolo de fidelidade e fecundidade.

Publicidade